sábado, 9 de outubro de 2010

Grey's Anatomy 7x03: Superfreak


De médico e louco Grey’s Anatomy ficou com os dois.

Ninguém é normal. Quer dizer, é normal ser louco, então é normal não ser normal. Ou coisa assim. Com esse tema tão peculiar, Grey’s Anatomy faz mais um episódio muito bom, com tensão, bizarrices e toneladas de expectativa.

Cristina continua sendo o centro das atenções e essa história ainda vai durar mais um pouco. Com um trauma profundo desses me espantaria se depois de dois episódios tudo se resolvesse. Essa cura precisa de um processo longo, mas peço que não tão longo, a ponto de vermos Yang fazendo curso de encanadora.

O modo como Derek se envolve na história toda marca esse recomeço e ninguém melhor do que ele para ajudar Cristina a entrar nos eixos. Já sabemos que Owen não é capaz de nada além de prover a sensação de segurança e agora, é hora de quebrar a barreira protetora, para encarar o mundo novamente.

No meio disso tudo, surge Amy, irmã de Derek e pequena causadora de problemas. Teve aquela parte emocional dos dois, mas não posso gostar de uma zinha que entra na série só para afastar mais ainda Sloan e Lexie. Se raiva matasse eu estaria mortinha nesse momento. Sei que precisam ter esse romance para agitar a temporada, mas estou agoniada. É muita falta de percepção de Lexie e muita falta de timing. Sloan ,também, podia ter esperado mais meia hora né? Sinceramente.

Ainda boto fé nesse casal, até porque, quem se importa com Teddy e o amor de pica pelo “analista de traumas”? Callie e Arizona vão muito bem, obrigada, tramando planinhos sacanas para ficar com o apartamento só para elas. Sensacional.

E para entrar no clima dos freaks, dois casos extremos. O primeiro, do homem árvore, estava rendendo só pelos olhares de Bailey para uma Lexia muito enjoadinha. Mas eis que surge uma aranha e todo o discurso sobre “estar preparada para QUALQUER coisa que o corpo humano apresente” vai pelo ralo.

A engolidora de camisinhas foi um caso à parte e revelou que April é virgem aos 28 anos. Além disso, outros traumas pós- massacre vieram à tona, como o medo de Karev em usar o elevador, e os pesadelos de Avery. São traumas sem fim e freaks que não acabam mais. Tomara que continue assim.
Comentários
5 Comentários

5 comentários:

Bruno disse...

Tbm adorei o episódio. Só me decepcionei com a participação da Amélia. Criei muita expectativa com esse encontro durante o desenvolvimento do Crossover em PP e me decepcionei. Mas nada que retire o brilho do episódio.

Guilherme disse...

o Homem Arvore foi tenso :S

Diogo disse...

A Amelia ja era chata e sem propósito em PP, em Grey's entao, que ela foi mais inútil e chata ainda... quem sabe ela nao serve pra mais alguma coisa lá pra frente.

Lu VC disse...

A Shonda não se contenta em fazer de PP um lixo. Ela ainda faz crossover e estraga o mais fofo "wanna be couple" de greys. Q ódio! O episódio foi ótimo, até os 40s finais com o Sloan sendo o Sloan de sempre. Na boa, se até HOUSE muda o Sloan ser mais do mesmo é o patético. De resto, a little grey é o máximo! bjoss

jorge disse...

eu ja gostava da amy em praticas privadas... e agora que ela conseguiu impedir a volta do casal lexie sloan,eu amo ela ainda mais! sorry camis