segunda-feira, 23 de novembro de 2009

The Prisoner 1x06 (Series Finale): Checkmate


Palmas para a AMC, palmas para Ian McKellen, palmas para Jim Caviezel e muitas palmas para The Prisoner, a minissérie do ano, sem sombra de dúvidas. Bem produzida, roteiro impecável, atuações brilhantes e o resultado não poderia ser outro: surpreendente até o final.

Pelo menos, eu não esperava a inversão de papéis que aconteceu e muito menos o modo como tudo caminhou para isso. As duplicatas, afinal, não eram imaginação. Eram a mesma pessoa vivendo em realidades diferentes. Não apenas Six ou Two possuíam as suas. 313, 147 e qualquer outra pessoa não nascida na Vila existia em dobro, de alguma forma.

Sem opções de saída 1112 é aquele que muda a história. Mata a mãe, provedora dos sonhos que mantém o lugar existindo e, logo em seguida, se suicida.

Agora, Two ou Curtis, precisa convencer Six ou Michael a ficar e ser o novo sonhador da Vila. Para isso, conta com o amor de 313 na Vila e com a paixão de Michael por ela, no outro mundo.

A estratégia funciona. Ambos, um em cada lado da realidade, abrem mão de alguma coisa para manter a Vila viva. E por quê? Porque a Vila é um lugar especial, uma espécie de rehab imaginária, onde pessoas com problemas graves vão para se recuperar e salvar suas vidas. Loucura total, mesmo.

A situação de 313 é grave, inclusive. No mundo que conhecemos ela tem sérios problemas mentais, consequência de maus tratos e abusos sofridos na infância. Na Vila, Two usa a amizade de 147 com Six e seus sentimentos frágeis em relação à morte recente da filha para fazer seu jogo.

Durante o enterro de 1112, Six acaba aclamado como o "número um", aquele que pode salvar a todos com seus sonhos. 313 é aquela que se sacrifica e toma as pílulas para dormir. Two, faz sua saída dramática, mordendo uma granada, explodindo e voltando para a outra realidade, onde finalmente viverá em paz e feliz ao lado de Helen (M2).

Michael se transforma no chefe e comandante da Summakor, observando a vida das pessoas e escolhendo aqueles que precisam ir para a Vila, começar vida nova.

Nas areias do deserto, ao lado de 313, Six aprende que cada coisa naquele lugar é fruto de sua mente. Bolas brancas gigantes, visões, pessoas, tudo. E, sonhador que é, ele acredita realmente, que pode construir ali, um mundo muito melhor.





Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Caio disse...

Simplesmente uma das melhores coisas ja feita. Uma obra prima. The Prisoner foi fantástico todos os momentos.

Ian McKellen, Jim Caviezel, Lennie James, Jamie Campbell Bower, Ruth Wilson, Haley Atwell, Rachel Blake...todos...todos ali arrasaram em seus personagens.

E eu pensava que o final ia ser com ele voltando a vida em NY, tranquilamente, mas não, os roteiristas fazem ele ser o novo líder da Vila. Show de bola.

Só não entendi a Rover (bola branca). Ela representa os maiores medos da pessoa?

Camis disse...

Entendi que era um obstáculo que a própria mente da pessoa criava para evitar que ela saísse da Vila. Acho que pode ser entendido como medo, sim, já que a bolha assassina faria qualquer um recuar.

Diogo disse...

Ola gostei bastante da serie no entanto quando terminou fiquei um pouco confuso com tantas revelaçoes e continuo sem entender algumas coisas que gostava que me ajudasses a perceber. Aqui vao as perguntas =P

1º- Porque é que o Six ou Michael se lembrava da outra vida em New York e os outros da vila nao?

2º- Como e que a filha do 147 estava viva em New York se ela so existia na vila (penso eu)?

3º- O facto de ele se ter demitido da empresa teve algo a ver com o two ser o lider e ser o "mau" da serie?