quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Glee 2x08: Furt


Na semana passada eu não falei que Glee era capaz de coisas maravilhosas? Então... Era do que vimos em ‘Furt’ que eu estava falando.

Estou muito satisfeita com Glee. Episódio simples, com foco definido, que soube trabalhar muito bem o tema que propôs, unindo humor, drama e música. É um exemplo clássico da capacidade da série e mais ainda: do elenco. Cada um marcou presença, dos principais aos coadjuvantes. Tudo na medida. Mal consigo conter minha alegria.

Como Glee adora uma participação especial, dessa vez tivemos a presença da comediante e cantora Carol Burnett, interpretando a mãe (e caçadora de nazistas) de Sue Sylvester. As duas protagonizaram um musical muito bacana, bem ao estilo da Broadway mesmo e trocaram farpas o tempo todo. O interessante é que, por trás do humor, havia todo o drama de Sue, que foi praticamente abandonada pela mãe e deixada para cuidar da irmã com deficiência. A mágoa de Sue revela muito de sua personalidade e, apesar de toda a bizarrice de um auto-casamento, não posso deixar de gostar um pouco mais dela.

Aliás, eu quero colecionar os selos da Sue Sylvester! Já pensaram que bacana enviar cartas (ok, quem envia cartas hoje em dia?) assim? Aposto que o carteiro iria até apressar a entrega de tanto medo. Por isso mesmo, eu queria muito receber um convite do auto-casamento de Sue com Sue. Imagino que seria artigo de colecionador porque afinal, só Sue pode casar consigo mesma, abalando num vestido de noiva esportivo, não é mesmo? Sacada simplesmente genial da produção.

Mas, além desse casório único, ainda tivemos a união dos pais de Finn e Kurt. Foi o casamento mais rápido já organizado, mas deve ser porque Kurt já estava com tudo engatado. Senti que quiseram usar aquela entrada com o pessoal do Glee numa referência a um famoso vídeo de casamento que está há algum tempo no youtube. Vocês devem saber qual é. De qualquer forma, imaginei que fosse isso porque a série usa muitas referências como essa ao longo dos episódios. Lógico que adorei esse Glee-Wedding, muito mais animado do que aquela tradicional cerimônia e mais a ainda a grande revelação do significa ‘Furt’. Podem me chamar de piegas, mas achei bonitinho. Sei lá. Não sei se precisava de tanto para o Finn provar que finalmente vai deixar de ser um babaca com o Kurt só por ter medo da opinião alheia, mas mesmo assim, achei legal o modo como lidaram com isso.

Uma coisa que me chamou a atenção e talvez tenha sido um pouco demais é que o casamento era praticamente uma ovação à pessoa maravilhosa que Kurt é. Eu gosto muito do personagem, mas mesmo assim, não sei se num casamento o assunto principal seria o maravilhoso caráter do filho do noivo.

Outra coisa que preciso comentar, é que fiquei muito apreensiva. Tantos elogios ao Kurt me fizeram pensar que no final, Dave iria surrá-lo e mandá-lo para um hospital. Preferi que as coisas tomassem o caminho que tomaram, para ser honesta, mostrando como o sistema escolar é falho em proteger os alunos do famigerado bullying. Não é só nos EUA. Essa é uma realidade no Brasil também, e acredito que valha para muitos outros países.

Não direi que fiquei surpresa com a atitude de Sue. Ela sempre se posiciona ao lado “do bem” em situações assim, embora ela mesma seja uma provocadora profissional, chamando Kurt de moça, porcelana e cara de massinha (eu também preferia que ele escolhesse cara de massinha, mas é a vida). Agora, Rachel sim, foi além das expectativas e não creio que ela tenha convocado aquela reunião das “esposas” do time de futebol só por medo de perder Kurt para algum Glee Club adversário. De forma geral, a união do pessoal do New Directions foi muito bacana de ver, porque ali, todos eles são considerados underdogs, de uma maneira ou de outra. A saída de Kurt já era esperada, mas como tudo em Glee, que seja por pouco tempo, porque as seletivas vem aí e eu odiaria ver o New Directions em problemas novamente.

Ah, e antes de ir embora, um recado de todos nós para Tina: Sim, Britanny está namorando Artie. Lide com isso.

Músicas no episódio:

Ohio - Wonderful Town (Jane Lynch e Carol Burnett)

Marry You - Bruno Mars (Cory Monteith, Lea Michele, Dianna Agron, Chord Overstreet, Kevin McHale e Jenna Ushkowitz)

Sway - Michael Buble (Matthew Morrison)

Just The Way You Are - Bruno Mars (Cory Monteith e New Directions)
Comentários
5 Comentários

5 comentários:

Wellington Laurindo disse...

Episódio muito bom, teve bastante diálogos, ficar só nos clipes gigantes enche o saco as vezes.
Também estava achando que algo pior ia acontecer com o Kurt, mas felizmente não aconteceu, acho que ia ser drama demais.

Anônimo disse...

Pqp de novo essa cara de bunda do Kurt? Ta enchando o saco isso!

Leandro Rodrigues disse...

Achei que era só eu que tinha pensado que o Kurt iria ser violentado depois da festa, só me veio a cena de Justin e o taco de beisebol.

Mari Bisonti disse...

Alguns exageros a parte, eu adorei o episódio e, realmente, Glee consegue fazer coisas mais profundas, finalmente está tendo mais história e eu sou uma daquelas que gosta dos números musicais.
Mas as coisas estão melhores assim. Britanny, mais uma vez não precisa aparecer no episódio inteiro e dizer só uma frase para mostrar sua genialidade.
Confesso que chorei, coisa que não tinha acontecido no Grilled Cheesus com todo aquele drama.

luciana* disse...

pois eu não via a hora do kurt sair daquele colégio fedorento.

quero que ele seja feliz na nova escola, e ganhe o campeonato, só pra eu ter o gostinho de ver pela segunda vez a cara de bunda da rachel.

* eu envio cartas. :)