domingo, 18 de julho de 2010

Doctor Who: Season 5

Sempre fui fã de Doctor Who. Eu apenas não sabia.

Doctor Who mudou minha vida, Gerônimo. É sério. Impossível encarar uma história dessas, tão brilhante e tão fantástica e tudo ficar igual. E olha que vi apenas a 5ª temporada da nova versão, mas digo isso com toda a certeza do mundo.

Para uma fã de seriados como eu, chega a ser vergonhoso não ter visto a produção da BBC antes, porém, corrigi esse verdadeiro rombo no tempo/espaço a tempo de salvar a humanidade, ou pelo menos, a tempo de deixar minha dica para que vocês façam o mesmo.

Como podem ver, não há o menor problema em começar pela 5ª temporada, a mais recente. Ela é um reboot e, embora haja muitos elementos que remetem à mitologia da série e aos antigos Doctors, não há a menor possibilidade de alguém se perder na história.

Nessa temporada, quem encarna o 11º Doctor é Matt Smith. Ainda não conferi a performance dos demais e tenho muita expectativa em relação ao antecessor ,David Tennant, mas me sinto na obrigação de elogiá-lo. Aliás, não apenas ele, mas também Karen Gillan, a intérprete de Amy Pond. Os dois juntos são um absurdo de carisma e química em cena. Isso, sem esquecer Arthur Darvill, o esquisito e sensível Rory, noivo de Amy e autor das melhores caras de imbecil já vistas.

Com temporada de apenas 13 episódios (e um aguardado especial de Natal), a 5ª temporada explora os problemas causados por uma rachadura na pele do universo, que pode acabar com tudo e deixar um grande vazio, como se nada jamais tivesse existido. É por causa dessa rachadura que Amy e o Doutor se encontram, quando ela ainda é uma menina e ele está renascendo numa nova forma. Ainda inexperiente em seu corpo recém adquirido, o Doutor acaba cometendo pequenos erros de data e a promessa de retornar para ajudar a menininha ruiva, acaba adiada por bem mais de uma década e aí que os dois embarcam em um monte de situações em planetas e tempos diferentes, encontrando criaturas bizarras e perigos inimagináveis.

Sou incapaz de nomear um episódio ruim ou meia boca. Não há adjetivos ruins que caibam na descrição dessa série, simplesmente porque a produção é ótima, o roteiro impecavelmente amarrado e atento aos detalhes, sem deixar, jamais, a criatividade de lado.

A melhor coisa em Doctor Who, aliás, é essa imensa liberdade para criar. Não existe impossível aqui e, portanto, sempre há surpresas, mesmo na rotina ou na fórmula geral dos episódios. Para se ter ideia, além de alienígenas, intra-terrestres, baleias intergalácticas que voam pelo espaço , anjos da morte e os tradicionais Daleks, cruzamos com figuras históricas como Winston Churchill, o famoso primeiro ministro inglês e até Vincent Van Gogh. Aproveito para dizer que ‘Vincent and The Doctor’ é um dos roteiros mais bacanas da temporada, que me fez chorar, tamanha a sensibilidade das atuações e dos diálogos.

Então, se após ler essa verdadeira ode ao Doutor, você ficou curioso, basta embarcar na Tardis e fazer a viagem também. Aproveite o incentivo e comece agora mesmo, porque Doctor Who é parada obrigatória para os amantes de séries de qualidade e da boa e velha ficção-científica.
Comentários
11 Comentários

11 comentários:

Dav1d disse...

Doctor Who é uma série que todo mundo deveria assistir. Tem comédia, drama, sci fi farofão e um ótimo elenco. Desde essa volta da série, os 3 doutores e suas companheiras foram muito bem escolhidos, recomendo pra todo mundo.

tais disse...

Vc só viu a 5 temporada?? OMG tudo bem que da para entender normalmente mas OMG corre para ver as outras, pq são otimass tb tipo muitooooo

Enfim, Eu sou fã do seriado faz uns 3 anos e me apaixoneiii desde quase do principio.

Qto a 5 temporada eu gostei bastante da temporada e historias (algumas achei meio fracas mas ok), adoro Rory e a River mas honestamente acho a Amy meio sem graça se for comparar com as outras companions. por exemplo, Rose e Doctor e Doctor e Donna 1000 mais carisma e química para mim. Amy para mim ta no mesmo nivel da Martha, indiferente

J.Carlos disse...

Havia colocado 'Doctor Who' na minha lista - após o texto do Leo no S.A - desde a primeira temporada. Mas agora vc me convenceu a começar mesmo pela 5a temporada, ainda nesse Summer. Maldito texto indutor!

Harry disse...

Que bom que viu Doctor Who, é relamente obrigatório. Corra para ver as outras temporadas.

Mas fazendo um comentário ao que escreveu, esta temporada não é um reeboot. Tá que teve a mudança de showrunner e pode ser acompanhada por quem não viu o resto em certa medida, mas ela é mais inteligível para quem viu tudo. Tem a continuidade bem definida, coisas como River Song, Daleks, Cyberman e etc suas origens não são bem explicadas nesta temporada. pelo menos não com o didatismo das anteriores. Mas nada que comprometa, apesar de indo contra a maioria sempre recomendo começar do começo.

Mas isso é o que menos importa; bem vinda ao universo de Doctor Who =).

Anônimo disse...

Me convenceu a ver tbm

pequena disse...

Nossa gostei do enedo e não conhecia vou procurar baixar rsss
To passando tbm pra deixar um beIjo e desejar uma boa semana pra vc!

xerim

MENEZES disse...

É simplesmente diferentão!

Adriana2402 disse...

Discordo do colega lá de cima e acho a Amy a coisa mais fofa que existe e a química com o Dr de Matt Smith é ótima, melhor ainda com o Rory.
Vale a pena, mas depois de ver a 5ª temporada fui ver a 1ª e quase desisti, mas aguentei firme e já estou no meio da temporada.

Tobias disse...

A melhor química é da Rose com o Doutor (principalmente o Tennant). Depois vem a Donna e o Tennant.

A primeira temporada é meio trash no início, mas se chegar no episódio Dalek para frente o nível aumenta bastante, e com o episódio Doctor Dances a série se consolida de vez. Continua que vale a pena.

Daniel Barcelos disse...

Eu quero muito gostar de DW assim, mas tá difícil. A primeira temporada ta beeeeeeem fraca até agora (com o 1x06 e 1x09 um pouco acima da média).

Eu vejo potencial e vou continuar mas ta bem arrastado, viu?! =/

Tobias disse...

A melhor química é da Rose com o Doutor (principalmente o Tennant). Depois vem a Donna e o Tennant.

A primeira temporada é meio trash no início, mas se chegar no episódio Dalek para frente o nível aumenta bastante, e com o episódio Doctor Dances a série se consolida de vez. Continua que vale a pena.