quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Glee 2x04: Duets


Num episódio sobre Duetos, Glee esqueceu que um episódio precisa de, no mínimo, dois elementos.

Faz muito tempo que sou só elogios a Glee (até quando a maioria detesta), mas hoje eu preciso concordar com quem vive reclamando da falta de roteiro. Eu sempre digo que esse é o estilo da série, como de fato é, e que as pessoas precisam se acostumar. Dessa vez, porém, a falta de qualquer conteúdo me pegou em cheio. Eu descreveria o episódio como 40 minutos de música, nada mais. Todos os diálogos foram de um vazio sem igual e acredito que nunca vi algo em um nível tão crítico.

Esqueçam as genialidades de Britanny. O resto foi completamente aleatório e não valeu nem como pano de fundo para os duetos. De qualquer forma, estou certa de que muita gente vai dizer que adorou e não é que eu não tenha gostado. Foi até divertido de ver, mas senti a obrigação de comentar com vocês, porque talvez essa característica esteja indo longe demais.

Com o tema de duetos, que na verdade não são novidade nenhuma em Glee, vimos as duplinhas surgindo para ganhar um jantar no badaladíssimo Breadstick, onde é proibido não trazer refis para o pão em palito. Ficou com água na boca, não é mesmo?

Com essa desculpa da competição, tivemos bons números, como o de Mercedes e Santana, que realmente combinam cantando juntas. Nesse contexto ainda tentaram ascender uma discussão sobre um instinto psicopata de Kurt, que perseguiu Finn na temporada passada e já estava todo animadinho com Sam, mas acabou cantando sozinho para mostrar que está sozinho e é tudo preconceito da sociedade com homossexuais. Não estou dizendo que isso não exista, mas peraí. Kurt realmente foi além do limite nesse caso. Pelo menos esse “drama” todo acabou em dois bons números musicais, um deles com Rachel, finalizando o episódio em grande estilo.

Falando em Rachel, adoro que ela não quer ser egoísta, mas só pensa em si mesma, até quando tenta perder de propósito. Se tem uma personagem sólida, é essa. Até que curti a dobradinha de armações ilimitadas com Finn, mas fiquei esperando pelo momento em que Sam ia dizer para ele parar de encarar aquele corpitcho no chuveiro, porque né? Aquelas cenas de banheiro estavam muito estranhas.

Ao contrário do que se pensava inicialmente, Sam veio mesmo para ser namoradinho de Quinn e cheguei à conclusão de que os dois combinam bastante e tem química em cena. Outra química sensacional é a de Britanny com a porpeta. Tanto carinho, treino e dedicação para reproduzir, completamente sozinha, a clássica cena de “A Dama e o Vagabundo”. Gente, e o Artie que perdeu a virgindade? Confesso que achei que Britanny o levantou da cadeira com uma facilidade fora do normal.

Senti falta de Puck e Sue Sylvester, é claro. No entanto fiquei muito contente ao ver que todos puderam cantar dessa vez. Achei o dueto de Tina e Mike o mais bem sacado. Todo mundo comenta que Mike só serve para dançar e fazer piruetas de fundo. Agora, ele também serve para ir à terapia de casais asiáticos e fazer números musicais meio falados, mas já valeu.

A partir de agora, meu único desejo é que Glee realmente encarne essa moda de duetos e faça um no próximo episódio. Que tal roteiro+música? Ficaria sensacional.

Músicas no episódio:

Don´t Go Breaking my Heart - Elton John and Kiki Kim (Finn Hudson e Rachel Berry)

River Deep, Mountain High - Deep Purple (Mercedes Jones e Santana)

Le Jazz Hot - Julie Andrews (Kurt Hummel)

Sing - Al & Kristine (Tina e Mike)

Lucky - Jason Mraz and Colbie Caillat (Sam e Quinn)

Happy Days are Here Again / Get Happy - Barbra Streisand e Judy Garland (Kurt Hummell e Rachel Berry)
Comentários
10 Comentários

10 comentários:

Doug! disse...

Assim como você previu, muita gente vai discordar de você hoje, como eu. Adorei Duets. Superou, pra mim pelo menos, a premiere. E o que foi a cena de a Dama e o Vagabundodo do final com a Brittany, bitch (hoje ela esta "bitch" mesmo)? Fantástica! E Rachel fodona como sempre(não posso deixar de falar dela, nunca). Adoro demais essa menina!

O problema é que agora Glee é uma das séries mais importantes da TV e todo mundo passou a exigir e esperar mais dela. No começo, quando todo mundo achou que em menos de quatro semanas ela seria cancelada, foi exatamente o contrario. Tô amando essa temporada, abraço.

Anônimo disse...

nao gostei muito do episodio, mas valeu apena pela Brittany cara ela e d+, adorei ela com o artie achei super FOFO e tal, tomara q eles voltem

ps:ate q fim alguem q canta mal em glee

Julia disse...

Se tem conteudo, aih reclamam que sentiram falta de muita gente no episodio. Se todo mundo canta, ainda sentem falta de alguns e faltou conteudo. Se aparece todo mundo, aih faltou musica. Aafff que dificil agradar a todos. Tenho preguica de muita analise em Glee. Gosto tanto da serie, pq sento e sempre me divirto, mesmo se nao faz sentido algum. E qual o problema nisso, ora bolas_)

Deise disse...

Camis, concordo com você!
Eu achei esse episodio SOFRÍVEL!
Nunca tive tanta vontade de um episodio acabar como esse, olhava o timer e ainda estava no começo!

Espero SINCERAMENTE que o proximo seja melhor.

Mari Bisonti disse...

Sou só eu ou os atores não estão dublando as músicas direito? Percebi sérios delays nas performaces..

Luisa Ansaloni disse...

Eu concordo com e discordo ao mesmo tempo. A história de Glee é sobre alunos perdedores de uma high school americana que se encontram no coral de música.
A partir daí, não dá para criar várias histórias mirabolantes todo episódio e ainda números para todos cantarem.
Se você for reparar o episódio deu andamento na história: Tina e Mike estão em crise no namoro, Rachel está pensando no coral e não quer perder as regionais e planeja fazer o Sam ganhar, Sam parece gay e todos perceberam (apesar de ficar legal as cenas dele com a Quinn, ainda acho q ele tem muita pinta de gay), o pai do Kurt saiu do hospital.
E mencionaram o que é verdade (não achei um discurso contra a homofobia exatamente) que o Kurt tem o hábito de perseguir um pouco “as razões do seu afeto”.
E para finalizar, o que mais gostei no episódio e isso provavelmente não será aproveitado nos próximos. O quanto Kurt e Rachel realmente são parecidos e formam o melhor dueto de Glee.

Alê disse...

Alguém assiste Glee pelo roteiro? Por ser uma série de muito conteúdo? Seriously?

Achei o episódio o máximo.

Camila disse...

Gosto de ler seus reviws pq vc faz eles mais adultos com mais conteudo sempre achei isso em glee falta de ''conteudo'' rs porem no começo achava legal n seguir aquelas tendencias garota boazinha nerd se apaixona por garoto popular solitario com o tempo fui mudando de ideia depois do 13 episodio da primeira tempo glee perdeu total sentido os perssonagens n são solidos eles sempre mudam de atitudes e tals tipo o will era um cara bom perfeito mais ai começou a trair a emma do nd ai pensei ''WTF'' comecei a assistir so pelas musicas alguns episodios ainda são bons pelo conteudo mais é muito dificil pq os pessoanegens mudam de agua pra vinho do nd, acho q se glee n fosse um musical ja teria sido canselada mais talvez glee morra de velice pq sempre que n tem roteiro as musicas salvam como o ale ali disse ''alguem assiti glee pelo roteiro?

Julia disse...

Se tem conteudo, aih reclamam que sentiram falta de muita gente no episodio. Se todo mundo canta, ainda sentem falta de alguns e faltou conteudo. Se aparece todo mundo, aih faltou musica. Aafff que dificil agradar a todos. Tenho preguica de muita analise em Glee. Gosto tanto da serie, pq sento e sempre me divirto, mesmo se nao faz sentido algum. E qual o problema nisso, ora bolas_)

Anonymous disse...

nao gostei muito do episodio, mas valeu apena pela Brittany cara ela e d+, adorei ela com o artie achei super FOFO e tal, tomara q eles voltem

ps:ate q fim alguem q canta mal em glee