quarta-feira, 3 de novembro de 2010

The Big C 1x11: New Beginnings


Restam apenas dois episódios para o fim da primeira temporada de The Big C e é hora de novos começos.

Desde o inicio da série vimos Cathy fazer de tudo. Ela enlouqueceu, chorou, mentiu, mudou, ganhou novas atitudes, arrumou um amante, viveu mais. A única coisa que nunca a vimos fazer foi lutar. Pois é. Cathy nunca lutou contra sua doença e nós estávamos tão ocupados prestando atenção a todo o resto que nunca notamos de verdade.

Era sempre sobre o que ela fazia para aproveitar o agora e nunca o que ela podia fazer para continuar aproveitando o depois. Não que eu seja contra qualquer coisa que ela já tenho feito. É bem o contrário, mas depois de revelar seu câncer para Paul, ele diz a ela algumas coisas que a fazer querer viver mais e procurar alguma alternativa, mesmo que elas incluam comer 20 damascos por dia e ser picada por um enxame de abelhas milagrosas do Canadá. Gostei desse recomeço, dessa nova energia e das novas possibilidades que isso traz para a série.

Aliás, preciso comentar essa lógica doida de Cathy que acredita em cura agora que ganhou um strip-tease. Situação super vergonha alheia, que ficou melhor ainda com Marlene roubando comida e Rebecca tentando ver Sean em cada homem semi-nu do ambiente.

Achei extremamente positivo o foco em Paul. Ele é completamente maluco, mas não se pode dizer que fuja da raia e que deixe a mulher sozinha numa hora dessas. Desde o corte de cabelo, a atitude com aquele troll adolescente chamado Adam e a busca desesperada por compartilhar sua experiência com outras pessoas, ele mostrou que vai apoiar Cathy custe o que custar.

Fiquei ainda bastante comovida com o caso de Marlene. Eu sempre brinco que ela está com o alemão louco e tudo o mais, mas acho que Alzheimer é uma das coisas mais terríveis que pode acontecer a alguém. Pior do que ter câncer e sofrer com isso é perder a consciência completamente e regredir em seu estado mental de forma lenta.
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Lu VC disse...

Demorou, mas o Paulie me conquistou. Eu poderia citar umas 10 coisas irritantes q ele fez ao longo da temporada mas ele se redimiu de td. Foi mto bonita a cena onde ele perdoa a Cathy por td e volta pra casa (junto com sua gaveta de meias) Demais.

O final do episódio foi ainda melhor. Qdo a Cathy convence o medico q ela realmente quer lutar contra a doença, ela convenceu todos nós. E deu pra ver, mais uma vez, o qto a Laura Linney é espetacular!

Ótimo review,

Bjoss

ps: A Marlene é atualmente minha atriz coadj. preferida!!!

Mari Bisonti disse...

Concordo com a pessoa aí em cima.. Paulie também me conquistou nesse episódio.

The Big C, me conquista a cada episódio pelos pequenos detalhes com que os roteiristas no presenteiam, esses pequenos momentos, como por exemplo quando Cathy reparou na "tatuagem" ridícula do Adam.

Já disse e repito. Emmy para Laura Linney.! Indicações é certeza.

Mari Bisonti disse...

Concordo com a pessoa aí em cima.. Paulie também me conquistou nesse episódio.

The Big C, me conquista a cada episódio pelos pequenos detalhes com que os roteiristas no presenteiam, esses pequenos momentos, como por exemplo quando Cathy reparou na "tatuagem" ridícula do Adam.

Já disse e repito. Emmy para Laura Linney.! Indicações é certeza.