quarta-feira, 19 de maio de 2010

Lost 6x16: What They Died For

"Não temos tempo para finais mal-concluídos". Essa frase não é minha ou de algum fã revoltado. Essa frase foi retirada do Piloto de Lost e vocês podem comprovar acessando a Lostpedia, onde há uma página dedica à tradução dos sussurros. Então, Lost, se o que você diz é realmente a sério, é bom que a Season Finale seja de cair o queixo, porque até agora está difícil de acreditar que teremos algo além do medíocre.

Minha insatisfação continua, como todos podem ver, com o agravante de que eu sinto, de verdade, que perdi 40 minutos irrecuperáveis. Pode até parecer que eu gosto de ser “do contra”, mas a verdade é que eu sempre amei Lost, acreditei na série e agora, estou frustrada.

Quando eu li essa frase com a qual inicio o texto, ri da profunda ironia que ela representa. Parece piada de mau gosto, até. Pretendia usá-la em algum momento por aqui e sinto que chegou a hora.

Sejamos honestos: O que "What They Died For” trouxe? Pelo menos uns 20 minutos muito parados e sem conteúdo e algumas mortes interessantes. Para mim, esse é o resumo da ópera.

Minha esperança (que ainda existe e parece mesmo ser a última que morre) está nos flashsideways. Nunca imaginei que diria isso, mas quando a Ilha te dá um compilado de frases bregas para guardar no caderninho, resta esperar que a grande reunião que Desmond pretende promover seja estupenda. Aliás, quero que guardem essa palavra. É preciso algo estupendo para me convencer de que essas seis temporadas valeram. Obviamente, a trama que se desenrola fora da Ilha foi mais interessante e Desmond se consagra como o grande destaque da série, roubando o lugar que já foi de Benjamin Linus. Até porque, ele é a última cartada eletromagnética desse jogo onde eles fazem as regras e nós nem podemos perguntar quais são.
À parte das estratégias do Brotha e da nossa expectativa em ver o que vem depois disso, não houve grandes novidades nesse arco também, além da intenção de mostrar que é tudo obra do destino e que não há como fugir.

Dentre as aparições, tivemos Danielle, quase irreconhecível depois de tomar um banho e pegar emprestada a chapinha do Sayid. Pior, se engraçando para cima de Ben e querendo arrumar marido com doutorado. Ana Lucia também retorna para uma aparição rápida, sem grandes consequências, servindo apenas para satisfazer os fãs saudosos da personagem.

Na Ilha, gostei de ver a morte estúpida de Tina Fey, digo, Zoe. Prazer inenarrável ver uma garganta sendo cortada. A eliminação de Widmore selou a vingança de Ben e Richard Alpert... morreu? Até agora achava que ele fosse imortal, mas vai saber.O único esperto foi Miles, que correu pro matinho e se escondeu nos arbustos.

E então, voltamos ao grande mote da série: A LUZ. Ainda inconformada com essa saída cretina dos roteiristas, assisti Jacob explicar a grande pergunta do episódio: afinal, por que eles morreram? A resposta é simples sim, mas continua vazia. Todos morreram para proteger a LUZ que existe dentro de cada homem, e é apenas isso que precisamos saber.

Foram momentos vergonhosos. Cheguei a corar com o discurso cafona de Jacob sobre livre arbítrio e vidas solitárias. Teria sido muito mais honesto ele virar para Jack, Kate, Sawyer e Hurley e mandar cada um escolher seu destino pela sorte no palitinho. Depois, vem a grande hora de tomar a poção dos ursinhos Gummy  e conhecer o caminho para a LUZ.
Fiquei perplexa. Jack, médico cirurgião, deixa a carreira de lado para aceitar um trabalho não-remunerado de alta periculosidade, sem direito a férias, plano de saúde ou aposentadoria, para , basicamente, cuidar de um lampião.
Isso sem falar na desculpa ótima para riscarem o nome de Kate: ela virou mamãe! E a Sun era o quê? Babá? Jin não poderia ser considerado pai porque só viu a filha por foto digital? Simplesmente não existe lógica nesse roteiro.
Agora que Jacob foi do pó ao pó e o pó que havia foi destruído, Jack tem que impedir que Lockezilla retorne para a grande fonte luminária e sei lá, destrua a humanidade de uma vez por todas? Essa seria a única razão para alguém aceitar essas condições de trabalho escravo. Eu, por enquanto, fico com mestre Hurley e estou feliz que o emprego não seja meu.
Comentários
9 Comentários

9 comentários:

Leo Oliveira disse...

Essa frase dos sussurros diz tudo. Principalmente porque está escrita de preto num fundo branco. É uma frase boa e é uma frase má. E é também uma frase que nos deixa puta revolts.

Agora que a raiva passou, devo dizer que adorei a Danielle Rousseau toda fogoda pra cima do Ben e que foi de uma poesia ímpar a Tina Fey ter sua importância reconhecida naquele todos julgavam ser o episódio dela (e que seria mais interessante se fosse). E foi só disso que gostei também, porque puta merda, né?

Faço aqui meu pedido público de desculpas à Camis, por todas as semanas em que ela tentava desabafar sua raiva e eu minimizava o problema, pois ao menos como comédia a série estava servindo. Agora, sem Tina Fey, nem isso. Desculpa, Camis. Desculpa, Brasil. E desculpa, Flash Forward, que provavelmente terminará de forma superior a Lost e a gente nem se deu ao trabalho de conferir.

Fernanda disse...

Pega o "O Aprendiz" e mistura com o "No Limite", acenda uma luz e teremos Lost. :D

Jean Reis disse...

Amigos...

Nessas 6 temporadas, de todo, tivemos momentos maravilhosos, tivemos episódios que a meu modo de ver, foi algo inesquecivel, como um dos meus preferidos quando Desmond pede pra Penny ir no endereço marcado após 4 anos, realmente marcante. Lógico que tivemos outros bons momentos, cada um aqui com certeza tem em mente um episodio marcante, senão, noa faria sentido estar acompanhando a série, ainda sim, como expectadores assiduos, esperamos um fim "decente", Decente não quer dizer que venha algo totalmente fora dos padrões de Lost, Até aqui, lidamos com coisas malucas, bizzarices até, urso polar numa selva, ilha mudando de lugar, enfim varias coisas insanas, então não vamos nos surpreender com coisas que já é padrão lost. É isso

Diogo disse...

Jean Reis, todos amam esse episódio do "brotha", aquilo era episódio de Lost. Mas vc ta me disendo pra não me surpreender com coisas que ja são padrão de Lost, vc acha que a LUZ que a tudo ilumina é padrão de Lost?

Agora sem Tina Fey, Lost não ganha mais todos os emmys e globos de ouro de comédia... que pena... mas ainda temos flashforward pra isso.

Ah, eu nun vou nem me dar o trabalho de comentar esse episódio... a LUZ me cegou. Vou só esperar agora o último pra ver se ainda tem alguma esperança de ver a série que eu gostava (e muito) voltar a ser algo decente... que seja pelo menos plausível.

- Gean Carlos disse...

Sério, eu estou frustrado!
como assim todos esses 6 anos foram pra descobrir que o jack era o único idiota o suficiente pra aceitar o encargo de cuidar da luz dos power ragers? ahh cara, sério!

se esse num fosse o penúltimo ep. e ainda existisse mais uma temporada eu parava aqui!

Edson Oliveira disse...

Depois de ver o episódio,e de posse de todas as pistas, percebi que não sei de nada. Percebi também que as pistas que vínhamos coletando nos últimos seis anos não valem de nada, e que nós, espectadores, somos como os homens acorrentados com Ricardo: no escuro, jogados de um lado pro outro, e prestes a abraçar o capeta. Lindelof e Cuse querem nos tratar como os últimos candidatos: Quando a fogueira apagar, não vamos mais ver nada. E o que muda? Porque estamos vendo, mas não estamos entendendo nada. Os bolões, os bingos, as apostas que foram feitas em cima da condução da série perderam todo o sentido. Eu quero minha vida de volta!

Alessandra disse...

E a estátua quem construiu? Pq as mulheres não conseguiam engravidar na ilha? De onde vem todo o dinheiro que Ben e os Outros utilizavam, não poderia ser de Widmore, já que o mesmo tinha sido banido da ilha. Pq Jacob trouxe um monte de gente para a ilha para viver nos templos,se os candidatos eram só aqueles que conhecemos?
Quem construiu o templo? E a estátua? Como iniciou a Iniciativa Dharma e como descobriram a Ilha?De onde veio a "sabedoria" de Jacob se a "mãe" que passou a bola morreu sem ensiná-lo, como um mestre faz com um discípulo? Pq introduziram o assunto da física com Faraday e da viagem no tempo? E a equação de Valenzeti? Como Jacob e Richard saíam da ilha e voltavam?Quem colocou a roda no lugar depois que a "Mãe" do Jacob destruiu tudo? E quando estavam fora da ilha, Jack viu seu pai e a Kate viu a Claire, era mesmo a alma dos mortos, ou a fumaça? E se a fumaça sai da ilha pq está presa?
E a bomba atômica da Juliet fez efeito ou não?
Acredito que se tudo isso não for explicado de uma forma plausível, se falarem só de "Luz" e o resto for esquecido, teremos todos caído num verdadeiro engodo armado por roteiristas excelentes na técnica de criar suspense, pq realmente nisso não podemos negar eles são os melhores, mas criar um monte de suspenses que levarão a nada, a respostas desconexas, até eu, a genialidade estaria em "amarrar" todas essas linhas magistralmente e dar um ponto final nessas questões, e depois se quiserem dar a entender que continuarão ou não se ferrando é só um detalhe, para mim o que importa é a coerência, estou torcendo para que o Finale seja realmente digno desses 6 anos.
Abraço a todos

Alessandra disse...

E a estátua quem construiu? Pq as mulheres não conseguiam engravidar na ilha? De onde vem todo o dinheiro que Ben e os Outros utilizavam, não poderia ser de Widmore, já que o mesmo tinha sido banido da ilha. Pq Jacob trouxe um monte de gente para a ilha para viver nos templos,se os candidatos eram só aqueles que conhecemos?
Quem construiu o templo? E a estátua? Como iniciou a Iniciativa Dharma e como descobriram a Ilha?De onde veio a "sabedoria" de Jacob se a "mãe" que passou a bola morreu sem ensiná-lo, como um mestre faz com um discípulo? Pq introduziram o assunto da física com Faraday e da viagem no tempo? E a equação de Valenzeti? Como Jacob e Richard saíam da ilha e voltavam?Quem colocou a roda no lugar depois que a "Mãe" do Jacob destruiu tudo? E quando estavam fora da ilha, Jack viu seu pai e a Kate viu a Claire, era mesmo a alma dos mortos, ou a fumaça? E se a fumaça sai da ilha pq está presa?
E a bomba atômica da Juliet fez efeito ou não?
Acredito que se tudo isso não for explicado de uma forma plausível, se falarem só de "Luz" e o resto for esquecido, teremos todos caído num verdadeiro engodo armado por roteiristas excelentes na técnica de criar suspense, pq realmente nisso não podemos negar eles são os melhores, mas criar um monte de suspenses que levarão a nada, a respostas desconexas, até eu, a genialidade estaria em "amarrar" todas essas linhas magistralmente e dar um ponto final nessas questões, e depois se quiserem dar a entender que continuarão ou não se ferrando é só um detalhe, para mim o que importa é a coerência, estou torcendo para que o Finale seja realmente digno desses 6 anos.
Abraço a todos

- Gean Carlos disse...

Sério, eu estou frustrado!
como assim todos esses 6 anos foram pra descobrir que o jack era o único idiota o suficiente pra aceitar o encargo de cuidar da luz dos power ragers? ahh cara, sério!

se esse num fosse o penúltimo ep. e ainda existisse mais uma temporada eu parava aqui!