segunda-feira, 24 de maio de 2010

Lost 6x17x18 (Series Finale): The End (Parts 1 and 2)

Não há como negar. A noite do dia 23 de maio de 2010 é uma data marcante para a história da TV mundial. Num dos eventos televisivos mais comentados dos últimos anos, deixando milhares de pessoas ao redor do mundo loucas de curiosidade para ver o desfecho da trama da Ilha, Lost acabou. É o fim de uma era.


Por enquanto, não estou debatendo a qualidade dessa Series Finale, mas falando de Lost como um todo. Quem está sempre por aqui não vai se espantar com nenhuma das minhas opiniões sobre o assunto, mas o que talvez o que eu nunca tenha comentado é que eu sinto muitíssimo por ter de falar o que tenho dito nas últimas semanas.

Eu amo Lost. Se não amasse não passaria seis anos sem perder um episódio, fazendo plantão por legendas e debatendo detalhes, easter eggs e referências. Querem mais? Eu sonhei com Lost na noite passada. Prova da minha imensa expectativa por esse desfecho. Quando caí na Ilha junto com os passageiros do vôo 815 da Oceanic, eu mal podia esperar pelo momento em que eu seria capaz de compreender a origem das coisas. Embarquei nessa viagem feliz, aproveitei cada momento e cheguei a um ponto em que percebi que a série jamais seria capaz de suprir todo esse desejo por saber. Aceito isso. De verdade. Não esperava uma trama fácil, nem respostas para tudo. Nada disso. Eu só esperava que Lost não tivesse se perdido, fazendo uso de um trocadilho infeliz.

Nessa hora, eu gostaria de ser mais como aqueles que se emocionaram e afirmam, cheios de vontade, que o final de Lost é a melhor coisa a que já assistiram. Eu estou no cordão dos insatisfeitos e até o final desse longo texto, espero conseguir explicar o porquê.

Minha sensação maior é de que Lost não resolveu nada e apenas deixou toda a responsabilidade pra o telespectador. Quem entendeu é inteligente, quem não entendeu, é burro demais e, portanto, indigno de vê-la. Pelo menos, é isso o que está em evidência nos fóruns e blogs por aí, fãs de opiniões divergentes se matando para saber quem tem mais razão. Os produtores e roteiristas tinham sim, obrigação de criar uma trama plausível e sofro ao ver fãs desesperados em criar desculpas esfarrapadas para problemas que sequer foram criados por eles. Dizem que o amor é cego e pode até ser para alguns. O meu veio com visão perfeita.

Mas querem saber a verdade? Isso não importa. Quem gostou foi porque gostou. Quem não gostou foi porque não gostou. Poderíamos passar anos tentando convencer uns aos outros e jamais chegaríamos a um acordo. Por isso, não me odeiem pelo que vou dizer a seguir, é apenas um ponto de vista e assim como eu tenho o meu, você é livre para pensar o que quiser e deixar as impressões e contrapontos nos comentários.

Agora, depois do meu desabafo, vamos a Lost.


Pelo que entendi, os Flashsideways nada mais são do que um “além vida”. Nada de realidades alternativas, universos paralelos e coisa assim. Aqueles momentos mostram os espíritos daquelas pessoas, que se encontram num momento final para, por assim dizer, seguir em frente. E o que é ‘seguir em frente’? De acordo com o diálogo de Jack com seu pai, todos estão mortos. Sim. Mortos. Isso não quer dizer que eles tenham morrido na queda do avião, mas simplesmente seguido o curso natural da vida. Morreram em algum ponto indefinido, por causa desconhecidas e agora estão ali, reunidos para finalmente encontrar a LUZ (SEMPRE A LUZ).

Em outras palavras, é como se Lost tivesse sido psicografada pelo Chico Xavier e que estivéssemos mergulhados numa trama que não é científica nem mitológica, mas espiritual e ecumênica, já que detalhes dos vitrais mostram essa convergência religiosa.

E qual é a contradição nisso? Não sei vocês, mas para mim, as explicações se chocam. Vejamos o caso do o filho de Jack e Juliet. Até onde se tem notícia, espíritos não se reproduzem, então, de onde saiu aquele menino? Ele só faria sentido numa realidade alternativa ou coisa assim, e como Locke frisa bem ao acordar da cirurgia: Jack não tem um filho. É uma questão de decidir. Ou é “além vida” ou é realidade alternativa. Os dois, ao mesmo tempo, não dá para ser.

Ao pensar nesses detalhes fiquei com a impressão de que resolveram dar esse desfecho de última hora. Porque se isso foi exaustivamente pensado, minha vontade é soltar um palavrão.

Aliás, foi exatamente um palavrão que eu soltei no momento do reencontro. Aquilo não poderia ser mais novelesco e vergonhoso. Digam que não lembraram, na mesma hora, dos finais de Manoel Carlos, com todos reunidos em festa, entre abraços, beijos e rios de felicidade? Só faltou a cena ter sido gravada no Leblon e tocar uma bossinha fajuta de fundo.

Quanto às doses maciças de amor, confesso, não me incomodaram tanto. É de se esperar que uma Series Finale seja repleta de momentos assim. O difícil foi aturar os toques mágicos ativadores de memória. Quem, em sã consciência, reagiria com sorrisos à revelação de que sua vida (ou seja lá o que for) naquele momento não é a verdadeira? Só Jack teve uma reação humana.

Quanto às aparições e retornos de antigos personagens, achei completamente cabíveis e gostei de revê-los. Shanon, Boone, Charlie, Libby, Juliet estavam ali por uma razão, mas se pensarmos em todos os excluídos dessa redenção final, a coisa fica estranha.

A grande questão aqui é que Lost foi malandra e soube justificar porque nem todos merecem o céu. Primeiro, ouvimos de Desmond que Ana Lucia não está pronta pra seguir em frente como os demais e depois, é a vez de Ben ficar para resolver suas pendências. Com isso, ninguém pode reclamar da falta de alguém (como Michael e Walt) na igreja, afinal, eles APENAS não estavam prontos.

Tudo isso reforça a teoria de Paraíso e nem venham me dizer que não. O que nos leva à simples conclusão de que os flashsideways (ou como prefiro descrever, flashloveways) são uma espécie de Purgatório.

Não estou querendo, com isso, dizer que a Ilha era o Inferno. A história da LUZ pode ser absurda e ridícula, mas pelo menos Lost nos poupou dessa conclusão.

Antes de falar da Ilha, eu quero ainda pontuar sobre Eloise. Ela sabia de tudo, deu a dica para Desmond e...mais nada. Fica lá, com cara de mamão e medinho do filho fazer a passagem pro além. Sinceramente.

A Ilha, que perdeu completamente o status de personagem principal, tão aclamado pelos produtores, também não era uma rolha. Isso, porque a rolha era uma pedra, numa caverna de Luz obviamente construída pelas mãos do homem. Não era uma coisa natural, simplesmente.

A explicação de Lost é que a LUZ representa a grande força eletromagnética ali contida. Essa mesma LUZ transformou o irmão de Jacob em fumaça , obrigando-o a “vestir” o corpo de outros para ter a forma humana e, um dia, deixa a Ilha onde nasceu. Quando Desmond retira a rolha, Lockezilla perde seu poder, já que aquela mesma força aparentemente o alimentava. Ele se torna mortal, abrindo caminho para Jack fazer o que precisa, livrando a Ilha de todo o mal, amém. Fez sentido? Fez. Mas que perigo tão imenso é esse, minha gente?

Honestamente, eu gostaria de saber que mal tão grande a humanidade sofreria com o passeio mochileiro de Lockezilla. O problema não é fazer sentido . É entender porque alguém se preocuparia em criar uma história dessas que não deveria existir sem o princípio básico da CONSEQUÊNCIA.

Não sei se vocês são capazes de entender o que quero dizer, mas em linhas gerais, quero demonstrar que sem motivos reais e concretos para temer a saída do Monstro de Fumaça, todo esse drama é desnecessário.

Jack fez o que fez porque comprou a história de Jacob, que acreditou em sua mãe adotiva e assim por diante, numa história tão complexa que precisaríamos remontar à explosão que criou o universo para chegarmos às suas origens. Isso para dizer o mínimo. O que realmente importa disso tudo é que o pobre Lockezilla passou, sei lá, séculos, tentando sair dali para morrer sem sequer soltar uma última bufa preta e fumacenta.

Apesar de eu achar tudo isso muito fajuto e mal construído, devo dizer que Jack me emocionou e isso nunca tinha acontecido antes. Jack e Kate. Jack e Desmond. Melhores cenas de despedida do episódio, embora eu tenho notado que o amor profundo de Kate não chega ao ponto de ela ficar na Ilha, presa para sempre com seu adorado.

Uma coisa que me incomoda é o fato de Miles ter mais destaque no episódio final do que Sayid, por exemplo. Miles nunca prestou para nada em Lost. Fora isso, Lapidus retorna, mas só porque ninguém mais podia pilotar aquele avião e Richard Alpert torna-se mortal e ganha UM cabelo branco, sem maiores explicações.

Uma das piores coisas foi o rito de passagem. Quer dizer, o momento em que Hurley bebe água suja. Então é assim? Nem precisa mais falar o latim ou dizer Parangaricutirimirruaro? Poupe-me, Lost.

Deixando de lado muitos outros detalhes, que ficarei feliz em debater nos comentários, caso vocês notem que deixei passar alguma coisa e se houver paciência para mais após a leitura dessa bíblia, passarei para a sequência final de Jack. Poética?

Sinceramente, não sei julgar. Ao longo desses seis anos o que muitos temiam era que Lost acabasse com Jack abrindo os olhos, assim como no episódio Piloto. Talvez para provocar, escolheram exatamente aquela floresta de bambus para assistirmos ao momento épico em que Jack fecha os olhos. Como Lost fez questão de frisar, ninguém morre sozinho, então, Vincent estava lá para lamber o corpinho defunto de Jack e assistir o avião partir. Ainda com muitas perguntas e carência de respostas, ficamos com o que é certo. Lost acabou. É o fim de uma era e Hurley e Ben, se tornam a versão tropical e de Batman e Robin.
Comentários
45 Comentários

45 comentários:

Orenji disse...

Eu sou um dos que gostaram do final lost. Foi uma série genial e muito provocativa. Tenho muitas perguntas ainda, mas a história em si terminou pra mim quando o monstro morreu. Lost sai da minha vida com um saldo extremamente positivo.

Mas lost tem sim seu lado galhofa:

Vendo denovo a cena da igreja eu fiquei observando o Aaron e pensei: Puts! O Aaron acabou de nascer e ja tá morto!

Mas aí eu fui pensar melhor e lembrei que a Sun estava grávida no flashsideway. Então quer dizer que a filha dela Ji Yeon tb estava lá, morta! Ou só conta se for depois do 4º mes de gravidez? É considerado aborto? :)

See you in another life, brother!

Andrew Maxwel disse...

Pois é, acabou. Eu acho que gostei. Ainda não consegui me decidir, mas creio que o final foi positivo. Eu vi todos os defeitos que você viu, toda a cafonice, todas as cenas mal feitas, mas mesmo assim eu consigo ver o copo meio cheio. No fim, a paixão de fã fala mais alto e, depois de ter curtido cinco temporadas, não é uma temporada medíocre que vai me fazer mudar minha opinião. E esse finale foi bem melhor que o nível dessa sexta temporada. Apenas gostaria que a parte sobrenatural não tivesse engolido a parte científica que, depois de tanto ser explorada, acabou reduzida ao eletromagnetismo de uma luz misteriosa que ninguém sabe como foi descoberta. Enfim, entre trancos e barrancos, acabo uma viagem com um gostinho amargo, mas que não tira o gosto doce que a série me deixou durante sua trajetória. The End.

Adriana disse...

Se a série desde o início tivesse sinalizado que iria pra esse lado vida após a morte esse final caberia perfeitamente... mais não foi isso que aconteceu durante pelo menos 4 anos! E o que deveria se temer tanto se o monstra saísse da ilha? Ele virou isso pq foi enganado desde o início pela louca que se dizia mãe!!! Não sei que tipo de explicação os fãs mais "cultos" de Lost irão dar pra esse final? Acredito que nada do que for dito justifica esse final! E sou fã de Lost sim! Não perdi um episódio neste 6 anos, mais estou frustada com esse final!!!!

@moscato disse...

Camis,
Estou desolada!!! Sei exatamente do que vc está falando e agradeço ao poder compartilhar com alguém isso de igual pra igual!! Que palhaçada, me sinto enganada ao extremo!! Nenhuma explicação, antes fosse as histórias do Chico que sempre tiveram uma boa explicação e sólida e lúcida!!!Em Lost fomos convidados a responder milhares de perguntas e não obtivemos sequer uma resposta plausível!! Eu fiquei emocionada também com alguns reencontros pq realmente os atores são excepcionais e conseguiram sempre nos prender em seus personagens, mas esses caras Damon e Carlton são uns bons fazedores de dinheiro isso sim, nos prenderam magistralmente com uma trama de suspense e inventaram um monte de elementos e não nos deram nada, nada mesmo em troca disso, fomos fiéis à sua capacidade de tentarem pelo menos ser geniais e eles se revelaram escritores de novela mexicana, onde só o drama tem lugar, a ficção mesmo ficou desconstruída, até nas explicações mais fajutas de alguns episódios de Star Trek nunca vi algo assim tão sem pé nem cabeça!!
Amigos fãs que pensam como eu, meus pêsames!!

jof disse...

Spin-off de Hurley e Ben em uma aventura muito louca e do barulho JÁ!

Diogo disse...

ótmia review, e com a introdução, espera-se que afaste os fãns xiitas que não sabem respeitar uma opinião diferente da deles.

Não sei se tenho mais algum ponto que vc não abordou pra acrescentar além do que eu achei do episódio, pelo menos não agora. O que sei é que foi uma grande decepção.

O flashsideways ironicamente se tornou a única coisa que me interessava, e pra que? Pra descobrir que ele era o limbo...

Tudo foi em vão tudo... aquela babosera toda, todos aqueles mistérios, todas aquelas pessoas morta, vivas, zumbis, entidades, animais, monstros... tudo inútil, tudo sem sentido. Afinal tudo se resumiu a LUZ, é a LUZ. E ao Limbo, onde óbviamente todos encontram a LUZ, sem antes é claro se comprimentarem e se abraçarem no maior estilo novela da Globo.

O que posso dizer mais... Pelo menos acabou.

Camis Barbieri disse...

Orenji..eu considerei esse aspecto de Aaron nasceu morto e Sun está, tecnicamente grávida de um bebê morto. Considerei ainda que Vincent foi excluido da paz eterna. Só cortei pq o texto está gigantesco.

Bruno Carvalho disse...

Belo texto, Camis. Como você, segui fielmente Lost durante todas as temporadas (muitas vezes sacrificando horas de sono), e era um defensor ferrenho da jornada. Foi exatamente por isso que doeu tanto.
Minha expectativa era gigante (não era para menos considerando a importância de Lost para a TV), e os 10 minutos finais ACABARAM comigo.
Essa última temporada veio provar que os produtores e roteiristas não sabiam coisa nenhuma como ia terminar... Muitas pontas soltas e falhas de roteiro!

Não vou descartar a importância da série como todo, só por causa do final. Mas o tombo foi grande.

Parafraseando uma frase minah em outro review - "Eu curtí, e muito, a viagem mas descobrí, apenas ao chegar, que o destino não era dos melhores.

Talvez o tempo cure… Quem sabe dentro de alguns meses…"

GuiGo disse...

Camis tenho gostado muito de ler seus reviews independente de concordar ou nao com eles, a tua abordagem qto ao filho de Jack na realt/limbo foi certeira, os caras nao tinham ideia nenhuma onde isso ia dar.

Leo Oliveira disse...

Palmas, Camis! Corri para o Séries em Série depois o episódio para ver se você me convencia de que eu tinha entendido errado e Lost não tinha me zoado dessa maneira, mas você como uma pessoa que vê A LUZ apenas confirmou tudo o que eu já pensava.

Esse luminoso desfecho me deixou preocupado em como será minha vida alternativa depois que morrer. Tenho que selecionar, desde já, as pessoas que farão parte desse mundo, excluindo preconceituosamente negros (Rose, Eko, Michael e Walt) e impedindo de ir ao paraíso comigo latinos (Ana Lucia) e alguns asiáticos (Miles).

Fiquei encantando com a linda história de amor de Sayid e Shannon, que deram umazinha na ilha, mas são muito mais importantes um para o outro do que, por exemplo, Nadia, que foi a razão da existência de Sayid na série.

Alguém me explique o sentido de Desmond ser "o último recurso", especial, imune ao eletromagnetismo e tudo mais, se no fim das contas, Jack também se banhou em luz e não virou fumaça, mas morreu pela facada que levou de Bocaj? Sem contar toda a trajetória ridícula do Desmond no flashloveways (melhor definição ever), que não serve pra nada, já que todos veriam A LUZ e receberiam explicações for dummies do gasparzinho Christian Shephard, acompanhados de seus filhos mortos e imaginários.

Confesso que se não fosse essa explicação cretina final, se tivesse qualquer desfecho um pouquinho melhor ou mesmo nenhum desfecho, eu poderia pensar diferente a respeito do final. Como os produtores chutaram o pau da barraca e terminaram com uma gargalhada na nossa cara, depois de nos zoarem por anos negando que chegariam em qualquer explicação perto do purgatório, não dá.

PS: Esse blog me estimula a falar tudo que pensei e ruim do episódio porque tá no nível de colunistas americanos, mas amo Lost -oi-q-soutosco

Harry disse...

E acaba que no fim o MIB não era mal nenhum. Por que logo que tira a rolha da luz lá ele perde os poderes. Ou seja, ele ia destruir a ilha e ia embora para conhecer o mundo.

De qualquer maneira episódio patético como esperado.

Harry disse...

E quem morria na realidade paralela ia pra onde? (por que muita gente morreu lá). Deve existir um super-purgatório.

Carol Tan disse...

E assim....não dá pra entender mesmo...Aquele além da vida, ou realidade virtual era imaginação deles? Depois de mortos?
Só pelo fato de não ter ido parar na ilha o Sawyer virou policial, ou sempre quis ser policial e o além da vida, subconsciente dele sei lá o projetou pra ser policial..Realmente, não sei se sou só eu, mas eu não consegui entender patavinas..
E o fim, ali todo mundo de casalzinho...Foi todo mundo pro céu, é isso? Foram unidos pro Céu?
hauahuahauha...... E só mostraram como o Jack morreu...e Como os outros morreram?
Duvida: O avião não estava cheio de explosivos que o Charles WIndmore tinha colocado lá? Ou eles sumiram do nada?? Socorro!!!!!!!!!!!!!!!!

Carol Tan disse...

E outra, la no começo na Season ONE, ele falou que não, ngm estava morto...Ok...Mas cinco anos depois, qual a explicação da ultima e mais esperada temportada? Uma das coisas mais interessantes, os flashLOVEways, e lá todos estava mortos....
Aff.....Deveria ter parado na Season 4, onde eu tinha desistido, ai fui querer ser curiosa, assisti a season 5 em 4 dias, pra depois dar nisso..TOMA!

Ǻℓεи€ disse...

Quando eu começou a passar todo mundo se lembrando através do toque, pensei, vai terminar numa festa , to mundo dançando, e quando veio o final, pensei como vc, nem Maneco é capaz de tanta melozidade... Senti falta de uma bossa nova e os tchauzinhos...

Muito tosco esse final.

diogp disse...

eh dificil me manifestar a respeito deste final, acho q gostei, acho q o final contem o melhor e o pior de lost, me emocionei bastante. Nostalgia?? Eh bom lembrar dos tempos em que a serie era genail??? Pra mim The End esta bem acima do nivel da sexta temporada, bem abaixo do nivel das 3 primeiras temporadas.

Acho q a realidade alternativa era a preparação para um novo caminho, onde eles tinham q lidar com seus medos, frustrações e se redimir, por isso Jack teve um filho.

Gostei. Eh dificil dizer com convicção mas acho q gostei.

Anônimo disse...

No final das contas, o que era a maldita ilha ? Qual a sua utilidade ? Porque foram para ilha ? Fazer o que la ? Como jacob adquiriu poderes ? Porque somente ele podia sair da ilha ? Porque o irmão dele não podia sair ? O que era a realidade alternativa ? São apenas algumas das perguntas, sem respostas que faltaram em Lost. Final bem ridículo, acho que tentam imitar a caverna do dragão mas nem isso conseguirão.

tabus e tabus disse...

eu não estou chateado com o fim de Lost, eu ainda estou em estado de choque com o final da série, e acredito que por um bom tempo não vai ter algo do genero.

Foi simplesmente a melhor coisa que aconteceu na televisão por estes seis anos.
Não tenho oq reclamar.

Abraços a todos

Rafael disse...

Adorei seu comentário Camis, se expressou muito bem e praticamente como eu penso.
Na verdade quando eu vi que só havia mais dois episódios e uma porrada de mistérios sendo abertos, sem ter sido revelado os enigmas durante toda a série, já vi que os produtores não conseguiriam entrelaçar toda a trama.
Mesmo assim, estava ansioso pra ver o que ocorreria (Fã de Lost), e ao longo do episódio final até tentei por alguns instantes me enganar de que tudo estava se encaixando perfeitamente e que fazia o mais pleno sentido. Porém tive que jogar a toalha... ao ver que o finado pai de Jack diz que todos estavam mortos fiquei sem chão...até ali eu conseguiria engolir "bem a seco" que todos chegaram a ilha para serem pessoas boas e corrigirem erros de suas vidas, deixando de ser pessoas solitárias e dando algum sentido e felicidade a sua vidazinha, com a chance dada por Jacob, blá,blá blá...
E que ao morrerem ou deixarem a ilha bastaria se encontrar "no mundo real" com os personagens que dividiram as aventuras na ilha para serem pessoas felizes e completas, já que haviam aproveitado a chance de fazerem coisas que realmente tivessem importância (Salvamentos, partos, lições de fraternidade, solidariedade, espírito de equipe, sacrifícios, etc..)
Porém ao ser constatado por Cristian que todos estavam mortos, muito das respostas (as que eu já havia engolido e as que ainda estavam sem solução) vieram a tona novamente:
- Por quê Jack não virou Smoke se ele ficou na luz?
- Charles Widmore também já havia morrido e era seu espírito quem procurava a ilha?
- Walt esteve realmente na ilha?
- Por que a mãe postiça de Jacob/Smoke não queria que eles saíssem da ilha? O Que fariam em simples corpos humanos?
- Aliás, de onde veio tanta força que a mãe postiça dos dois conseguiu matar um exército inteiro, sem que ninguém reagisse?
- Que Merda de templo era aquele?
- Qual era a porra do nome do Smoke?
- Quem construiu aquela estátua?
- Por quê Jacob tinha poderes? E Por quê eternizou Richard?
- Jack tinha ou não um filho?
- O que aconteceu com o Aaron que a Kate deixou com a mãe de Claire?
Enfim pessoal, sobre estas perguntas cada um vai ter uma idéia pra resposta, acho que os roteiristas do Lost esqueceram totalmente da parte lógica, inteligente e cinetífica e partiram pra Fé, ou seja, o final ficou igual a bíblia, cada um dá uma interpretação!!
Agora se querem saber a minha opinião, acho que a idéia de um mundo paralelo seria mais aceitável do que o purgatório, plano espiritual, etc...
Pois acho que o final se encaixaria melhor nessa baboseira, e daria um sentido melhor nesta história inventada de última hora, se Jack ao morrer no fim, virasse o novo "Smoke" (já que caiu na luz) e Hurley e Ben ficariam como "Jacob", protegendo a ilha de Jack (de sei lá o quê, como era com o Smoke-locke, mais um mistério)...Sendo assim, Jack, Hurley e Ben não apareceriam na vida paralela (na festa da igreja), pois ficariam na ilha. Seria mais triste porém´com mais nexo, se Jack ficasse com seu espírito preso e hurley tivesse que mantê-lo na ilha, junto com Ben que sempre optou pela permanência. Com isso, faria sentido se Jack não se lembrasse de nada ao se encontrar com Locke após a cirurgia e Kate antes de entrar na igreja...
Bom essa é minha opinião, acho que se virasse pra esse lado seria digamos mais "admissível".

Fabio de Souza disse...

Um dos pontos falhos do final:

Desmond ficou na ilha (uma derrota pra ele). Hurley e Ben ajudaram o broda a sair do buraco e o deixaram dormindo no meio de um riacho. É o fim da história do rapaz. Beleza de destino para um(a) personagem de tamanha grandeza, que nos proporcionou episódios excelentes, como The Constant e tantos outros.

Um Parabéns aos Roteiristas! Não conseguiram acabar dignamente com a história!

Enfim, The End.

Letícia disse...

Eu prefiro guardar na memória, uma das coisas que mais me deixava tensa, e o que mais vi de legal, que foram as 3 primeiras temporadas de lost. E estou triste porque enquanto lost me surpreendia, eu sempre imaginei um final bombástico o que seria? bem eu não, só gostaria que no series finale eu pudesse pensar.Puta que pariu ( desculpe o palavrão)...esses caras são GENIOS, e essa é a melhor série de todos os tempos, porque era isso que Lost me levou acreditar que seria no começo...eu nem vou entrar nos detalhes, dos números, de dharma, das viagens, dos sussurros, da briga entre windmore x ben. Do Ben caindo no deserto...ai é tanta coisa ne?... e tipo serviu praaaa NADA.mas Ok, eu sentirei falta de verdade, de debater sobre isso, de terminar um episódio e já correr para os blogs ler as reviews. E to sentindo um vazio agora, e vários pontos de interrogação...
Eu acho assim que olhando toda esta 6ª temporada, não poderiam nos levar a outro final além desse.
Então que elimanassem todo o resto, que parece ser uma coisa a parte.
mas como disse no início, tentarei guardar as boas lembranças, porquê se for considerar o verdadeiro final de Lost, foi a maior decepção de tudo que já vi.

Bruno Ribeiro disse...

Eu gostei do final. Sem viadagem, achei lindo, tocante, perfeito. Com toda a certeza, valeram os 6 anos assistindo.
O problema é que muitas pessoas focaram na ilha, nos mistérios dela. Mas, na minha opinião, os mistérios da ilha sempre foram uma forma de manter a audiência. Lost sempre foi sobre pessoas. Livre arbítrio, destino, fé, ciência...A ilha sempre foi coadjuvante. Se vc assistir lost focando nas pessoas, nos personagens, vc verá que a série foi ótima, que o final foi perfeito. Aquele bando de fracassados tendo uma redenção, mesmo que numa outra vida....Um homem da ciência abraçando a fé......O valor da amizade, do respeito, do perdão......Enfim, valeu a pena!!!

Respeito quem tenha ficado puto com o final, mas eu achei perfeito.


Meu final de séries agora ficou assim:

Six Feet Under>Lost>Friends>Sopranos>BSG.


Sei que minha série preferida(Dexter) vai ter um lugar aí tb.

Renata disse...

Parangaricutirimirruaro......foi ótimo...........

Anda vendo chaves demais em!!!!
Eu também.....rsrsrsrsrsrsr........

Renata disse...

Parangaricutirimirruaro foi ótima............

Anda vendo muito chaves em...rsrsrsrsrsrsr......

Eu também.....rsrsrsrsrsr........

Gabriel disse...

Voce fala muito bem... falou muita coisa que eu pensava e um pouco mais.... LOST foi MUITO BOM!

coisas como:
"sem motivos reais e concretos para temer a saída do Monstro de Fumaça, todo esse drama é desnecessário."
isso eh o principal...

Mas tem outra coisa que gostaria de falar e questionar...
a ILHA E TODA SEUS MISTÉRIOS É UMA COISA.. ela existe e pronto

ja O "PURGATÓRIO" ONDE AS PESSOAS IMPORTANTES DE SUA VIDA SE ENCONTRAM PRA PODER "SE DEIXAR IR" é outra..

ja o DESMOND e seu dom é outra...
assim como outro personagems com doms...

acontece que, para essas pessoas a etapa mais importante de suas vidas foram na ILHA... e isso causou complicações que só uma pessoa como desmond poderia, esse seria seu destino, e o destino dessas pessoas precisava de Desmond.

certo?

tem coisa que se ficar pensando ainda não entendo... vou ficar lendo blogs até entender tudo!

Gabriel disse...

Orenji ..

vc esta errado, o Aron ficou vivo.. mas ele estava junto com os outros quando era Bebe (na epoca mais importante de suas vidas), por isso no PURGAS ele estava um bebe...

ali nao tinha relação tempo/espaço, e nao importava quando aron morreu.. tanto eh que a Kate e os que fugiram no aviao não morreram naquela epoca.. isso fica indeterminado...

acontece que isso soh leva a mais questoes...
entao Aron depois q foi entregue pra mae de clarie virou um drogado pela vida inteira... a ponto de quando ele foi um bebe q nem sabia oq estava acontecendo aquela foi a parte mais importante de sua vida?

ou sera pra cada pessoa tem uma igrejinha daquela? e no caso aquela seria a de jack...

Patrícia disse...

Eu concordo com vc em praticamente tudo..
Um dos pontos que fiquei quebrando cabeça aqui e se alguém puder clarear..
QUANDO FOI QUE A PENNY MORREU???

Patrícia disse...

Tudo bem.. a série foi uma das melhores, mas esses últimos 10 minutos me deixa pensando como se fosse um grande e longo episódio de Ghost Whisperer.. onde eles só precisavam ir pra LUZ!!

Rodrigo disse...

não concordo, eu vejo uma explicação sim para tudo, que talvez seja uma extrapolação daquilo que foi literalmente dito na série, mas imagino que a intenção dos roteiristas seja ESSA, deixa parte da conclusão apenas implícita, e não "for dummies".

a explicação: a LUZ é mais que o coração da ilha, é o coração da vida na Terra. Destruída a ilha (caso esta afundasse), a luz seria destruída! Em questão de semanas, meses, anos, toda a vida no planeta seria comprometida (lembrem-se do conceito da luz: vida, morte, renascimento, amor, ódio, sentido da vida... ou seja, tudo aquilo que o homem tenta há milênios explicar, e nunca conseguiu).

Se há luz dentro de todos nós, então luz nada mais é do que vida. Destruída a luz, estaria destruída a vida, e o monstro de fumaça só poderia sair da ilha se ele fosse humano, ou seja, se a luz fosse destruída.

Camis Barbieri disse...

Patrícia não é que a Penny tenha morrido durante a trama de Lost, mas naquele momento da igreja, onde a contagem de tempo não existe, ela já estava morta, assim como todos os outros, porque a vida segue seu curso e, enfim, é isso o que acontece com todo mundo.
O momento da igreja representa esse reencontro com as pessoas importantes da sua vida e o momento em que as portas se abrem para que elas possam seguir em frente para outro degrau de existência.
Pelo menos é mais ou menos isso que o espiritismo ensina, guardadas as devidas proporções.

Patrícia disse...

Pois é, menina.. depois de ler e reler e pensar de novo.. entendi isso tbm! Valeu por confirmar!
Até pq Desmond e Penny não tinha mesmo como não ficar juntos no final... estranho foi Sayd e Shannon.. mass..
Enfim..

concreama disse...

Ótimas palavras Camis....realmente, fiquei muito decepcionada no final...certas coisas ainda não entendi e acho que nem tem explicações, se puder me ajudar, ficaria feliz...
Pq o nome de cada um estava na caverna em que o lock levou o saywer e ainda com os numeros da escoltilha, cada um era um numero!!!Pq os numeros davam azar pro Hugo?? Pq ninguem podia sair da ilha...pq o widmore forjou a queda do avião!!! Estou atordoada até hoje, esperei muito pelo final...e não foi como eu pensava...lockizilla foi demais!!! rsrs

Mari Silva disse...

Cara, eu tive uma filha no intervalo da quarta pra quinta temporada. Deixaei de fazer uma porção de coisas. Mas não deixei de assistir Lost... E daí que eu me considero no direito de esperar um pouco mais. Tá certo. Depois dos primeiros eps dessa temporada, já estava até me conformando em me desapontar um pouco. Mas não tanto! E concordo com você: que mal tinha o irmão do Jacob dar umas voltas por aí?

Camis Barbieri disse...

Concreama, parece piada, mas ontem á noite eu pensava justamente nisso. E os números?
Criou-se uma mitologia imensa aí, com a loteria, o apertar de botões, os números dos assentos no avião e os nomes relacionados aos numerais na parede daceverna do Jacob. E aí?
E aí, nada. Eram números, só isso. No episódio em que revelam isso, acho que é The Substitute, deixam claro que "Jacob gosta de números". Não vai além disso e acho que os produtores querem que achemos que foi tudo uma mágica coincidência numérica.
Sobre o Widmore forjar a queda do avião, tb não posso lembrar de algo plausível para dizer. Talvez alguém que ler esses comentários saiba algo além, mas honestamente, acho que perderam a mão nesse plot. Colocaram no meio da história e deixaram por isso mesmo.

vitor hugo disse...

Só para comparar a opinião sobre finais de séries
Dude News sobre o final de 24 hora::
"Que fique claro: não vou sair por aí dizendo que perdi 8 anos da minha vida acompanhando 24 Horas
ou que vou promover uma fogueira para queimar DVDs só porque não gostei do final.
Até logo Jack Bauer e obrigado pelos muitos bons momentos de diversão proporcionados!"

O que é uma opinião de quem não pretende ser maior que a própria série, não é mesmo?

Gustavo disse...

"Honestamente, eu gostaria de saber que mal tão grande a humanidade sofreria com o passeio mochileiro de Lockezilla."

Pô, isso foi o que mais me irritou! a tal luz ficou brilhando, Mib morreu... e ai? como isso salvou o mundo? Por que diabos Flocke não podia sair da Ilha?!! E tal Luz?! Ok, ela apagou e a ilha começou a afundar... mas como isso afetaria o resto do mundo?

A realidade alternativa... o Além... Frustrante! Não consigo imaginar uma explicação pior que essa!

Sinceramente, até tava curtindo a sexta temporada, mas não esperava que o final fosse tão decepcionante.




parabéns, muito legal seu blog.

Camis Barbieri disse...

Vitor Hugo: essa foi pra mim? Não lembro de ter dito que perdi meu tempo ou que queimaria DVDS. Pelo contrário. Acho Lost uma experiência super válida, com final frustrante, mas jamais falaria uma merda dessas sobre a série que mais movimentou a Tv na história.

Rafaeli Nery disse...

Só uma frase para esse final de lost.Foi ridículo!Pelo desenrolar das coisas,eu esperava muito mais!

concreama disse...

Tem muitas coisas sem explicações mesmo, mas eu amo Lost...e continuo recomendando, mas alertando que o final não é o que esperavámos...não queria que tivesse acabado...Vou assistir tudo de novo, todas as temporadas, quem sabe não entendo melhor!!!!
Adoro Series, sou viciada em Friends tbm...estou pensando em começar a assistir CSI: INVESTIGAÇÃO CRIMINAL, será que é boa???
Fiquei mesmo triste com o final de Lost, mas uma coisa não vai mudar...AMO LOST!!! E todos os personagens!!!

Mari Silva disse...

Vitor Hugo: eu me acho maior do que qualquer série. Sou eu quem faz o sucesso de uma série, assistindo, dando audiência.

Patrícia disse...

“Não há uma teoria única para explicar Lost e nem achamos que deva haver. Apenas temos que vender uma boa história. Não sabemos se a solução do mistério das realidades paralelas fará as pessoas dizerem “Oh, que legal” ou “Oh, fodam-se esses caras”.

Li isso em uma coluna ai, palavras dos produtores.. lá em abril, onde diziam que só estavam devendo uma resposta ao público. Eu realmente deveria ter lido isso antes..

Tudo bem, conseguiram vender a história, valeu a pena todas as temporadas que vi e não me arrependo....
Mas minha opinião: "OH, fodam-se esses caras".

Gustavo disse...

Não tenho a mínima vontade de rever a Lost... não faz sentido ficar remoendo detalhes que simplesmente não têm explicação, muito sobre o que se teorisa são meros recursos que servem unicamente pra aumentar o clima de mistério da série ...

Que nem tudo seria explicado... isso eu aceitei numa boa, quando falaram que só deviam a resposta do que é a realidade alternativa, eu achei perfeito, tinha certeza que isso estaria interligado com a Ilha... pra mim bastava saber como proteger a Ilha salva o mundo... qual o grande propósito nisso que justificasse tantas mortes. Infelizmente isso foi respondido com uma luz...

Lost vale pelos próprios personagens, pelo lado emocional e tal... pelas reviravoltas que foram bem empolgantes. Mas esse final desmerece toda trama que criou-se quanto a importância da Ilha.

Quanto ao que realmente importa, não há mais o que entender.
Tudo o que aconteceu desde a queda do avião é consequencia da intervenção de Jacob...
o objetivo era encontrar um novo protetor pra ilha... ele encotra.
Jack mata Mib, impede que a luz apague e a ilha afunde. Todos morrem e se encontram no além. FIM.

Diogo disse...

Poisé Gustavo, eu tambem não tenho a menor vontade de rever Lost. Eu tinha, antes eu pensava que depois que terminasse iria rever tudo pra começar a encaichar bem as respostas nas perguntas e compreender melhor os detalhes deichado pra trás... mas depois desse final, qual é a importancia dos detalhes? Nada mais importa depois desse final, nem vale a pena assistir tudo de novo pelos detalhes, porque esses não tem menor importancia... o que é incrivelmente paradoxal com a série que no inícil venda-se como se cada detalhe fosse importantissimo, cada número, cada letra, cada nome era significativo... no final não era bosta nenhuma... é tudo LUZ e pronto. Provavelmente nunca mais verei Lost de novo, uma pena.

zenon santiago disse...

Acho que fui um dos únicos que gostaram do final aqui...Acho que muitos não estavam preparados para aquilo.Também não entendo o odio da Camila por isso,pela luz ou qualquer coisa.Só sei que aquela luz era a energia de tudo aquilo que era a ilha,o electromagnetismo,energia que viaja no tempo (?) etc. Não é só uma luisinha,ja que pelo jeito vcs viram por esse lado "se apaga a luz o mundo acaba!" pelo que vi a luz é apenas uma bosta de luz! provocada pela imensa energia brilhante (brilhante quer dizer que faz luz) que é o coração da ilha,que esta provem de imensas energias (na ciência seria o tal electromagnetismo) e que não é só uma maldita "energia magnética" mas também controla/flue o tempo espaço.

Não entendo o gosto e opinião de voces aqui,tamém esperava um pouco mais do final,mais,não foi tudo aquilo que achava que seria pelos comentários "Foi um lixo' "não entendi nada!" e tals.Só deixaram algumas perguntas e ponto final.A maioria foram respondidas.Realmente gosto é gosto,e opinião é opinião.Achei todas as temporadas perfeitas,o final não foi perfeito,deixando algumas perguntas (a maior na minha opinião é os numeros [que pra mim parece que foi mais um monte de coicidencia e golpes do destino] e claro a bomba que foi tacado em uns dos centros de energia da ilha),mas muito bom.E sim,terminei hoje Lost,melhor série que assisti.

Arlane Gonçalves disse...

Eu acho que nunca chegarei a uma conclusão sobre esse final de Lost.

Acabei de assistir a série e vim ver o que você tinha a dizer sobre o Series Finale. Confesso que sempre ouvi falarem mal do final, por isso não tinha expectativas.

Fiquei emocionada no final, mas lembrei imediatamente das novelas da Globo mesmo. Muito Manoel Carlos aquilo.

Mas como falei no início: nunca saberei o que pensar do final de Lost. Ela é muito boa para ter terminado se convergindo para algo simplesmente místico e religioso, mas também muito complexa para ter uma explicação plausível.

A sensação que fica, no entanto, é de dever cumprido. Por mais novelesco que seja todos terminarem juntos e felizes, foi bom ver o grupo reunido em paz. Pelo menos um final feliz depois de 6 temporadas de sofrimento.