segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Misfits 2x04: Episode 4


Conheçam o Homem-Joystick.

Pelos poderes de Grayskull! Mais um vilão sensacional para Misfits, dessa vez, transformando a vida num jogo de videogame. Muita criança por aí já está naquele estado catatônico e obsessivo e nem precisou passar por aquela tempestade, podem apostar. O mais legal é que no começo fizeram a gente acreditar que Ollie seria o grande empecilho de nossa gang favorita, mas eis que ele só estava ali de passagem, meio que literalmente.

Aposto que Ollie nunca imaginou que sua alma seria teletransportada tão rápido. Mas isso não é nada se pensarmos na velocidade de cura da Safada do Telhado, que depois de ganhar o coração de Ollie e herdar sua habilidade já pede uma rebatismo. Nunca vi alguém receber transplante e sair toda saltitante daquele jeito, mas vou deixar isso de lado, porque estamos falando de Misfits e isso é coisa pequena.

Confesso que não consigo gostar dessa garota, mas pelo menos ela veio para desmanchar o casal idiota entre a Mulher Estupro e O Rebobinador (que, aliás, não rebobina mais nada e vai receber multa da locadora). Quem sabe na semana que vem eu consiga pensar num nome para ela, mas por enquanto não estou com a menor vontade.

Nem preciso dizer que Nathan continua cretino como sempre. Ele é imortal, mas morrer cansa. Ou dói. E ele não está disposto. Aliás, cena ótima a da máquina de refrigerantes. Nathan é uma pessoa absurda, mas ninguém irá dizer que ele não tem princípios.

O que realmente me incomodou foi a morte do Parkour Mascarado. Eu estou com Alisha. Eu gosto do Parkour e não do Supervertido. Como faz? Isso, sem falar que essa morte não faz muito sentido, afinal de contas, ele veio numa missão para salvar Alisha, mas ele já tinha ficado com ela antes, certo? Pela lógica ela não poderia ter morrido ou ele nunca saberia que os dois são feitos um para o outro.

Por enquanto, resta aceitar essa história, mas honestamente, espero que seja explicada ou que ganhe algum sentido maior, afinal de contas, tiraram de nós aquela parcela de sensualidade do Parkour Mascarado e não acho justo termos de esperar o Supervertido virar homem para termos isso novamente.
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

João Paulo C F Longo disse...

Não tenho QI pra essas histórias de viagem do tempo, muita informação pra processar... Vou tentar:

Seguindo o curso natural >

Alisha e Simon nunca se apaixonaram no futuro, pois ela morre naquele momento. Tudo não passou de uma historinha pra afasta-la do Curtis. Motivo? Curtis precisa estar livre pra se envolver com a nova personagem. Moral da história? Simon é e sempre será o Supervertido: veio do futuro inventar mentiras e comer quem ele sempre quis. A foto de Las Vegas prova que seu plano funcionou perfeitamente bem.