sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Being Erica 2x01: Being Dr. Tom


Coisa boa ver Being Erica de novo. Nem faz muito tempo que encerrei minha feliz maratona e já posso conferir a segunda temporada. A série continua uma graça e virou meu xodó. Fiquei impressionada em ver como conseguiram fazer aquela mesma série cativante, mas com uma abordagem tão diferente da primeira temporada. Quem ainda não viu deve aceitar minha recomendação e conferir os 13 episódios da 1ª. Certeza de que vai querer continuar vendo mais e mais, assim como eu.

Então, deixamos Erica conhecendo sua nova terapeuta, a Drª Nadiah, depois daquela baita encrenca com o Dr Tom. Para começar, ela não aceita nada bem a mudança e quer largar a terapia. Erica volta à sua rotina normal, mas tudo é planejado pelo destino para colocá-la de volta nos trilhos. Até mesmo quando um estranho esbarra com ela na rua e derruba seu café, não é por acaso. Na editora, ela ganha a oportunidade de editar um livro de temática sexual, o que deixa Brett muito chateado. Na vida pessoal, o namoro com Ethan vai bem, obrigada. Aparentemente tudo está ótimo, não fosse pela terapia. Drª Nadiah afirma que Erica tem de honrar seu compromisso e dessa vez, a visita ao passado não é sobre ela consertando um erro seu, mas sobre ajudar outra pessoa. Sem escolha, Erica não demora a identificar o objetto de sua ajuda: Dr.Tom. Mas em 1998 ele não é terapeuta, não a conhece e afoga as mágoas em muito whisky, no bar onde Erica trabalha como garçonete/dançarina, ao estilo Coyote Ugly. Em sua conversa com Tom Wexlar, ela conhece um homem amargo, depressivo e agressivo, que espanca um garoto que mexe com Erica de forma grosseira. Drª Nadiah ainda vai além e mostra o momento em que Tom chega ao limite e comete suicídio. Assim como aconteceu com Leo, Erica quer evitar o pior. Conversa com um Tom descrente e deseorientado e simplesmente não pode salvá-lo. A visita ao passado é interrompida por Ethan, que a trás de volta à realidade durante o jantar romântico. Mais tarde, Erica pesquisa sobre Tom Wexlar, descobre detalhes e junta os pedaços de cada fato que tomou conhecimento para seu encontro com o terapeuta. Ela abre a porta devagar, com aquele receio de não encontrar o que quer do outro lado, mas lá está Dr Tom. Ele pede desculpas por seu comportamento agressivo na última sessão e leva Erica para 1996, onde ela pode ver Sarah, a filha de Tom desaparecida desde a discussão que Erica pode assistir de camarote. A grande sacada é que Dr Tom é como Erica. Tem seus arrependimentos do passado e também está aprendendo a lidar com eles. Erica se mostra muito evoluida perto daquela mulher sem rumo que vimos no episódio piloto. É ela quem mostra a Dr Tom que ele não precisa ser perfeito e que um terapeuta pode errar como qualquer pessoa. Essas palavras, ao que parece, vão reunir a dupla novamente e levantam muitas questões novas sobre o que vem por aí. Uma delas é o que é, afinal, Dr Tom? Um anjo? Além disso, quem são todas as pessoas que Erica começa a notar que estão em seu caminho com o claro propósito de guiá-la? Todas essas perguntas só saberemos com o tempo e não vai nada difícil de esperar assistindo mais Being Erica.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

karlinha disse...

Oi!!!!! Nossa, amei o blog de vcs, parabéns. eu amo being erica.
Sabe o que eu tó começando a desconfiar...
que o dr.tom...está apaixonado pela erica.!

jjlle disse...

Tô super curiosa também! E lá vamos nós para o 2.02, estou esperando ansiosamente o seu comentário.