quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Glee 2x05: The Rocky Horror Glee Show



Dêem-me chocolate ou eu cortarei vocês.

Podem levar minha ameaça a sério. Resolvi embarcar na onda de Glee e entrar no clima de Halloween, pedindo o tradicional “gostosuras ou travessuras” à moda de nossa nova musa: Clarinha Evil (ou Becky. Cada um chama como preferir). Essa garota é simplesmente a nova Brittany e teve as melhores cenas e falas do episódio. Reparem em toda a maldade que ela coloca em sua interpretação de mini-Sue. Clarinha Evil arrasa e quando o faz, nem mesmo Sue Sylvester está a salvo, como pudemos conferir.

Mas à parte dela e das ótimas fantasias para o musical dos horrores, não estou bem certa quanto ao meu nível de aprovação desse episódio. Acho que ainda estou digerindo as coisas, mas adoraria saber se vocês curtiram e por que. (Aposto que vão discordar de mim novamente, mas aí é que está a graça).

Dessa vez, Will Schuester voltou a ficar em destaque, coisa que não vinha acontecendo, e lógico, retomaram sua história com Emma, que até cantou. Tudo bem que foi na base do falsete e chegou a ser meio irritante. E mais: ainda quero saber por qual motivo todos os musicas de Will e Emma tem de acontecer numa salinha com um deles sentado numa cadeira de rodinhas e sendo meio bolinado, o que causa pequenas ondas de vergonha alheia.

Para aguçar a competição pelo coração de Emma, tivemos mais uma participação de John Stamos, como dentista cantor (?)Carl Howell. Eu sei que Glee faz dessas coisas, mas ficou bem estranho um dentista aleatório simplesmente fazer parte do elenco da peça do colégio. Por favor, não me digam que isso é normal. Fora isso, o número musical dele foi bacana e fez valer a aparição dele na série.

Todo o episódio foi baseado nessa vontade de Will em ter Emma de volta. Colocaram em destaque essa rivalidade masculina e depois uma breve discussão sobre auto-estima, com Finn envergonhado por aparecer de cueca e Sam tendo que caçar gordura naquela barriga tanquinho.

Cá entre nós, acho que esse episódio, especificamente, funciona melhor para o público americano, que já conhece esse musical e pode rir de todas as referências feitas nessa adaptação escolar incomum. Para nós, ainda ficam os bons números musicais e, confesso, Sam naquela tanguinha dourada é algo que não tem precedentes na história da TV mundial, mas é só.

Continuo saudosa de Puck, que ficaria ótimo nesse plot de homem inseguro, mostrando sua boa forma. Sue Sylvester é sempre maravilhosa, tentando ganhar um Emmy local e esculpindo abóboras que tem, literalmente, sua cara. Ouvi dizer que é a decoração top do Halloween 2010 e quem discordar vai acertar contas diretamente com a Clarinha Evil. Eu, particularmente, não arriscaria.

Músicas no episódio:

Damn It, Janet - The Rocky Horror Picture Show (Finn Hudson e Rachel Berry, com Quinn Fabray, Mercedes Jones e Kurt Hummell)

Science Fiction - The Rocky Horror Picture Show (Santana Lopes e Quinn Fabray)

Sweet Transvestite - The Rocky Horror Picture Show (Mercedes Jones)

There's a Light - The Rocky Horror Picture Show (Finn Hudson, Rachel Berry e Kurt Hummell)

Whatever Happened to Saturday Night - The Rocky Horror Picture Show (Dr. Carl)

Touch-a Touch-a Touch Me - The Rocky Horror Picture Show (Emma Pillsbury com Santana Lopes e Brittany S Pierce)

Time Warp - The Rocky Horror Picture Show (Finn Hudson, Kurt Hummell, Quinn Fabray, Brittany S. Pierce, Artie e Tina Cohen-Chang)
Comentários
11 Comentários

11 comentários:

Rafa Bauer disse...

Não vi o episódio, mas discordo quando vc diz que ele funciona melhor para o público americano, "que já conhece esse musical".

Rocky horror, o filme, surgiu na década de 70 e é cult no mundo todo, e não somente nos EUA.

Eu acho que é um episódio que poucas pessoas vão poder entender, ou curtir propriamente, porque poucos são os que conhecem o musical, seja no Brasil ou em qualquer lugar.

O que não é o meu caso, já que Rocky horror é um dos meus musicais favoritos.

Camis Barbieri disse...

Oi Rafa, o que eu quis dizer é que uns 95% do público brasileiro de Glee é adolescente e nunca sequer ouviu falar de um musical dos anos 70 e esse é um fator a se considerar.

Hélio disse...

Eu particularmente, adorei o episódio, já havia assistindo ao filme, e o episódio fez valer o bom filme que The Rocky Horror Show é. As vezes as histórias de Glee ficam meio perdidas, tem que melhorar um pouco nesse roteiro. Eu não acho que a numero do Will com a Emma, me deu vergonha alheia, pelo contrario, achei super legal, ri muito com a cara da Emma e com os comentários(que tem no filme)da Santana e da Brittany. O melhor numero foi o último, sem dúvida, pois a música é o símbolo do filme The Rocky Horror Show, e foi muito bem interpretada.

lu disse...

piorrr episodio ate agora!
aquele ``musical`` deu sono..issu sim.

Anônimo disse...

Eu assisti Rocky Horror Show a muito tempo, uma vez que passou na Band e acho que eu tinha uns 10 anos, eu me lembro de algumas imagens muito esparsas, mas que foram colocadas de forma coerente pelo episodio de Glee.

Sei que muitos reclamam da desenvolvimento do enredo e tal mas, eu acho que encaixou melhor no formato da série do que o episódio da Britney ou da Madonna (que em compensação tiveram números musicais melhores).

Finalmente a Sue apareceu, sendo, bem, a Sue Silvester de sempre, e mesmo com todas as falcatruas dela eu não consigo parar de pensar que o que ela falou, quando o Will descobriu a armação, é bem coerente.

Só não consegui entender o que a Britanny e a Santana estavam fazendo escondidas ali fora daquela sala de aula...

janaina disse...

Eu assisti Rocky Horror Show a muito tempo, uma vez que passou na Band e acho que eu tinha uns 10 anos, eu me lembro de algumas imagens muito esparsas, mas que foram colocadas de forma coerente pelo episodio de Glee.

Sei que muitos reclamam da desenvolvimento do enredo e tal mas, eu acho que encaixou melhor no formato da série do que o episódio da Britney ou da Madonna (que em compensação tiveram números musicais melhores).

Finalmente a Sue apareceu, sendo, bem, a Sue Silvester de sempre, e mesmo com todas as falcatruas dela eu não consigo parar de pensar que o que ela falou, quando o Will descobriu a armação, é bem coerente.

Só não consegui entender o que a Britanny e a Santana estavam fazendo escondidas ali fora daquela sala de aula...

Caio disse...

Pô, episódio sensacional, Camis!

Eu acho que foi um dos melhores da série. E me deixou pensando naquele papo que todo mundo tem sobre o roteiro de Glee. Tipo, Glee é uma série com episódios da semana e ponto, né? Não tem tanta conexão com o restante... Mas enfim, só algo que pensei.

Sobre o episódio, ele é sensacional se você viu o musical mesmo. Agora, descordo do que disse ao tal do Rafa, que 95% do público brasileiro não ia entender... Tá, isso é verdade. Mas depois vc escreveu que era de se considerar. Mas tipo, quem deveria considerar? Acho que a Fox nem pensa em um público além do americano ao bancar um episódio de glee, senão tocava pagode, música típica coreana etc...

Quanto à cena da cadeira, com os dois se bulinando, faz sentido por conta de uma cena do filme, inclusive Santana e Britany olhando pela janela. Se comparado com o filme é genial!!!

Aliás, assista que você vai gostar muito mesmo.

João Paulo C F Longo disse...

Queria muito descobrir quem é mais imaturo: Will ou suas "crianças". Sue por outro lado dá um banho de inteligência mesmo quando suas opiniões são extremistas. Seu discurso pra detonar o musical foi maravilhoso.

Já as músicas, aquilo que me faz assistir Glee, desta vez foram bem fracas, pra não dizer desastrosas. Lá no iTunes as críticas também estão ruins, principalmente entre aqueles que fizeram a pré-venda e não puderam ter uma prévia da bomba que estavam comprando. Não assisti ao musical, mas isso pouco importa. Um não deve ser pré-requisito pro outro.

Enfim, ainda estou tentando descobrindo qual era o problema do Finn, além da voz, claro. Seu corpo não tinha nada de anormal. Tudo bem que não é tanquinho como o do Sam, porém não vi nada anormal a ponto de causar tanta paranóia.

Ah, não posso esquecer de citar a Becky, a pequena estrela que conseguiu tirar o brilho de todos os integrantes do Glee. Ou ela é muito boa ou as crianças do Will estão muito sem destaque. Provavelmente as duas opções.

P.S: A ausência do Puck me faz odiar ainda mais a voz do Finn. Triste.

Lu VC disse...

É por causa de episódios como esse q eu não considero Glee como uma série. Pra mim, virou show de variedade, série de "caso da semana" ou "especial da semana", essas coisas. Não q seja horrível mas definitivamente eu não fico nem um pouco ansiosa esperando o proximo episodio. Continuo achando q as músicas e as caracterizações dos personagens são ótimas, mas isso tinha q ser só "pano de fundo", não o principal. Senão vira SNL.

ps:estou com medo do Ryan Murphy mudar o jeito da Sue? Era só o q faltava...

Tarso disse...

Nunca tinha ouvido falar em Rocky Horror. Portanto, achei melhor assisti-lo antes de ver esse episódio de Glee, e gostei muito do filme. Acho dá pra resumi-lo em três palavras: Desconexo, Depravado, porem Divertido. Afinal, um filme onde o papel principal é de um Cientista/Travesti/Alienigena maluco que passa o filme inteiro de cinta-liga, não poderia ser muito normal, não é mesmo...
Fiquei curioso pra ver como iriam colocar na série e acabei ficando satisfeito com o que vi. Os números musicais ficaram bem parecidos como, por exemplo, a parte da Santana e Brittany na música da Emma (Aliás, ela canta exatamente igual a Susan Sarandon no filme)

Fecine disse...

Camis,

Adorei o episódio, até porque assisti no cinema, numa sessão especial com apresentação do filme Rocky Horror Picture Show "Live"! O que ajudou muito a gostar de ambos. Ainda ganhei uma camisa Rocky Horror Glee Show!

Eu nunca tinha visto o filme, entao no inicio estranhei um pouco o episodio, mas adorei as performances. Com certeza a Becky roubou as cenas em que esteve, e adorei a Mercedes como Dr. Frank.

Ah, adorei também a participação dos atores do filme como forma de homenagem, sendo que um deles é o prefeito de Spin City, Barry Bostwick.

Como nesta terça foram as eleições americanas, to aguardo ansiosa a volta do Puck no próximo episódio!