quarta-feira, 30 de junho de 2010

Survivor Gabon: Season 17

No último Éden, alguns morderam a maçã, mas não foram expulsos do paraíso. (Contém spoilers)

Num jogo como Survivor, ceder à tentação de mentir e manipular não é fácil. Na verdade, é necessário para continuar até o final desses 39 dias e nessa edição, não há como negar, Sugar comeu a maçã e não deixou nem as sementes.

A edição é ótima, veloz, cheia de jogadores interessantes e venenosos, que movimentam o jogo de forma impressionante. Não é que Gabon seja um exemplo de estratégia, mas em termos de diálogos escrotos, é como poucas. Nem preciso dizer que adorei todos os episódios e chorei de rir com Corinne e Randy, no último conselho tribal e na reunião em LA. Impossível não dar crédito a esses dois, por cada coisa nojenta que disseram e por suas “incríveis” habilidades sociais.

São vilões de raiz,se orgulham disso e torci por eles, embora soubesse que nunca teriam a mínima chance. Não pude deixar de me divertir com Corinne reclamando que a edição fez dela uma boa moça. Randy e a polêmica dos biscoitos, dando um tiro no próprio pé e levando estranhos para assistir á final ao vivo. Preciosidades para jamais esquecer.

Confesso que fiquei feliz pela vitória de Bob, mas só porque ele era o menos palerma e mandava bem nos desafios. Não condeno o estilo dele, de ir com a maré, mas esperava mais de uma cara tão habilidoso, em termos de estratégia. No quesito artístico, nota 10 pelos falsos ídolos de imunidade, que são os primeiros que realmente enganariam alguém, como de fato, fizeram.

Susie é de irritar. Inútil e encostada, chegou ao final por sorte e por ter feito uma única jogada descente, eliminando Marcus. De resto, nem sei se merece meu respeito.

Sugar é a queridinha do público e até que gosto dela, mas não suporto gente que choraminga. Mesmo sem querer, ela foi responsável por grande parte da estratégia, o que prova que ela aprendeu alguma coisa com Ace e seu imenso ego, que era tão gigante que ocupava todo o continente africano. Ao eliminá-lo, Sugar ganhou meu respeito, mas sempre ficava a impressão de que ela dependia das dicas de Kenny, Matty ou Corinne para enxergar verdadeiramente.

Além de minha ira por Susie, eu não suporto Kenny, simplesmente. É um prazer imenso ver gente convencida cair do cavalo. Matty nunca me chamou a atenção e eu ficava surpresa em ver Crystal, a grande campeã olímpica, sofrer para fazer qualquer desafio, por mais simples que fosse.

Para terminar, Marcus e Charlie. Impossível não gostar deles e não torcer pelo casal. Não importa o que Marcus diga sobre ser heterossexual. Eu não caí nessa e se eles tivessem sobrevivido até o fim, minha torcida seria deles, incondicionalmente.
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

diogp disse...

Essa temporada é boa mesmo. Naum lembro mto pq faz 2 anos que assisti, mas torcia mto para a Corine. Tmbm odiava a Susie mas gostava da Crystal e do Kenny. Para mim o problema da temporada é que as pessoas que soh faziam merda acabaram indo longe no jogo favorecidas por mtas twists (mudanças de tribo e falsas merge), o que por outro lado ajudou a temporada a ficar mais emocionante (os underdogs viram o jogo e tal).

Felipe Vaz disse...

Eu avisei que a Gabon era ótima! Tem a minha "personagem" favorita - pq não é participante mais né? - Sugar. O lance do ídolo falso foi demais!

Lu disse...

Sem dúvida é uma das temporadas com o cenário mais bonito. Meu personagem favorito foi o Randy. Muito hilário seus comentários. Ele ainda participou da mais recente temporada de survivor- vilans X Heroes - logicamente como mais um vilan. Não sei se vc já assistiu a décima terceira temporada - cooks
islands- essa é minha preferida. Tem toda um divisão de tribos por "raças" foi bem polemico nos EUA . Outra coisa sensacional o podcast com a Croitor e o Tapajos.

bjs

Matheus disse...

Ah, achei Gabon ótima e principalmente por causa da Sugar. Claro, né, que tem horas que é inegável não dizer: "Meu deeeeeus, Sugar, peeeeense x.x" Mas essa era a graça, ela tava sambando pra ganhar e isso deu graça total a temporada. Aliás, as jogadas impensadas quanto a estratégia dela acabaram por moldar toda a final e a temporada - e também por sanar uma possível vitória dela, com Kenny e Crystal (uma das melhores da temp, principalmente nos TC).

Enfim... eu odiava Corinne, muito forçada pra ser vilã. E de resto, a temporada é ótima. Não gostei muito do vencedor, muito previsível, e ainda me pergunto como Susie chegou na F3. mas é isso aí, we can't always get what we want.