segunda-feira, 30 de agosto de 2010

True Blood 3x11: Fresh Blood


Semana passada eu cometi um terrível erro ao esquecer de mencionar a real natureza de Sookie, tão detalhadamente descrita por Bill. Pois bem, irei corrigir isso agora, gritando aos quatro cantos que SOOKIE É UMA (SA) FADA ALIENÍGENA ESTUPRADORA HÍBRIDA.

Odeio perder a piada e como não temos nada de muito bom para falar dessa reta final, só requentando as gracinhas antigas mesmo. Não entendo como todos podem achar tudo tão foda num episódio tão medíocre. Gente, a temporada está no fim. Cadê aquela sensação enlouquecedora que aparece quando ver o próximo episódio é mais importante que viver?

Sinto muito em decepcionar alguns de vocês, mas True Blood é que está me decepcionando além da conta, com uma sucessão de episódios pra lá de irregular, embora com certos aspectos bacanas. Isso basta? Não mesmo. Preciso dizer que a primeira metade teve muito pouca coisa que merecesse atenção. Mas o negócio é se apegar na ampola de V Blood e curtir a viagem astral. Quem sabe meus bonecos de vodu não começam a conversar comigo e me convençam do contrário?

E já que citei Lala (sou íntima do bofe), vamos falar dessa loucura, que me lembra mais Toy Story do que bruxaria. Talvez, a sala de brinquedos/entidades falantes tenha sido uma das melhores cenas, junto com a revelação de que o menino Jesus gosta de usar máscaras demoníacas para apimentar a relação.

Sam fez o estilo “foi u cão quem butô pá nóis bebê” e xingou todo mundo, num mimimi tremendo que terminou com mais uma fodinha com Tara(da). Os dois vão levando, por enquanto, o prêmio de malas do ano, porque ninguém mais agüenta isso. Tenho até medo que a reunião desse casal piore a situação, mas conto com as artimanhas de Tommy para alguma reviravolta.

O aborto de Arlene foi algo sublime e não funcionou, o que me fez questionar se aquilo foi hemorragia ou a tintura de cabelo dela, que escorreu pela cama e nos enganou.

Palmas para a cena romântica de Jessica e Hoytt. Fofo e sensual (e porque não dizer sensual), mesmo que os dois sejam a trama mais paralela da série e quase não ganhem atenção no roteiro. Aliás, eu diria que aleatório é uma palavra que define o espírito do episódio, já que nada juntava com nada. Jason e Juma? Jason e o menino jogador de futebol? Oi? Não entendi a utilidade de nada disso.

E finalmente chegamos à Sookie, o protetor solar em maior embalagem de que se tem notícia. Não dá para confiar em Eric nem no careca do Bill, né colega? O problema é que ela só pode contar com eles e parece estúpida demais para notar que ambos estão encenando canalhice para nosso amado Rei Ronaldo Ésper. Alguém realmente achou dramático ver Eric e Russel pegando um bronze, trabalhados na pulseira dupla de prata? Foi um dos cliffhangers mais fracos da temporada. Previsível e pouco impactante. Aposto que nenhum deles vai morrer e deixo meu agradecimento à Pam, por suas lágrimas de sangue, que representaram meu sentimento diante da qualidade (ou falta de) do episódio.

Por incrível que pareça, vejam só, a ator mais expressivo em cena foi mesmo a compota. Exalou emoção em cada close, sem dúvida, enquanto o resto do elenco deixou a desejar.

PS* Não tem mais lobisomem nessa série não?

Comentários
8 Comentários

8 comentários:

diogp disse...

Unica coisa de bom no episodio foi a Pam fazendo propaganda do Spray de Prata. Adoro a Pam. Se a serie fosse menos sobre "pessoas" e com mais Eric, Pam e Jessica a serie seria bem melhor.

Johnny disse...

Nossa vcs criticos são chatos pra caralho,eu assisto uma porrada de series e uma das poucas que manteve um nivel alto em 3 temporadas seguidas é True blood.
Bom é Vampire Diaries né não????

Vânia disse...

Realmente esse episódio foi difícil, não aconteceu nd. Apenas uma enrolação pro último.
Vamos aguardar pra ver o que rola.

Anônimo disse...

Camis,acho que vc não notou...mas o Eric encontrando A LUZ mto emocionante!!E o Ronaldo Esper chorando sangue só pq agora ele 'pode' ir pra Luz!!

Ps.: Pq eles não vão dar um rolê em Vampire Diaries e descolar um anel com o Damon em??

SEDD disse...

Camis se viu o ringtone do Eric nakela hora dramatica?Eita True Blood perde o rebolado , mais nao perde a Toskera q nóis ama!!!!!!KKKKKKKK

Diogo disse...

Ah, eu achei ótimo o episódio, claro que não foi lá o melhor de true Blood, mas vai falar que não foi legal a propaganda do spray de prata, o "wonderfalls" feelings dos bonecos falantes, e que vc não se assustou com a máscara demoniaca de Jesus?

Todo mundo mete o pau na Arlene e em sua trama, mas eu acho ela razoável, acho engraçado o jeito dela falar e agir, e até achei interessante a macumba toda lá. O povo só se interessa se saí um chupa-cabra da barriga dela, o que é bem possível dada as trashisses de True Blood, o povo tá mal acostumado, querem uma coisa bizarra atras da outra. Mas devo dizer Camis que adorei a piada da tintura de cabelo.

Rafaeli disse...

"Cadê aquela sensação enlouquecedora que aparece quando ver o próximo episódio é mais importante que viver?"Concordo plenamente.Na 1 e 2 temporada eu pensava em true blood 24hs,no q iria acontecer no próximo episódio e esperando ansiosa p/ chegar domingo...Nessa temporada,qse ñ me lembro de baixar os epis!Ta muito fraca,eu esperava muito mais com os lances dos lobisomens,q rolasse algo entre sookie e eric,q tivesse mais trama,mais conteúdo...

Mari Bisonti disse...

Eu dormi no meio do episódio..talvez por isso achei que nada aconteceu.. e é o penúltimo..Isso não é hora..

Só a trama do Rei Ronaldo e da Jéssica realmente me interessam.
Realmente não pareceu penúltimo episódio de temporada. Espero que o Season finale seja sensacional e nos surpreenda.