sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Nikita 1x01: Pilot



A original era francesa, mas conhecemos melhor a americana. Agora, a moda é a Nikita japonesa.

Impossível encontrar alguém que não conheça a história de La Femme Nikita, seja pelo filme de Luc Besson, seja pela versão em seriado, produzida na década de 1990 – estrelada por Peta Wilson- e que chegou a passar na Rede Globo. Agora, é a vez de a CW investir num remake, tentando com isso, sair do público teen e arrebanhar o quinhão dos adultos.

A nova versão (acho que deve ser a 56ª filmagem de Nikita no mundo) é completamente diferente de tudo o que o canal produz atualmente e se você abomina o estilo adolescente, pode até gostar dessa trama de espionagem, que é um dos temas mais explorados do momento.

Honestamente falando, não faz meu estilo, mas não vou dizer que a produção tenha sido ruim. Resta saber se haverá verba para manter uma série como essa, que precisa investir em efeitos visuais de qualidade para convencer nas cenas de ação. Num primeiro momento, não vimos muito disso. Nada além de um carro explodindo, o que eu considero o bê-á-bá numa série desse tipo. Talvez, os produtores optem por locações mais fechadas para evitar gastos astronômicos, mas isso deve se confirmar como um grande problema. Quem assiste histórias de espionagem quer ver grandes momentos de perseguição e cenários diferentes.

A história dessa vez é um pouco diferente. Nikita (Maggie Q), além de japonesa/oriental, é uma fugitiva e trabalha por conta própria. Na verdade, ela não tem mais aquela característica emocional, que interferia nas matanças. Agora, Nikita é vingativa e vai tentar destruir a organização que a treinou, depois que seu noivo, um civil, foi brutalmente assassinado. Confesso que essa parte me remeteu imediatamente para Alias e Sydney Bristow, mas deve ser só impressão minha, não é mesmo?

Michael (Shane West), ainda é aquele agente que parece frio, mas que, na verdade, tem escrúpulos e uma paixão recolhida por sua ex-colega de trabalho e atual inimiga número um.

E como Nikita não está para brincadeiras, temos até uma infiltrada na organização. Alex (Lyndsy Fonseca) será os olhos e ouvidos de Nikita e será fundamental para ajudá-la a escapar da caçada que se estabeleceu.

Fora isso, não há muito que dizer. Tivemos cenas de matança em biquínis e vestidos de festa, fugas em salto alto e batons explosivos. De forma geral, esse Piloto foi bastante didático e apenas reapresentou o que todos (em maioria) já conhecem. Um detalhe interessante (ou não), é a presença de Melinda Clarke, a eterna Julie Cooper e habitué de séries da CW. Amanda é personal stylist dos assassinos treinados, porque não basta matar, tem que manter a classe e sair bonita na foto.

Resta saber se com a chegada de pelo menos umas cinco séries nessa mesma temática durante a Fall Season, um remake pode sobreviver. Não há dúvidas de que vai ficar difícil concorrer em termos de qualidade, mas Nikita é um clássico e os antigos fãs podem acabar mantendo mais essa versão no ar.

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

diogp disse...

O plot completamente chupinhando de Alias. Originalidade, nota 10.

Tattyrs disse...

HAHAH. Eu, que tinha acabado de ver Alias pensei: Nossa?? Teremos uma versão oriental de Sydney Bristow???
Achei o Pilot interessante, mas muito "non sense". Ainda ñ me conformo com a cena da Cadeira e com a do boneco no cemitério...
Mas, vamos ver o que a CW nos reserva.
Pretendo continuar a assistir.. Nem que seja pra dar risada. hahaha

Anônimo disse...

Esse review me deu vontade de assistir todos os episodios novamente! Parabéns mais uma vez e mal posso espeperar pela continuação! Parabéns pelo otimo trabalho! Abração

Bruno Marinho
@brunomsphb