quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Friday Night Lights 2x15 (Season Finale): May the Best Man Win



A temporada acabou e ainda estou esperando os episódios ruins.Obviamente, por conta da greve dos roteiristas em 2007, quando tudo foi filmado, houve algum dano á história e uma temporada curta. Mas nada disso estragou minha obsessão por Friday Night Lights e, como já me disseram que a 3ª temporada é excelente, minhas expectativas estão realmente lá no alto.


Agora, preciso dizer que essa Season Finale não foi tão emocionante quando a primeira, mas teve seus momentos interessantes. Tim Riggins se confirma como o grande galã da série e suas peripécias para chamar a atenção de Lyla dão o tom bacana do episódio e motivam a mulherada a assistir. Adorei ver a Lyla doida por mais do que beijos com o Chris. Dava pra perceber que o nome de Tim passou pela cabeça dela naquela hora de necessidade. O programa de rádio dele sobre esportes é tão canalha que simplesmente não pode melhorar. Aposto nesse romance para movimentar a 3ª temporada, sem dúvidas.

Smash, que corria o risco de ficar sem faculdade, teve a ajuda do treinador e conseguiu uma bolsa completa. Ainda assim, está infeliz. Mas é bom, para aprender com a vida e tirar o ar daquele enorme ego inflado.

Jason é provavelmente, o cara de 19 anos mais feliz com a paternidade que já se viu. Foi inédito ver um homem implorando para a garota com quem dormiu uma vez ter o bebê, gerado ali. Essa história, pra mim, é um ponto fraco da temporada, já que Jason perdeu completamente o foco na série e não vejo utilidade no personagem. Repito que foi o mesmo caso de Santiago, que achei que traria alguns conflitos, mas não serviu pra nada, nem mesmo para agitar o time de futebol.

A trama toda de Matt foi uma pasmaceira sem tamanho e Julie foi outra chata, que se especializou em virar olhos e bater portas, além do PHD em birra e infantilidade.

Já a história de Tami, veio crescendo. Começou com a bebê chorona e terminou com imensas crises de ciúme de Eric. Gostei de ver a relação do casal abalada e com mais foco, mas pelo amor de Deus, onde é que me arrumaram aquela criança tão esbugalhada e cabeçuda? É de meter medo em qualquer um. Além de Glen, que na verdade nunca ofereceu perigo, a chegada de Mo, o ex-namorado de escola de quem Taylor roubou Tami, foi bem interessante. Os dois se batendo no restaurante como dois moleques foram hilários.

Sem dúvida, Tyra e Landry se transformaram nos grandes destaques da temporada, não só pelo romance, mas por todo o lance do assassinato. Foi mais ou menos como eu previa e não me decepcionei.

Espero, porém, que essa coisa de igreja acabe logo. Não tenho muita paciência pra essa pregação sem fim, mas sei bem que há quem goste e aprove. Disso tudo, eu gosto mesmo é da palhoça de Tim Riggins, que é sarcasmo em pessoa e me deixa feliz, em cada uma de suas piadinhas veladas e falsidades bem colocadas.
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Werther disse...

eu também não achei a segunda temporada ruim como dizem não, não é como a 1a, 3a ou tem sido a 4a, mas ainda assim é mt boa, e melhor q 90% do q passa na tv!

ah, e parabéns pelo blog e pelo empenho! eu sempre vejo as atualizações (e nunca comentei, admito, estou tentando contornar esse erro) e fico impressionado como vc atualiza tanto! haha graças a vc comecei algumas séries como being erica e breaking bad, e nao me arrependi!

Camis disse...

Olá Werther! Obrigada pelo comentário! Being Erica e Breaking Bad são duas ótimas adições a sua lista, que bom que eu ajudei nisso. Quanto às atualizações, só posso repetir minha máxima: não durmo e não tenho vida social. kkkk

Werther disse...

com certeza! inclusive being erica me surpreendeu e mt, não esperava nada, mas vc elogiou tanto q acabou me convencendo!

hahaha eu estou numa fase q estou tentando entrar na sua máxima também! cansei de vida social um pouco hahaha