quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

One Tree Hill 7x15: Don't You Forget About Me


Sou apaixonada por One Tree Hill. Na verdade é até mais do que isso e tenho certeza de estou diante da melhor série teen já feita quando, de tempos em tempos, a produção nos presenteia com um episódio como ‘Don’t You Forget About Me’ que foi literalmente inesquecível e até me deixou arrepiada.

Trilha sonora e referências a grandes filmes dos anos 80 e 90 deram o clima dessa homenagem a John Hughes, diretor e produtor de clássicos que marcaram minha infância e que sou capaz de parar o que estiver fazendo para ver mais uma vez na Sessão da Tarde. Verdade seja dita, eu não saberia dizer, pelo nome, que era ele o homem responsável (ou parcialmente responsável) pela existência de Breakfast Club (Clube dos Cinco), Pretty in Pink (A Garota de Rosa Choque), Sixteen Candles (Gatinhas e Gatões) e o clássico dos clássicos, Ferris Bueller’s Day Off (Curtindo a Vida Adoidado). Observando a lista de trabalhos de Hughes notei que vi absolutamente todos os filmes em que ele esteve envolvido e, portanto, sou uma fã incorrigível de seu trabalho sem sequer ter conhecimento disso. Só posso dizer que a homenagem de One Tree Hill foi acertada e emocionante, a começar pelo clássico de Breakfast Club na abertura do episódio. Aliás, essa mesma música dá nome ao episódio e só posso dizer que, depois dessa, realmente não vou mais esquecer quem é John Hughes, que faleceu em agosto de 2009.

Feita aqui também minha homenagem, vamos falar de mais esse capítulo fantástico. Adoro quando One Tree Hill tem esses episódios que não interferem na história em si, mas que servem para criar um vínculo ainda maior do público com a série.

O pano de fundo para esse grande revival é a arrecadação de fundos na Tree Hill High para um programa de artes. Além disso, é também aniversário de Haley, coisa que absolutamente ninguém lembra, numa clara alusão à Sixteen Candles. Assim, ela passa o dia todo esperando ouvir os parabéns, mas só consegue ficar frustrada. Enquanto isso, Nathan e Clay têm seus próprios problemas automobilísticos para cuidar, depois de uma sucessão de eventos desastrosos numa viagem de machos. Aliás, como muitos já tem notado por aí, essa relação de Clay e Nathan está ficando estranha, já que os dois têm o maior número de declarações de amor por episódio já vista na história da TV. Se os dois estão tendo um caso? Vou continuar achando que apenas intriga da oposição, até porque, Nathan foi capaz de pegar carona num caminhão cheio de porcos, só para rever Haley. A relação de Clay com os suínos acabou me convencendo de que ele e Drama Quinn são perfeitos juntos. Ela adora ter diálogos com vacas e ele, criou amizade fácil com os porquinhos. Coisa linda de se ver. Além disso, Drama Quinn lida com a concorrência de Kylie que é uma fã vingativa e obsessiva de Clay, ao mesmo tempo em que posa de mulher perfeita para Mouth, na citação de Weird Science. Além disso, fiquei com a nítida impressão de que a loira perfeita para Mouth pode ser a ex-namorada de Skills, mas acho que já disse isso antes.

Já Brooke e Julian foram os responsáveis, mais uma vez, pelo dramalhão do episódio. Fica essa tensão entre eles, mas o relacionamento está parado. Nenhum dos dois segue com a vida e também não assumem que querem voltar a ficar juntos. Sinceramente, isso me aborrece muito e é chato demais reviver todo esse problema e possibilidades de triângulos amorosos novamente. Se bem que senti uma vibe entre Alex e Alex e talvez isso realmente se confirme.

Julian, apesar dos pesares, é o responsável por todo esse sentimentalismo em torno de John Hughes, afirmando que seu maior desejo é que o filme que está prestes a filmar seja um pouquinho como os dele, memorável e despretensioso.

Mas, nada se compara a Jamie e sua armação para ficar sozinho em casa, na recriação de Esqueceram de mim, onde Junk e Fergie escaparam da fúria do sabre de luz, mas não dos tiros de paintball. Mais uma vez, o garoto prova que é mesmo um ator muito bom e surpreende até mesmo Haley, que chega em casa, depois de um dia cheio de decepção e encontra tudo preparado para seu parabéns com final feliz com gostinho de anos 80.
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

JC disse...

Eu também adorei esse episódio, embora tenho lido algumas reviews com criticas negativas, talvez porque ninguem assistia sessão da tarde, assim como você adoro os filmes do John Hughes, juntando com os momentos nostalgia e sem brigas de Julian e Brooke, Don't You Forget About Me será inesquecível!

JC disse...

Eu também adorei esse episódio, embora tenho lido algumas reviews com criticas negativas, talvez porque ninguem assistia sessão da tarde, assim como você adoro os filmes do John Hughes, juntando com os momentos nostalgia e sem brigas de Julian e Brooke, Don't You Forget About Me será inesquecível!

karinaono disse...

O melhor foi o beijo "a la" Sixteen Candles de Nathan e Haley, muito lindo!

Ps.: pensei que esse bromance entre Nathan e Clay só incomoda a mim rs