terça-feira, 18 de maio de 2010

Survivor Heroes vs Villains: Season 20

Survivor Heroes versus Villains é o melhor reality show que já vi na vida. (Contém spoilers sobre o vencedor da edição, se não quiser saber, não clique para ler mais)

Survivor tem 20 temporadas. Eu nunca tinha visto nenhuma até então. Mas eis que, no meio da minha grade já cheia de episódios, resolvi arrumar um espacinho, diante de tanta propaganda positiva. Jamais vou me arrepender disso e não só pretendo ver as próximas temporadas, como penso em fazer uma maratona para conferir todas as passadas.

Quem ainda não viu, aceite o conselho, assim com eu sabiamente fiz. Veja e se delicie com os desafios, as intrigas, as combinações de votos e os resultados inesperados nos conselhos tribais.

Quem está dizendo que essa é a melhor temporada de todas não sou eu, afinal, eu não teria base para comparações. Porém, o público fiel da série afirma e reafirma que nunca se viu um jogo como esse e, embora eu não goste dele, preciso ser justa: Russell é o grande responsável por isso.

Desde os primeiros momentos ele abriu o jogo e avisou que ia mentir, manipular e fazer tudo o que pudesse para chegar até a final. Pois bem. Russell conseguiu, mas não levou e acabou humilhado. No último conselho tribal, onde parte dos eliminados vota para a escolha do grande sobrevivente, Russell conseguiu a incrível marca de zero voto e provou minha teoria sobre sua imensurável burrice. Não estou dizendo que ele não tenha feito boas armações. Ele fez, sim, inegável. Porém, Russell contou com muita sorte e com a estupidez ainda maior que a dos demais participantes. Eu riscaria da lista, talvez, Boston Rob, Sandra e Parvati. Os dois primeiros não foram influenciados por Russell, mas viram seus movimentos incapacitados pelo medo dos demais. Parvati resolveu se aliar a ele, ficou firme até o fim e perdeu por muito pouco. O interessante sobre Parvati é que ela soube brincar com fogo, muito bem por sinal, mas não há dúvidas de que chegou à final um tanto chamuscada pela péssima imagem de seu aliado.

O resultado do jogo não poderia me deixar mais feliz. Sandra venceu e era por ela mesmo que eu estava torcendo. Aliás, na vitória de Sandroca (para os íntimos), reside mais uma prova da imbecilidade de Russell, um jogador de ego inflado e incapaz de enxergar o potencial dos outros, pelo menos, não na totalidade. Para ele, Sandra era a mais fraca, mas a verdade é que Russell sempre foi o jogador com menos possibilidades de vencer e tudo isso, por mérito só dele. Se Jerri estivesse no lugar de Sandra, creio que Parvati teria levado essa, mas o importante é notar que para Russell, nunca houve sequer uma centelha de esperança.

Esse é o resultado de um jogo agressivo e que, por mais que pareça eficaz, não funciona para conquistar o prêmio final. Na reunião que acontece nos estúdios em New York, Boston Rob pontua brilhantemente ao dizer que Russell joga para se manter até o final, mas sem o objetivo de ganhar. O grande problema é que Russell quer ganhar e esperava que seus companheiros de acampamento lhe dessem o prêmio ao reconhecerem que ele é, por assim dizer, O Rei de Survivor. O que todo rei deveria saber é que, quando a coroação depende de seus súditos, toda e qualquer ação sua contra eles se refletirá no resultado.

Durante cada dia de Survivor eu pensava que a eliminação de Russell seria simples demais, mas os jogadores, cegos diante de uma aliança forte, esqueceram de fazer as contas. Por muitas vezes os adversários de Russell e sua patotinha estavam em número superior, mas nunca souberam aproveitar a chance.

Em termos de inteligência, Parvati ganha. E não apenas pela sensacional jogada com os ídolos, mas por jamais subestimar o adversário. Além disso, ela tem uma habilidade física incrível que a torna a mais completa jogadora de Heroes VS Villains e quiçá, de todas as outras edições.

Sandra é um caso à parte. O que faltava na força bruta ela compensava com o cérebro. Podem até achar que ela merecia menos que Parvati, mas para mim, Sandra é a tradução do verdadeiro sobrevivente porque resistiu até o fim e ganhou sem ter nenhuma das qualidades de Parvati e sem a aliança forte de Russell. Quantas e quantas vezes ela esteve na corda bamba? Diversas. A sorte a ajudou, é claro, mas momentos como aquele em que ela, com apenas algumas poucas frases, é capaz de influenciar Russell e manter Courteney por mais uma semana, provam que nada é por acaso.

Toda essa convergência de fatores acabou dando à Sandra outro milhão de solares. Jogadora com 100% de aproveitamento: Dois Survivor no currículo. Dois milhões na conta bancária. Além do mais, só pelo fato dela ter queimado o chapéu esconde-careca de Russell, só porque ela podia, a faz mais do que merecedora desse prêmio, que também coroou a imbecilidade.

JT leva o prêmio de “jogada mais imbecil” da história de Survivor. Com honras. Mas a edição foi recheada de momentos tão geniais quanto, frases cafonas de Coach, a barba imunda de Rupert e até uma briga de gato pelo ídolo de imunidade, protagonizada por Amanda.

São muito bons momentos para listar por aqui, por isso, termino esses comentários sobre a edição com a mesma frase com que fiz a abertura: Survivor Heroes versus Villains é o melhor reality show que já vi na vida. E tenho dito.

Comentários
9 Comentários

9 comentários:

Anônimo disse...

Normalmente tenho sempre muita coisa para dizer já que survivor é o meu programa favorito, mas eu concordo 1000% com vc.
Muito feliz com a vitória da sandra.
Não perde tempo não, vai conferir as temporadas mais antigas.
Lana

Roberta Brasil Araujo disse...

Concordo com vc: Survivor é o melhor reality show que já vi!!!

Depois dele, tenta ver No Limite... Vira brincadeira de criança... Espero q a Globo selecione melhor seus jogadores.. Todos ficam levantando a bandeira de "somos amiguinhos, ninguém combina voto".

Eu só vi 3 edições: a primeira foi Samoa, que vi em paralelo com Cook Islands.

E essa foi mesmo excelente! Mas Cook Island é uma que tb adorei! Vale a pena ver!

Roberta Brasil Araujo disse...

Concordo com vc: Survivor é o melhor reality show que já vi!!!

Depois dele, tenta ver No Limite... Vira brincadeira de criança... Espero q a Globo selecione melhor seus jogadores.. Todos ficam levantando a bandeira de "somos amiguinhos, ninguém combina voto".

Eu só vi 3 edições: a primeira foi Samoa, que vi em paralelo com Cook Islands.

E essa foi mesmo excelente! Mas Cook Island é uma que tb adorei! Vale a pena ver!

Rodrigo disse...

Bom saber que gostou. Já vi a maioria das temporadas (nunca consegui me adaptar ao ambiente de Survivor: Africa) e posso dizer que essa é realmente uma das melhores.

Recomendaria começar a ver por Borneo, a primeira, que apesar de conter zero momentos de estratégia, é tão fascinante quanto esta. Naquela época a edição focava mais no lado pessoal, o que é um grande charme abandonado pelos anos. Mas se gosta apenas da parte de estratégia, comece por Pearl Islands, a sétima, que também é uma das melhores. Porém, você já vai saber quem é o vencedor justamente porque essa temporada revelou a surpresa, o que pode ser ruim ou bom. Particularmente minha temporada favorita é Guatemala, a décima-primeira, uma continuação indireta (podemos dizer assim) de Palau, curiosamente a que eu menos gosto. Ambas contam com a participação da graciosa e maravilhosa Steph, que pouco fez aqui. Além de Tom, que participa de Palau.

Enfim, faça como quiser. Survivor é o melhor reality show que existe e possivelmente da história, e acredite em mim quando digo que tem temporadas melhores que essas, se bem que a primeira vez sempre é mais marcante. Espero ansiosamente mais comentários dessa fantástica série.

Bruno disse...

Putz, tem coisa melhor que vc vir pro Serie em Séries e encontrar uma review de Survivor?
Assino embaixo em tudo que vc escreveu, Sandra mereceu ganha essa temporada SIM. She's that bicth, still that bitch.
Uia! Sério que vc vai começar a ver utras temporadas de Survivor? #porfavorreviews *-*

Saulo disse...

É, Russell foi um personagem importante na temporada. Mas de qualquer forma, o cast era sensacional, não tinha como ser uma temporada ruim.

Só de pensar que os heróis logo de cara eliminaram Steph, Tom e a diva Cirie...
Eu queria muito, muito mesmo ver Russell tentar uma de suas jogadas p/ cima da Cirie (duvido que conseguisse).

Mas falta adicionar na lista dos Melhores Momentos o desafio "Sumô na Lama" com a vitória massacrante dos Heróis!

Agora é aguardar Survivor Nicarágua!

diogp disse...

Sou mega fã de series e há um ano atrás virei fã de Survivor também, Já assisti todas as temporadas e tenho que dizer que essa realmente é a melhor, mais movimentada e com grandes jogadas.

Algo que vc não deve ter percebido é quanto a reputação de cada jogador (pelas antigas temporadas) influencia no jogo, por isso Russel (ninguem conhecia o jogo dele, pq foi na ultima temporada e a temporada foi garavada antes da exibição de Samoa) se deu tão bem. Te aconselho a ver Micronesia e vc entenderá poruqe Parvati, Cirie e Amanda eram consideradas grandes ameaças, também aconselho China, Cook Islands, Pearl Islands (temporada da Sandra), All Stars e tds as outras.

Anônimo disse...

Assita Micronesina e Gabon vai conheçer todo o potencial de Parvati (micronesia) e Sugar (Gabon)!!!.

Anônimo disse...

Camis, assim como você, comecei a assistir Survivor nessa temporada. E também tive uma grata surpresa. Provas legais, edição ágil, personagens interessantes. E já vi Russell reclamando em todos os programas sobre a votação final não ser do público. Alguém precisa explicar a ele (torci para que Sandra o fizesse em rede nacional) que fossem as regras diferentes, o jogo seria outro. As pessoas só fizeram o que fizeram porque as regras eram essas. Se no próximo a produção adicionar a escolha do público, que Russell peça para voltar e tente repetir seu jogo. Dentro das regras que ele sabia quais eram, jogar do jeito que ele jogou foi extremamente idiota. Como ele o é, e não sabe.