sábado, 19 de fevereiro de 2011

Grey's Anatomy 7x15: Golden Hour


Grey’s Anatomy resolve sair da mesmice e fazer jus ao nome que deu ao episódio.

Uma hora vale muito na medicina e podemos dizer que uma hora também é muito valiosa para um programa de TV. Verdade seja dita, podemos dizer em apenas alguns minutos se gostamos ou não de alguma coisa e, pelo menos para mim, foi rápido que notei que esse episódio seria muito bom.

Claro que era tudo especulação minha, mas me apeguei a isso e vi Grey’s Anatomy fazer valer uma hora da minha vida, coisa que não acontecia há algum tempo com essa série. Os dramas pessoais ficaram praticamente de lado. Em foco apenas os pacientes, os tratamentos, o pronto socorro e Meredith Grey, que há tempos perdeu o status de protagonista e acabou reduzida a coadjuvante da própria série.

Foi muito bom vê-la novamente no centro das coisas. Mostrou que a personagem ainda tem potencial a ser explorado e que os dias de dramalhão mexicano regado à depressão suicida acabaram. Meredith mudou. E esse episódio é justamente para nos mostrar que aquela criatura insuportável, que nenhum fã mais conseguia aturar, desapareceu. Meredith se tornou uma personagem madura. Seu lado profissional começa a brilhar, ela não precisa mais sofrer por amor ou carregar o fardo de ser filha de quem é. Finalmente Meredith Grey pode ser Meredith Grey e isso pode ser muito importante para o futuro da série, que parecia ter esgotado todas as suas possibilidades.

Depois desse episódio, espero que tenhamos muito mais, mas é preciso manter a qualidade. Uma coisa ficou evidente: não precisamos de grandes tragédias para fazer da série interessante. Esse episódio foi absolutamente simples e nunca foi tão bom ver a rotina do hospital.

No meio dessa maratona de Meredith, outros personagens também se destacaram. Bailey continua ótima como comediante, o que prova que a atriz é absolutamente versátil e encara bem os dois extremos da interpretação.

Karev continua subindo no meu conceito. Melhor coisa foi colocarem um cara como ele (babaca ao extremo) para ser pediatra. A nova médica que surgiu única e exclusivamente para preencher a vaga romântica deixada por Izzie também começa a funcionar e até mesmo Teddy, tão jogada e sem função, ganhou meu apreço, pelo menos por hoje.

Além disso, teremos provavelmente um novo drama para o Chief. Adelle voltou e parece ser a nova vítima do Mal de Alzheimer. Cristina é outra que mudou e que está se ajeitando dentro de sua postura diante do trabalho. O que nunca muda é sua relação com Meredith, que precisa evitar que Callie roube a futura madrinha do McBaby. Aliás, Mc Baby nem existe, mas rendeu a excelente cena do elevador, onde Meredith leva, literalmente, uma picadura na bunda.

O que continua em suspenso é o problema entre Lexie e Sloan, mas isso ainda vai render. Ainda mais agora que Avery entrou na jogada e prometendo causar muita discórdia.

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Anônimo disse...

Definitivamente, grey's tem roteiristas ótimos e outros nem tão bons assim. A roteirista desse episódio é a mesma daquele do documentário, e ela é fodona! Melhor que isso só os eps escritos pela própria Shonda.

B. disse...

pra mim um dos melhores episódios da série, já que os dois anteriores foram meio toscos.

B. disse...

pra mim um dos melhores episódios da série, já que os dois anteriores foram meio toscos.