terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Friday Night Lights 5x05: Kingdom


Não é novidade para ninguém que estou decepcionada com Friday Night Lights desde a temporada passada, por isso, enrolei o quanto pude para ver esse episódio. O resultado? Fiquei arrependida.

Não sei se é alguma coisa cabalística ou algo assim, mas fato é que o 5º episódio da temporada anterior (The Son) foi justamente o meu favorito e parece que esse ano estou repetindo a dose. Para mim, ‘Kingdom’ foi o melhor episódio apresentado até agora desde o 4x05. Vejam só quanto tempo se passou desde que FNL deixou uma impressão forte em mim.

O mais importante de tudo não foi a história em si ou alguma trama mirabolante, mas sim aquele sentimento que eu tinha assistindo às primeiras temporadas, aquela coisa do time, da torcida, de ver a união dessas pessoas se formando para levar os Lions a algum lugar. E não importa realmente se é a vitória. Eu valorizo essa atmosfera criada pelas palavras do coach Taylor e sua filosofia para a vida e para o jogo.

Esse sempre foi o grande trunfo da série. Eric Taylor é a alma de Friday Night Lights e nos últimos tempos ele parecia meio à deriva ou pouco envolvido com o que estava acontecendo. Mais uma vez ele está a frente de seu time, comandando e inspirando. Falando mais com os olhos do que com a própria voz. Insatisfeito e inquieto, mesmo quando tudo dá certo.

O destaque para Luke, Vince, Tinker e Hastings também me fez lembrar os velhos tempos, quando os atletas realmente nos importavam. Buddy Jr. também foi uma boa adição ao elenco, pois mesmo que ele seja completamente novo, parece que sempre fez parte da trama.

Outra coisa legal foi ver Julie tomando um esbrega gigante na frente da faculdade toda. É isso que dá se envolver com homem casado. O pior é saber que ela ignora Tami dia após dia, mas quando a coisa aperta, ela junta um pacote de roupa suja e corre para a casa da mamãe, o que prova que Julie continua sendo a mesma imbecil de sempre.
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Jose Antonio disse...

Pois é. Esse episódio resgatou aquele clima das primeiras temporadas.
Belíssima cena aquela do povo conversando na sacada. É essa naturalidade o diferencial da série.
Se o resto da temporada manter esse nível, a série chegará ao fim em alta.