sexta-feira, 22 de março de 2013

Pretty Little Liars 3x24 (Season Finale): A Dangerous gAme

 
 
De volta ao lugar de onde jamais saímos.

Essa Season Finale de Pretty Little Liars pode até parecer engraçada e reveladora, mas não é. Na verdade, ela cumpre  a função de fazer uma boa parte de o público acordar, porque não é pequeno o número de pessoas jurando que só voltam para ver a Series Finale (seja lá quando ela for acontecer), porque afinal, todo mundo já sacou que não importa quantos episódios tenha uma temporada, você pode pular quase tudo e a série ainda estará na mesma. Duvida? Vamos lá.
Desde a Season 1 ( e talvez mais intensamente na Season 2), Pretty Little Liars vive de insinuações. Ok. Normal, aliás, é nisso que a série se apoia. Sem suspense, sem mistérios e sem uma boa dose de cretinice a produção não teria se transformado no carro chefe da ABC Family. A gente sabe disso, mas ao mesmo tempo, quem acompanha a série também quer que ela se desenvolva. É natural, apenas, que depois de certo tempo, algumas tramas se expliquem e se encerrem e outras comecem.
E isso vale para o arco central. É comum que uma série desse tipo leve seu grande mistério por umas duas temporadas inteiras. Esse é um tempo razoável, aceitável. Depois disso vira palhaçada, enrolação e prova de que não há conteúdo. Os fãs de PLL estão aturando, há três anos inteiros, a mesma ladainha. Quem é a –A? Quais suas motivações? Não é possível que, depois da ladainha de Mona (todo mundo sabia que ela era só pau mandado da verdadeira –A) passem mais um ano soltando pistas avulsas que, se formos analisar, não se conectam bem, para, mais uma vez,  cairmos na velha conversa de “será que Alisson é a –A?”, Será que ela está viva?”“, “Será que ela foi clonada ou tem uma gêmea?”.
Três anos e sabemos hoje o mesmo tanto que sabíamos depois do Piloto. Não é a primeira vez que digo isso. Três anos repetindo as mesmas insinuações vazias que nunca levam a nada concreto. Ninguém mais aguenta máscaras, capuzes, mãos que saem de dentro da terra. Perdeu a graça. Passou do ponto. Tanto é verdade que a insatisfação tem sido cada vez mais aparente. Ninguém gosta de ser feito de bobo.
Pretty Little Liars sofre de um sério problema de direcionamento e acho que isso tudo é medo. Medo de colocar a trama para se desenvolver de verdade e perder o grande trunfo que é a identidade de –A. Mas são tantas as possibilidades para uma série desse tipo (The Lying Game, da mesma criadora, está aí para provar) que me recuso a aceitar que os roteiristas não sejam capazes de gastar cinco minutos (em menos tempo eu invento algo supimpa e absurdo do nível das antigas de PLL) pensando e planejando uma guinada bacana.
Todo esse discurso é porque, mais uma vez, tivemos um episódio inútil. É inútil, sim. E cheio de coisas que não fazem sentido (mas do jeito ruim).  Então quer dizer que todo mundo acha que Alisson é –A, mas ninguém vai ter como provar? Então quer dizer que Toby estava vivo (cejura? Só seria surpreendente se fosse o contrário) e trabalhando como agente duplo no –A Team? Então quer dizer que nem a Mona sabe quem é a –A? Até cansa enumerar esse tanto de coisas que todo mundo já sabia, mas que o roteiro coloca ali como grande novidade.
Uma Season Finale fraca e covarde, que corre atrás do próprio rabo e traz mais meia dúzia de questionamentos que nunca servirão para nada. É incrível como a série pega uma coadjuvante mais do que mega avulsa e a coloca (ou tenta) como pivô dos acontecimentos. Sim, minha gente, estou falando de Shana e de toda comoção que Shana causa, onde quer que passe. Do nada, a Shana velha e usada que trabalhava na loja de fantasias virou aluna  e amante de natação, só para ser uma Shana mais fresca, úmida e atraente para Emily. Mas Shana também quer ver Hanna seduzida e nos surpreende ao mostrar que as cegas (ex e futuras) também curtem Shana. Aquela cena romântica de Shana e Jenna não teve nenhum motivo aparente, além desse.
Aliás, a aparição de Jenna não teve nenhum motivo aparente também, assim como a de Melissa.  Tempo de tela que poderia ter sido gasto com imagens de lhamas, por exemplo, porque seria mais útil. Tirando a introdução de Shana (ui) a gente já sabia que as outras duas são recalcadas e estavam no balaio, não precisava reforçar.
Com esse excesso de Shana na tela, outro elemento importante não poderia faltar: Tobinha. E teve até a Spencer liberando o toba pro Toba de novo, porque afinal, precisavam de uma dose de masculinidade no episódio e Pedobezra não preenche a cota sozinho. Foi aquela coisa que a gente também JÁ SABIA, mas enfim, precisavam dizer e colocar na tela, porque a série estava sem nenhum casal carismático, agora que Aria tomou a decisão adulta e largou Ezra, para que ele pudesse sustentar o filho que descobriu ontem.
Aliás, Hanna merece nota 10. Quem não ficou chocado com o modo como o menino identifica a falsa Alisson? Spencer JURA que foi uma armação muito bem armada e que Hanna fez direitinho o que ela esperava, porque é bem de se prever que alguém vire babá para interrogar uma criança, sem parecer suspeita.
No meio de tudo isso, ainda tivemos o jantar em homenagem à “desloucurização” de Spencer. Convites feitos em gráfica e tudo o mais, mas era tudo falso, uma armadilha para reunir as Pirulitas e... O que mesmo? Aquele incêndio me pareceu bem de última hora e fora dos planos normais para a noite numa cabana afastada. Mas era uma cabana excelente, dessas que estão equipadas para tudo. Ou não. Extintor não tinha, mas o sinal indicando a saída estava lá, porque nada mais normal do que ter uma placa luminosa de EXIT para gente não se perder e não se confundir quando a cabana usada nos fins de semana se incendiar, não é mesmo? Segurança acima de tudo.
Com muitas cenas na neblina para encobrir a “capuzinho vermelho” ficamos com a máxima de que a cor do casaco indica quem é a líder do –A Team, porque é claro, é muito normal alguém que está numa armação desse tipo precisar provar poder pela cor do casaco. Nem vou entrar muito nisso, porque eu até entendo a intenção de causar terror e marcar presença, mas o capuz e as luvas são usados em momentos em que não existe a menor necessidade para tal. Aliás, essa distinção é uma tremenda burrice, porque –A poderia ser facilmente identificada ou capturada, mas é claro que o roteiro sempre encontrará um jeito de isso não acontecer.
Para finalizar, tivemos a inebriante cena do carro de polícia que, mais uma vez, passa incólume por qualquer cidadão de Rosewood. Porque é algo muito discreto retirar um carro do fundo de um lago (precisariam de um reboque potente ou um guindaste, o que chamaria a atenção de meio mundo) e colocá-lo no meio do centro da cidade, com as sirenes acessas e o vídeo de Hanna e Ashley atropelando detetive avulso na tela. Isso é um impropério imenso, mas pelo menos vimos quem foi lá retirar o corpo do detetive do meio daquele lugar deserto, mas não foi só isso, porque ainda encaramos um cliffhanger bombástico, com a abertura do porta-malas que contém... Ninguém sabe ainda, mas confesso, não fiquei nem um pouco curiosa para descobrir, porque vai ser alguma coisa besta, com certeza.
É por isso que cogito largar a série. Não é uma decisão formada, mas eu gostaria que Pretty Little Liars fosse mais. Mais corajosa, mais definida, mais desenvolvida. É uma questão de aproveitar o potencial que já existe para manter os fãs ligados e de parar de trazer dezenas de personagens novos quando nem os que já existem são bem trabalhados. Não é quantidade, é qualidade. Isso, inclusive, vale para as longas temporadas de 24 episódios.
Se tem uma coisa que essa Season 3 prova é que a série não precisa de tanto tempo assim, porque daria para terem feito a mesma coisa com menos da metade de episódios indo ao ar. É notável que a ganância da emissora está prejudicando a série e nessa hora, os produtores executivos deveriam bater o pé e se posicionarem em favor do conteúdo e da qualidade. Se esse comportamento não mudar, infelizmente, é ladeira abaixo.
 
 P.S*A Season 4 começa no dia 11 de junho. ABC Family, pelo amor de Deus, nos deixe respirar ou espere a raiva do público passar. O que levar mais tempo. Desse jeito não há quem aguente.

P.S* Volta menino Mike! Você é a cola de PLL!
Comentários
14 Comentários

14 comentários:

Jennifer disse...

Não vai dar nem tempo de piscar desse jeito. É uma pena mesmo, PLL tem potencial que não está sendo usado. Não sei se vou continuar vendo a série também, acho que vou ser mais uma que assiste o primeiro episódio, o último e acabou.

Mrs. Bieber disse...

Me decepcionei bastante com a season finale também. Nas entrevistas, a Marlene, Olive e Andy definiram a finale como algo muito chocante, diferente de tudo que eles ja fizeram e blablabla essa ladainha toda. Eu criei expectativas, lógico, e quando vou ver sai essa porcaria. Juro que na cena onde a Hanna é salva do incêncio e vê a Red Coat, um pouco antes de mostrar o rosto dela, eu implorei mentalmente pra eles terem colocado qualquer um ali (especialmente Ezra) menos Alison. E quem aparece? Isso mesmo, Alison. Na hora que ela apareceu eu pensei "vai sumir" e sumiu mesmo, deixando aquela pergunta "será que vimos Ali mesmo ou foi alucinação?". Pelo amor de Deus, cada coisa, achei um ABSURDO o carro aparecer ali, no meio da rua, sendo que ele estava no fundo de um lago!!!! Que isso gente. A única cena que me fez pensar que valeu a pena assistir essa SF foi Spencer e Toby. Só.

Ricardo Kolling disse...

Camis, você me desapontou em uma única coisa:
Faltou um P.S* pedindo pelo menino Mike.
No resto teu texto tá perfeito já que os episódios são inúteis, vazios e não servem pra nada além de ocupar 40 e poucos minutos do nosso tempo (quando não pulamos algumas cenas).
Aliás, depois de séculos te segui no twitter, AHAHA. Abraço.

Camilla disse...

Concordo com tudo, Camis.


Decepção define bem o que foi essa finale.

Se fosse um episódio qualquer, eu até classificaria como bom. Mas para uma finale? Acho os fãs mereciam algo melhor.

Aliás, a finale resume o que foi toda a temporada. Durante 24 episódios foram apresentados plots atrás de plots que não levaram a lugar nenhum.

E quanto às "revelações"... Por favor, né?
Tudo o que foi revelado já era sabido por 90% das pessoas.
Não houve nenhuma surpresa!

Espero sinceramente que a 4ª Temporada seja melhor.
PLL tem tudo pra ser uma série divertida, mesmo com os absurdos de sempre. O problema é que dessa vez forçaram demais. Muitos mistérios, muitas coisas sem explicação. Acabou ficando confuso e cansativo.

PLL devia se inspirar um pouco na irmã mais nova, e nem tão popular, The Lying Game. A spring finale de TLG samba na season finale de PLL.

Cecilia Carvalho disse...

A unica coisa que surpreende em PLL, é como em 3 anos de série as atrizes ainda são péssimas fazendo cara de surpresa.

Aline Rocha disse...

Eu só acho que essa carro tá é rendendo demais!!!Já deu!

César, Julio César disse...

Já foram 3 temporadas, ao todo quase 48 horas de tela e se juntarmos as cenas realmente úteis que fizeram a história andar, não dá nem 1 hora! Vamos todo mundo largar essa naba e a gente se encontra aqui, na Series Finale.

Iury disse...

Concordo com tudo Camis ! O que aconteceu com o médico britânico lá ? ( Personagem Inútil ) , Melissa coitada aparece pra nada ( tanto em PLL quanto em TVD ) Paige desapareceu ( Mais uma ) . A Red Coat além de onipresente , onisciente e só ter um casaco é pilota de avião ( bom tem que ser pelo ar né , pq pela terra ela só anda sem rumo ) ! Mona e as suas caretas ( inúteis ) ! Chega , cansei , agora só no Series Finale ! #PirulitasNoMore

Nina disse...

Sem falar da falta de urbanização de Rosewood. Não tem UM poste de luz naquela cidade, rua sem asfalto, mato pra tudo que é lado. Por favor gente.

samy disse...

so eu torci pra red carpet ser na verdade o menino mike?? q desapareceu por um tempo pra deixar os cabelos crecerem para tingilos e contar pra td mundo q e travesti de uma forma super bombastica??? muito mais criativo ele ser a A pq ta com recalque e tinha inveja da ali , pelo q eu vi da promo da 4 temporada parece q nenhuma das gemeas morerram , nao duvido nada vindo de pll , o pior do episodio foi o toby falando q é agente duplo , isso nao faz o minimo sentido pq no episodio q subornam a psicologa pra ela deixar rosewood ela fala com um tal de 'prety eyes'' e a unica coisa q essa season finale deixo claro e q o toby o pretty eyes e nao faz o minimo sentido ele ta no a-team desda daqla epoca como agente duplo , so sei q nada sei , e se a camis desistir nao vo ter mais razoes pra ver pll pq so assito pra rir das reviews

Raul Ribeiro disse...

Se eu fosse padre, eu mandaria os fiéis pecadores rezarem dez pais-nossos, vinte ave-marias e assistir a terceira temporada de Pirulito Liars.

Leozinha disse...

Porque a série parou de funcionar com o sumiço de menino Mike (o verdadeiro protagonista dessa naba!)... Just saying... :) #ByePLL

misslang disse...

Hahahahahahahahahahahahhahahahah chorei demais com pisca de EXIT e tinha certeza q nao era só eu. Mas na boa? Verei a premiere só pra confirmar que elas abriram o porta mala e nao tinha step e vou parar. Prefiro ver Chaves.

Anne disse...

Ri litros!!! Amei!!! =)