domingo, 27 de março de 2011

Grey's Anatomy 7x17: This Is How We Do It



Um final capaz de destruir um episódio perfeitamente bacana.

Do mesmo jeito que existem clichês bons na TV há outros que são absolutamente terríveis. Não digo isso pelo tom de tragédia que vai se instalar em Grey’s Anatomy no próximo episódio, mas sim, pela total falta de necessidade em forçarem a barra acidentando Callie e Arizona, em meio a uma briga/pedido de casamento.

Quando começou a cena no carro eu sabia. Quando Callie retirou o cinto de segurança eu tive ainda mais certeza. Pausei de raiva. Respirei fundo e desejei lá no me âmago estar enganada. Eu não estava. Nem sei dizer o quanto eu repudio o final desse episódio. Pior do que ser clichê, esse final é idiota, gratuito. Fico com a impressão de que a série vai mal e precisam de medidas desesperadas por audiência, tentando atacar duas personagens queridas pelo público.

Verdade seja dita, tivemos alguns momentos chatos (vide Cristina depressiva), mas de geral, o andamento está bom. Estava. Nem sei mais o que pensar. Acho melhor ignorar essa imbecilidade de roteiro e falar do que tivemos de bom. Farei isso, ainda sem sair do tema Callie e Arizona.

A interação que se estabeleceu entre elas e Mark é simplesmente ótima. Toda a tensão familiar desse núcleo é um convite às risadas. Adoro quando Sloan zomba de Arizona com pequenas coisas só para se vingar de sua falta de voz ativa nesse triângulo.

A sequência do chá de bebê foi excelente. Bem humorada e até fofinha, mostrando todos os médicos customizando as roupinhas para o bebê. Isso sem falar em Karev roubando comida e Meredith dando a dica final para a obstetra decidir atacar Karev no estacionamento.

Incrivelmente, a temática de Alzheimer está rendendo de forma positiva. Ainda acho que o Chief é quem transmite o “vírus do alemão louco” para suas parceiras, mas isso é detalhe. Impossível não perceber o quanto Derek e Meredith temem estar na mesma situação em que Chief e Adelle estão agora. Eles não dizem, propriamente, mas está no olhar. A cirurgia não autorizada também foi ótima para debater os limites da medicina e mostrar que às vezes é preciso correr certos riscos para ajudar as pessoas.

Falando em riscos, eu espero que Teddy saia de sua zona de conforto e faça seu casamento valer. Eu faria, afinal, estamos falando de um marido bem aprazível. Também gostaria de ver Kepner parar de se importar com a opinião alheia. Tudo bem que ela merece um homem menos escroto que Stark, mas já seria um começo para ela, que tem tanto medo de relacionamentos.

Tentando não chocar meus amigos fãs de Sexie (Sloan e Lexie), preciso ser sincera e dizer que gostei das cenas dela com Avery. Não sei como isso aconteceu, mas começo a imaginá-los como um casal potencialmente interessante, diferente de outro casal, que tem se tornado potencialmente inútil. Cristina e Hunt entraram no mesmo abismo em que Derek e Meredith já estiveram. Na verdade eles nunca saíram completamente desse buraco e não há escolha de residentes que resolva essa questão.

Pelo menos sinto que estão tentando recuperar Bailey. A personagem esteve perdida entre tramas sem importância e honestamente, sinto falta de quando ela era a Natzi. Agora ela até permite que enfermeiros passem por cima de sua autoridade e não me digam que ela reagiu. Foi muito fraco. Em outros tempos o enfermeiro nem sonharia em cometer essa ousadia, especialmente se ele conhecesse Bailey na intimidade.


Comentários
12 Comentários

12 comentários:

Lucas disse...

Eu gostei do final, tocando minha música favorita da Adele...Mas só porque eu sempre gosto de uma tragédia, por mais clichê que ela seja e não tenho dúvidas de que o próximo episódio vai ser um dos mais emocionantes do ano, ainda mais com a Sara Ramirez cantando.
Também achei a reação da Bailey muito fraca e o plot do Alzheimer ta até bom mesmo, achei que seria um saco. Camis você reparou que a atriz que faz a Adelle fez uma participação no último episódio de Glee? Era aquela freira lá, uma das juradas eu acho hahaha
Enfim, a competição pra residente chefe é tão gostosinha de se ver, queria que enrolassem mais com essa escolha =/ E se a Yang não for escolhida vou ficar muito decepcionado!

Darlan disse...

É clichê, é batido, mas achei um final bom pro episódio. Todo mundo já sabia que esse lance de gravidez ia acabar em tragédia, mas curti rolar um acidente pq adoro ver esses dramas intensos e mega trágicos que só Grey's sabe fazer.
To adorando o plot do Alzheimer e curti lexie e Avery.
Em suma, foi mais um bom episódio de uma temporada no mínimo consistente de Grey's Anatomy.
PS: Não curto Bailey tomando coió de enfermeiro. Que bagaça é essa? #VoltaNazi

Jose Antonio disse...

Jesus! Que episódio estranho!
Ok, não foi tão estranho. Ele até que fluiu, mas foi um típico episódio filler.
Gostei de ver Teddy começando a perceber que está realmente sentindo algo pelo marido.
Cristina, mesmo com pouco tempo de tela, mostrou mais uma vez a que veio. Aliás, sua cena final foi MUITO boa!
A história do Alzheimer está se perdendo a cada episódio. Por mais dramático e interessante que seja a doença na relação de Meredith e Derek, é inegável o quão artificial e forçada que é para o Chief e Adele.
Quais são as chances de os dois amores de sua vida sofrerem de Alzheimer? Pô Shonda, deixa esse lado Manoel Carlos de lado!

Por falar em Manoel Carlos, que finalzinho ridículo esse, hein? O acidente de carro foi o clichê dos clichês! Já imaginava que aconteceria algo do tipo, ainda mais com o episódio musical por vir, mas poxa.. Isso não é One Tree Hill! Callie e Arizona mais pareciam Quinn e Clay. Puta casal chato que elas estavam. Não me leve a mal, há anos Callie é minha personagem favorita e esse relacionamento com Arizona nunca me desagradou, mas esse final de episódio cagou legal na história das duas.
Querem colocar as duas em risco, colocar o bebê em risco, trazer um pouco de drama? OK. Mas Shonda, que tal fazer algo direito?
Definitiamente esse final de episódio parecia um mashup de CW com trama de Manoel Carlos.

Que medo do episódio seguinte. Esperei TANTO por Sara Ramirez soltando a voz na série e, agora que finalmente vai acontecer, tenho medo de ser a maior decepção do mundo.

Enfim. Mals pela escritura bíblica que deixei aqui, mas a indignação é grande. DEMAIS :(

Tiago Brito disse...

well,

Eu achei o episódio muito bom, discordo em alguns pontos da Reviews, mas cada um tem seu ponto de vista, estou achando uma da melhores temporadas.
Acredito que o proximo episodio vai ser muito bom, na verdade é um episodio diferente , e estou gostando desses episodios!

Leonardo disse...

Eu to gostando muito da interação entre Sloan, Callie e Arizona, eles estão numa sincronia incrivel, por outro lado to odiando o Avery e a Lexie. Sempre fui fã da Lexie, aí eu me pergunto porq os roteristas jogam o pior lixo pra cima dela, o Avery é pior que o Karev, sinceramente, acho que ele deveria ter morrido na temporada passada. Eu tambem achei que foi desnecessario o acidente, mas cá entre nós, eu quase nem respirava de tanta emoção.

Paulo Veras disse...

Camis,

Não acho que o problema de Grey's seja a falta de audiência. Shonda disse que sempre sonhou em ter um episódio musical, mas faltava algo para que ele acontecesse.

Ou seja, ela queria que o episódio musical fosse um grande evento - e toda a repercussão em torno dele tem gerado isso - e por Callie entre a vida e morte tendo as temáticas do bebê e do casamento no meio foi uma forma que ela arrumou de fazer isso.

Não é desnecessário, é frustrante. Porque todos os fãs acabam de perceber que toda a historyline da temporada foi Callie engravidar, perder o bebÊ num mega-episódio, sofrerem todos e casamento no final.

Beijos!

Anônimo disse...

É o que o Paulo falou, a audiência de Grey's ainda é boa. E dá pra notar a vontade da Shonda em fazer um episódio musical desde a 4ª temporada se não me engano, com a Cristina cantando Like a Virgin...Bailey cantando duas ou mais vezes, sendo uma delas na sala de cirurgia e pedindo pro Alex acompanhá-la, a Callie no season finale da sexta temporada e a trilha de Grey's, nas três primeiras temporadas, foi muito marcante mesmo. Impossível não lembrar do Denny, do MAGIC (Meredith, Alex, George, Izzie & Cristina) das três primeiras temporadas ouvindo essas músicas que vão ser cantadas no próximo episódio.

Lu VC disse...

O que Shonda Rhimes iria inventar pra justificar um episódio musical me dava medo. Acho apelativo demais q todas as grávidas de todas as séries tenham q sofrer acidentes ou ter gravidez de risco. Cansa mto!

De resto o episódio tava mto bom. Gostei mto da trama da Adele. A coitada pensou q era uma coisa boa não passar no teste, mas isso só significa q a doença não está tão avançada. Gostei do Karev com a Fields, mil vezes melhor Lexie e Avery. Qto a Bailey, entendo q a persongem precisa mudar, evoluir, whatever, mas sinto MTA falta da Bailey Nazi tb.

Bjoss

João Paulo C F Longo disse...

Tinha muita coisa pra comentar sobre o episódio. Tinha. A cena final foi vergonhosa e destruiu qualquer lembrança boa do mesmo. Truque barato e sem vergonha.

Pior que o final do episódio é o sneak peek do próximo. Tive que esconder o teclado/mouse pra não pausar o vídeo a cada meio segundo.

Jose Antonio disse...

Jesus! Que episódio estranho!
Ok, não foi tão estranho. Ele até que fluiu, mas foi um típico episódio filler.
Gostei de ver Teddy começando a perceber que está realmente sentindo algo pelo marido.
Cristina, mesmo com pouco tempo de tela, mostrou mais uma vez a que veio. Aliás, sua cena final foi MUITO boa!
A história do Alzheimer está se perdendo a cada episódio. Por mais dramático e interessante que seja a doença na relação de Meredith e Derek, é inegável o quão artificial e forçada que é para o Chief e Adele.
Quais são as chances de os dois amores de sua vida sofrerem de Alzheimer? Pô Shonda, deixa esse lado Manoel Carlos de lado!

Por falar em Manoel Carlos, que finalzinho ridículo esse, hein? O acidente de carro foi o clichê dos clichês! Já imaginava que aconteceria algo do tipo, ainda mais com o episódio musical por vir, mas poxa.. Isso não é One Tree Hill! Callie e Arizona mais pareciam Quinn e Clay. Puta casal chato que elas estavam. Não me leve a mal, há anos Callie é minha personagem favorita e esse relacionamento com Arizona nunca me desagradou, mas esse final de episódio cagou legal na história das duas.
Querem colocar as duas em risco, colocar o bebê em risco, trazer um pouco de drama? OK. Mas Shonda, que tal fazer algo direito?
Definitiamente esse final de episódio parecia um mashup de CW com trama de Manoel Carlos.

Que medo do episódio seguinte. Esperei TANTO por Sara Ramirez soltando a voz na série e, agora que finalmente vai acontecer, tenho medo de ser a maior decepção do mundo.

Enfim. Mals pela escritura bíblica que deixei aqui, mas a indignação é grande. DEMAIS :(

Darlan disse...

É clichê, é batido, mas achei um final bom pro episódio. Todo mundo já sabia que esse lance de gravidez ia acabar em tragédia, mas curti rolar um acidente pq adoro ver esses dramas intensos e mega trágicos que só Grey's sabe fazer.
To adorando o plot do Alzheimer e curti lexie e Avery.
Em suma, foi mais um bom episódio de uma temporada no mínimo consistente de Grey's Anatomy.
PS: Não curto Bailey tomando coió de enfermeiro. Que bagaça é essa? #VoltaNazi

Sophia Cardoso Donato disse...

Ai também curti a Lexie e o Avery! Achei atrevidos e fofos. E também sinto falta da Bailey quando era a Natzi, sinto muita faaaaaaaaaaaaalta!