quinta-feira, 4 de março de 2010

Modern Family 1x16: Fears

A abstinência de Modern Family não me faz bem, mas basta que eu fique 20 minutos em companhia dos meus personagens favoritos para esquecer a dor do hiatus. Num episódio sobre o medo, vale dizer que o que mais me amedronta nesse momento é o fim dessa minha comédia favorita e a inevitável separação que virá, com o fim da temporada. Como o tema é apropriado, também aproveito para perguntar: E você, leitor, tem medo do quê?

Para Claire, o medo de ter que ser chofer de Haley, com longas discussões sobre o uso do “tipo” é o que prevalece. Por isso mesmo, ela é só torcida para que Haley supere seu pavor de fazer o exame de motorista, já repetido duas vezes. O avaliador dela, devo dizer, é simplesmente sensacional. Carrancudo e fechado, fez um dos melhores sorrisos forçados que já vi, colaborando para minha ideia de a expressão corporal é um fator determinante para a qualidade de Modern Family. Somente atores muito bons são capazes de “dizer sem falar” e aqui, temos um festival deles. Alex e o medo de rejeição no baile da escola são exemplo disso, mas nada com Phil, se contorcendo de paúra só de pensar em aranhas e animais peçonhentos que poderiam tocar sua pele, durante a incrível expedição ao desconhecido mundo do sótão.

O pequeno Luke, ao que tudo indica, é estúpido demais para temer alguma coisa, e a relação dele com Phil deixa claro o quanto os dois possuem níveis mentais parecidos, em muitos momentos.

Manny tem medo de montanha russa e, quem diria, Jay também. Gloria, que não aceita a situação, exige que Manny enfrente essa fobia e o resultado é esse aí da foto, que ilustra a postagem com perfeição. Acho que Jay continua firme em sua opinião sobre o brinquedo, mas Manny, que também tem medo de morrer sozinho, superou essa.

Mas, o melhor dos medos é o de Cameron e Mitchell, que se desesperam ao ouvir a pequena Lily, dizer “mamãe”. Parece que esse é o pior pesadelo dos pais gays e sendo Cameron uma Drama Queen, o resultado é um mimimi imenso, que assusta a pediatra, com ele forçava uma amizade e a quem culpou, pela filha não ter dito “papai” como primeira palavrinha. A médica até passa uma bela conversa motivacional para Cameron, que segundo ela, não precisa ter medo de que Lily vá sentir falta de uma figura feminina, já que ele cumpre bem o papel. Porém, nada como o alívio de perceber que uma boneca falante é a grande responsável pelo vocabulário vasto de Lily, e que dizer “mamãe” não é recado dela, dizendo que sente falta de alguma coisa.

Aliás, num primeiro momento, fiquei chocada com a atuação da bebê. Como ela poderia falar na hora exata? Prestei atenção, voltei a cena e fiquei triste. Só podia mesmo ser a mágica da edição.
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

Karen disse...

Também compartilho do seu medo Camis - o que será de nós quando a temporada acabar e a série só voltar em setembro/outubro?

Esse foi mais um episódio excelente e só comprova que Modern Family é disparada a melhor estreia da fall season

Leo disse...

Eu, como Phil, tenho medo de palhaços e de jaguatiricas do cerrado (que são como palhaços, não se enganem). Ah, e das vozes de Camis e Arthur no último podcast dos Seriadores.

Agora sobre o episódio, a parte da Haley foi a melhor das melhores. Quase tive uma síncope quando o examinador sorriu pra acalmá-la!

Camis Barbieri disse...

Eu achei que Haley estava interpretando uma cena da minha vida ali! Genial!

Leo disse...

Eu, como Phil, tenho medo de palhaços e de jaguatiricas do cerrado (que são como palhaços, não se enganem). Ah, e das vozes de Camis e Arthur no último podcast dos Seriadores.

Agora sobre o episódio, a parte da Haley foi a melhor das melhores. Quase tive uma síncope quando o examinador sorriu pra acalmá-la!