quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Greek 4x03: Crossed Examined Life




Será que existe algum grupo de ajuda pra esse pessoal que não consegue largar o Greek System?

Impressionante. Estar numa fraternidade deve ser algo fora do normal, porque esse povo de Greek não quer sair disso nunca mais. Os que saem, retornam ou continuam interferindo. Ou seja... Nem para fazer bebês saírem das fraldas e deixarem a mamadeira de lado é tão complicado. Sou só eu ou isso é muito bobo e anormal? Eu entendo que precisam achar um jeito de manter os personagens por perto durante a última temporada, mas um pouco de imaginação viria a calhar. Não dá para adaptar o mesmo plot para três ou quatro personagens.

Pelo menos essa leva de viciados em fraternidade nos trouxe Ashleigh de volta. O óbvio aconteceu. Ela não agüentou de saudade e largou o emprego que sempre quis ter para passar o dia borboleteando pelo campus da faculdade, com a vantagem de nem precisar ir às aulas.

Mas, apesar de eu ter gostado muito de rever Ashleigh, confesso que do episódio em geral, eu não gostei tanto. Não digo que foi ruim, longe disso, mas não conseguiu ir além de mediano, mesmo apostando na viagem filosófica alucinante de Cappie e Calvin.

Aliás, falando em viagem alucinógena, eu desconfio que a Dana, namoradinha do Rusty está utilizando entorpecentes. Ela aparece com umas ideias bizarras e parece ser hiperativa, concordam? Além do mais, sei lá, ela tem o carisma de uma vidraça quebrada e não acrescenta em nada na trama.

Como era de se prever, já começou a rivalidade entre Rusty e Dale. Tudo muito leve, por enquanto, mas isso vai virar guerra, ou melhor, A GUERRA. Algo que a Cyprus Rhode nem está preparada para ver.

Casey, que agora está envolvida num escândalo sexual, continua segurando a série muito bem, mas não para esperar que uma única personagem mantenha tudo interessante, ainda mais quando temos tantos coadjuvantes tão bons. Darei dois exemplos. Evan e Rebecca há tempos não têm função prática em Greek, além de ser um casal que nunca contracena junto e só aparecem para dizer frases soltas nas situações alheias. Por quê?

Só sei que estamos na temporada final e precisamos de mais para que a série termine deixando saudades. Greek tem potencial para muito mais do que o que tem mostrado e realmente, fico chateada quando assisto a um episódio como esse, que poderia ser memorável, mas se contenta em ser apenas esquecível.

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Eduardo disse...

Dana - "ela tem o carisma de uma vidraça quebrada e não acrescenta em nada na trama" ta totalmente certa Camis

Eu curti o episódio. Greek é uma das minhas séries preferidas, por isso não consigo acha um episódio ruim. Defeitos eu acho, mas episódios ruins não.

To torcendo pra que tenha uma guerra entre o Dale e o Rusty. Talvez isso até possa se algo pra fecha a série, uma guerra mortal entre KT's e Omega Chi \o/
É espera pra ve...

Camila Oliveira disse...

Eu gostei desse episódio, mas não saberia dizer se é porque sou putinha de Greek ou então pela saudade antecipada que já sinto da série.

Eu até entendo a Ashleigh. Deve ser realmente muito difícil terminar a faculdade, que se resumia a festas e ir às aulas, sem precisar trabalhar, para a vida real, em que acontece o oposto. Só acho que ficará estranho se ela também for viver na casa das ZBZ.

O Rusty, novidade, me irritou muito nesse episódio e até hoje não entendo o porquê dele ter dispensado a Katherine, linda, inteligente, meiga até eu diria, pela Dana que, bem, é a Dana. Só de olhar para a cara daquela garota me dá sono.

A Casey, como você disse, salvou o episódio e até hoje não entendo quem diz que o Rusty é o protagonista de Greek. É óbvio que a série não sobreviveria se a Spencer Grammer resolvesse sair. Estou gostando muito de ver como a Casey cresceu como personagem e as histórias dela são sempre as mais interessantes. Quase pulei da cadeira quando a Katherine apareceu na última cena e acredito que a personagem só vai acrescentar mais ainda.

Cappie e Calvin protagonizaram, a meu ver, a história mais aleatória e sem sentido do episódio. Sem mais comentários.