sábado, 27 de novembro de 2010

Misfits 2x03: Episode 3


Não há como não notar o salto na qualidade que Misfits deu nesse episódio. Vamos esperar que as surpresas e o nível sigam em ordem crescente.

Estou realmente impressionada. Durante esses dias vi muitos e variados comentários sobre Misfits. Alguns eram positivos, mas outros – e não foram poucos - diziam que a série estava uma droga e tentado fazer seu público levá-la a sério. Pois o que eu vi hoje não foi exatamente uma tentativa de virar coisa séria. Misfits continua cheia daqueles elementos estranhos que a fizeram famosa, especialmente se pensarmos na linguagem tosca e nos poderes especiais mais inusitados do universo dos “heróis”.

Eu prefiro ver o episódio dessa semana como um degrau acima. Já durante os 45 minutos de duração eu senti que estava diante de algo novo e até, mais maduro, embora eu não ache que esse seja o termo mais apropriado. Misfits cresceu, ampliou sua trama, mas não perdeu sua imagem de rebelde sem causa por isso. Fico muito feliz em ver que fomos além de todas as expectativas e algo me diz, continuaremos indo.

Para começar, não tem como não amar a trama de Inkman Evil – O TATUADOR DO MAL. Só a ideia desse personagem já algo genial, mas um cara que tem o poder de tatuar o que quiser, à distância e fazer Nathan se apaixonar pro Simon merece lugar fixo na série. Morri de rir com todas as cenas de sensualidade e insinuação, declarações de amor, cartinhas e até assédio sexual. Nathan é sensacional mesmo, mas depois de hoje, acho que teremos mais um candidato a favorito.

O que foi a revelação de Simon, além de potencialmente “fazível” é, também, o Parkour Mascarado, que veio do futuro para proteger os amigos e traçar Alisha? Só sei que fiquei pasma demais com isso, especialmente porque esse plot trouxe inúmeras possibilidades para a continuação da série.

Fora a parte de roteiro mesmo, tenho que elogiar a atuação do Simon do futuro. É simplesmente outro personagem. Sabe todo aquele medo e estranheza que sempre sentimos pelo Supervertido? Foi embora! Realmente, ele conseguiu traçar um belíssimo paralelo em termos de personalidade e me convenceu imediatamente de que ele e a Mulher Estupro foram feitos um para o outro. Surgiu ali uma química nunca antes explorada e que apimentou demais o episódio, sem sombra de dúvidas.

Se eu tivesse que arrumar um defeito hoje, seria só a trama do REBOBINADOR com a OFERECIDA DO TELHADO. Bobo demais e honestamente, depois de ver a nova versão de Simon, quero mais é que ele se apegue nesse garota e vá rebobinar em outra freguesia.

Outra coisa ótima foi ver Nathan e a Malaca Parabólica chegando aos finalmentes. Esperamos bastante por esse momento de puro amor e safadeza oculta, para acabar diante de uma tentativa frustrada e uma dedada muito mal sucedida. O que posso dizer para minha amiga Malaca é que sempre existe um coração a ser preenchido pelo Inkman Evil. É só evitar amendoins como estimulante sexual, que rola de boa.
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Bruno disse...

Misfits é sem dúvida uma excelente série... Vi todos os episódios esse final de semana e só me arrependo pq acabou... Já to sentindo falta.
Sou obrigado a concordar, os roteiristas só tem se superado a cada semana e sou totalmente a favor dessa "evolução da trama". Não axo q séries devem ficar na mesmice, pois pode acontecer o q houve com Chuck, depois de 3 temporadas muito boas, diria q a segunda foi excelente, virou uma série q simplesmente não agrada mais o seus fãs.