quarta-feira, 16 de março de 2011

Glee 2x16: Original Song


Se Charlie Sheen pudesse avaliar esse episódio de Glee em seu twitter, usaria apenas uma palavra: “#WINNING”.

Losers? Se tem uma descrição que não se aplica ao pessoal de Glee depois desse episódio é justamente essa. Por episódios assim a série conseguiu a fama que tem e um número de fãs que só faz crescer. A hashtag de Mr.Sheen é a perfeita descrição do vimos. Um episódio com músicas fortes, foco na competição regional e ainda, muita coisa acontecendo paralelamente.

São tantas coisinhas a comentar que fica difícil lembrar tudo, mas vou tentar. Tenho certeza de que se algo passar batido vocês recuperam aí nos comentários, então vamos lá. Primeira coisa a falar é sobre o triângulo eterno entre Quinn, Finn e Rachel. Como considero esse o único ponto fraco de hoje, achei melhor começar por isso. Sei lá. Não imagino porque tem duas meninas atrás de um paspalho daqueles, mas Quinn tentou elucidar. Ela quer ser rainha do baile, porque, afinal, rainhas do baile vivem, em média, cinco anos a mais que as outras pessoas, já que as rainhas sorriem mais. Difícil acreditar que Britanny está com uma concorrência dessas, porque eu achei que uma frase assim, tão brilhante, só poderia vir dela.

O caso de Rachel eu considero obsessão mesmo. Aquilo não é racional, simplesmente, mas pelo menos rendeu assunto para a canção original “Get It Right”, que embora muito bem interpretada, não faz realmente meu estilo musical.

Ainda no ramo romântico, Glee deu um verdadeiro tapa na cara de todas as sociedades. Gostei de ver o beijo entre Blaine e Kurt, que já estava passando da hora de rolar. Foi uma cena muito natural e havia grandes expectativas para quando chegasse o momento.

Sei que tem gente que não gosta e que acha que Glee é (ou está se tornando) uma série “muito gay”. Não discordo completamente (afinal, às vezes Ryan Murphy bate muito na mesma tecla), mas prefiro defini-la como uma série que defende o direito das pessoas de serem diferentes. Não é só a questão dos homossexuais que é tratada. Há debates sobre raça, obesidade, portadores de deficiência... Enfim, uma enormidade de minorias que faz com que o público se encaixe em pelo menos uma.

A partir desse conceito, que faz parte do que é Glee desde seu episódio Piloto, ganhamos outra canção original para louvar esse grupo de perdedores, que levantam, sacodem o slushie de amora e dão a volta por cima. Ninguém há de dizer que a série não é fiel ao seu propósito original depois de ouvir “Loser Like Me”.

Sobre a vitória do New Directions nas Regionais, só posso dizer que era óbvia. Paramos exatamente nesse ponto na temporada anterior e o desafio agora é o campeonato nacional. Fico perguntando a mim mesma o que pode superar a criação de letras e melodias originais para levar essa, mas em todo caso, sempre podem recorrer ao canhão de Sue Sylvester e mandar Britanny pelos ares. Mas é claro. Isso é só uma ideia.

Os jurados, como sempre, muito bizarros, mas o destaque fica com as mulheres. Uma política louca e conservadora que ama Jesus e a revelação bombástica de que a esposa de um respeitado médico do alto escalão de Grey’s Anatomy, não apenas tem uma profusa carreira como “dançarina exótica”, mas também acaba de se tornar freira, Mudança de Hábito style.

Confesso que gostei mais das músicas de bobagem do que das sérias que vimos na competição. Amei “Trouty Mouth”. A canção não apenas prova que Santana é uma cantora subestimada na série, como fez uma ótima piada com o bocão de sapo de Sam, que pode sugar a cabeça de um bebê, segundo consta.

P.S¹ - Me despeço de vocês ainda consternada e profundamente abalada pela terrível morte de Pavarotti. Que ele descanse em paz em seu caixão cravejado em pedrarias, modelo extra-luxo carnavalesco.

P.S² - Todos sabem que eu gosto de Darren Criss, no entanto, preciso concordar com muita gente que sempre diz isso nos comentários: ele está, realmente, com mais solos e números musicais que todo o resto do elenco. Precisam balancear isso melhor.

P.S³ - Glee entra em hiatus a partir de agora e retorna dentro de um mês.

Músicas no Episódio:

"Jesus Is My Friend"- Sonseed (Aural Intensity)

"Misery"- Maroon 5 (Dalton Academy Warblers)

"Blackbird" -The Beatles (Kurt (Chris Colfer))

"Raise Your Glass"- Pink (Dalton Academy Warblers)

"Bad Ass Heart" – Música Original (Puck (Mark Salling)

"Hell To The No"- Música Original (Mercedes Jones (Amber Riley))

"Loser Like Me" -Música Original (New Directions)

"Get It Right"- Música Original (Rachel Berry (Lea Michele))

"Trouty Mouth"- Música Original (Santana (Naya Rivera))

"Candles" -Hey Monday (Kurt (Chris Colfer) e Blaine (Darren Criss))

Comentários
7 Comentários

7 comentários:

João Paulo C F Longo disse...

Que a Sue tende a ofuscar o resto do elenco é natural, só não vejo a necessidade de a transformar numa criatura violenta. Desconstruir a personagem nessa altura do campeonato não dá.

O episódio em si foi meio atropelado, faltou um pouco de desenvolvimento. Episódios de competição são o ápice da série.

Não posso deixar de falar do Kurt boca de pano e Blaine olhos de vidro: estou começando a não gostar mais do dois. Gosto muito do Kurt e ele merece algo melhor. Já cansei dos warblersback, os street boys do cabelo ensebado.

> Get It Right é meu estilo de música. Está longe do poder de Don't Rain on My Parade, masss me conquistou quando Rachael mantém a última nota. Estilo diva de ser. Detalhe pra franjinha marmota e o calçado de gnomo.

> Loser Like Me decola no finalzinho/refrão. Mesmo o começo e o meio terem uma letra engraçada, a voz maldita do Finn está lá. Sério, como eu detesto a voz desse marmanjo. Nem Justin Bieber consegue me irritar tanto assim.

Mas nada supera o ponto alto do episódio: o jurados. O que foi aquela reunião? Tive crises de risos com cada uma das falas. Vou transcrever e guardar pra posteridade.

Quem diria... o Glee já possui suas tradições... o locutor, a cortina de bordel, os figurinos brilhantes/cafonas e nosso âncora Rod Remington. Agora é torcer pra que isso continue e que alguns personagem, como pro exemplo Finn, o Finn e espero que o Finn, sejam desovados na próxima temporada. Que venham as nacionais!

rafael disse...

olha eu gostei bastante do episodio é no maior e melhor estilo glee de ser.gostei das musicas originais e todo o resto,mas o ue mais me agradou foram os jurados gente que turma mais doida adorei ri muito,achei o beijo do kurt e do blaine necessario para a historia fazer mais sentido, e acho que a sue sempre foi violenta(lembra da enfermeira ue ela derrubou na primeira temporada?)entao aquele soco foi engraçado e esperado,agora glee entra em hiautus de 1 mes mas vale destacar que a serie nesse segunda temporada ta bem mais evoluida .

Alene disse...

Eu amei esse episódio, ouvi reclamações de que para as regionais ser um episódio parado, mas pra mim fez total sentido tinham que mostrar as tentativas de músicas antes das escolhidas, a primeira música totalmente Rachel e a segunda bem de acordo com a história da série, agora bem que eles poderiam ser os populares do colégio, agora eles são os campeões!!

Gustavo Monteiro disse...

Melhor cena do episódio: Britany dizendo que a musica favorita dela é My headband.

luciana* disse...

"Mesmo o começo e o meio terem uma letra engraçada, a voz maldita do Finn está lá". Quero saber quem decidiu que o Finn e merecia ser o solista principal... até o Chang canta melhor que ele (ok, estou forçando a barra).

Outra coisa: PORQUE A BOCUDA DA RACHEL TAMBÉM TEM QUE FICAR COM TODOS OS SOLOS? A segunda música podia muito bem ter sido lindamente cantada pela Santana, ou pela Brittany ou pela Tina.

Me incomoda demais o não aproveitamento dos talentos em Glee. Estou começando a achar que Ou Rachel/Finn são parentes, ou são amantes, ou são qualquer coisa dos produtores. Só pode.

Wellington Laurindo disse...

Glee oscila demais.
Acho que aconteceu muita coisa no episódio, mas na minha opnião não foi tão foda como tão dizendo.
Preferi as performances das Regionais do ano passado.

lucas http://easy2series.blogspot.com/ disse...

glee oscila demais, concordo!
mas sou fã da serie, porem prefiro outras!