sábado, 29 de janeiro de 2011

Skins 5x01: Franky


A reinvenção de Skins.

Se você, assim como eu, tinha poucas esperanças em relação à nova temporada de Skins, essa é a melhor notícia que se poderia ter. Depois de duas temporadas péssimas, exageradas e completamente irreais, eis que a característica principal da série retorna e é como se aqueles episódios ruins nunca tivessem existido.

Skins voltou nua e crua. Honesta, direta, simples. Espero que continue assim, porque uma série sobre adolescentes não precisa de serial killers e outros floreios para funcionar. Basta manter as coisas no básico, com roteiro bacana, a polêmica de sempre e bons atores jovens. A receita de sucesso está aí.

Como já é tradição, depois de duas temporadas os personagens se renovam, o que acabou se revelando uma característica positiva depois do fiasco da geração anterior. Dessa vez, começamos por Franky uma garota de visual andrógino, deixando dúvidas sobre seu gênero e sua opção sexual.

A personagem deu vida nova a Skins, assim como todos os novos rostos que conheceremos a partir de agora. Franky, porém, parece ser a figura mais interessante, cheia de características controversas, ar depressivo e passado misterioso. No combo, ela ainda tem pais gays, uma adoção e a possibilidade de uma vida completamente nova, com amigos de verdade e quem sabe, algum interesse romântico, já que o misterioso Marty não está na série por acaso.

Detalhe óbvio é que Franky não é lésbica. Pelo menos, seria muito fácil se ela fosse. Acredito que ela é apenas alguém com um estilo muito próprio, o que definitivamente define sua personalidade, mas não seu gosto sexual.

E claro que temos alguns estereótipos explorados, como é o caso de Mini, a líder das garotas, fazendo a linha bitch do colégio, que sofre de problemas de auto-estima. Bastou que ela sentisse as atenções em Franky para que arquitetasse uma vingancinha infantil com o namorado atleta, Nick. Muito em breve Mini terá de mudar seu jeito de ser, porque as amigas, Grace e Liv (uma cosplay de Jal) não vão aturar essas atitudes imbecis por muito tempo. Rich e Alo, completam a turma, formando a galera dos perdedores. Eles se unem a Grace e Franky para formar um grupo de amigos mais sincero.

Interessante notar que, pela primeira vez, um grupo de garotas está mais em destaque. Nos primeiros anos, Tony e Sid eram os que mais chamavam atenção. Depois, foi a vez de Freddie, Cook e JJ. Não que as meninas não fossem importantes na trama, mas sempre senti esse destaque mais direcionado.

O importante é que agora, minha fé em Skins está sendo recuperada. E se antes eu estava prestes a abandonar tudo isso e seguir em frente, agora eu torço para que o próximo episódio chegue o mais breve possível.

Comentários
6 Comentários

6 comentários:

Anônimo disse...

Achei que tinha sido só eu que tinha achado a Liv iguaaaaaaaaaaaaaal a Jal, gente!!! Hahahahahah adorei a Franky, espero que Skins mantenha a qualidade, porque né. Ótima review

vanessa disse...

fico tão feliz em ler isso,espero que eu também goste.amava Skins nas duas primeiras temporadas,ai veio a segunda geração e foi uma bela porcaria,como se fosse malhação as avessas.Pensei uito antes de baixar esse episodio,espero que a velha skins esteja realmente de volta

Mari Bisonti disse...

Ok, você me convenceu no primeiro parágrafo. Vou voltar a ver Skins.

Dayane disse...

Decepçao saber que a franky não é lésbica ):
Ela é linda *-*

Andressa disse...

poxa sacanagem a Franky nao ser lesbica D:
eu pegaria kkkkk

gisele disse...

mano eu amei a segunda geração, menos os ultimos episodios pq foram muito irreais mas fora isso foi melhor q a primeira geração...