quarta-feira, 12 de maio de 2010

Lost 6x15: Across The Sea

Não sei como começar a escrever essa review de Lost, sinceramente. Só sei que o tempo de fazer perguntas acabou e eu sinto como se finalmente visse A LUZ.

Ok. Faltam só dois episódios e Lost conseguiu se explicar. Podem comemorar, pois já sabemos que o grande mistério da Ilha é a LUZ. Quer maiores explicações sobre o que é a luz, porque ela está ali e porque ela transforma pessoas em fumaça? Aqui não é o lugar para isso. Nem Lost, que é sobre pessoas e sobre amor. Ah, e sobre iluminação também.

Questionar é para os fracos, então vamos apenas ficar felizes porque chegamos ao momento em que tudo finalmente faz sentido. Datas e motivos são informações supérfluas. Pode perguntar para o seu professor de história.

As dúvidas quanto ao menino misterioso que anda pela Ilha acabaram. Ele é Jacob, obviamente. O outro garoto, o irmão sem nome, que chamarei de Lockezilla como sempre, é muito diferente fisicamente, para quem ainda insiste em questionar. Pesquisando no pai dos burros do mundo das séries, o IMDB, digo com toda a certeza que o Boy In Black, como é creditado, apareceu essa única vez em Lost. O nome do ator é Ryan Hanson Bradford, para aqueles que não confiam na minha palavra. O pequeno Jacob, ainda creditado como Teenage Boy, é interpretado por Kenton Duty, que tem 3 episódios de Lost no currículo.

Além desse grande mistério que tem atormentado os fãs, muito mais veio à tona. Sem dúvidas, Across The Sea é fundamental para o entendimento da trama. Sem ele, não saberíamos que Jacob e Lockezilla são irmãos gêmeos, que a mãe deles, a boa e velha Claudia, naufragou e foi assassinada depois de parir dois e só dar o nome para um. Sem ele, não saberíamos quem é a mulher que criou esses meninos e que ela é a culpada por tudo o que aconteceu com Jack, Kate, Hurley e Cia limitada. Não acho válido ficar curioso sobre como ela foi parar ali e qual a razão de tudo existir. É bobagem e já sabemos tudo o que precisamos saber pra entender a totalidade de Lost.

Como o episódio ensina, a curiosidade é grande mal da humanidade. Se Lockezilla não fosse tão curioso e tão questionador, não teria morrido e não teria virado fumaça, então, aprendam com a série e parem de fazer perguntas impertinentes.

O importante é que todos nós sejamos um pouco mais como Jacob. Um homem passivo, que vive fazendo tapetes com a mãe até os 43 anos e que nunca, jamais, questiona.Ele vive feliz em seu mundinho, em sua pequena Ilha, e não precisa conhecer nada além nem atravessar o oceano para encontrar o que procura. Não há nada melhor do que permanecer confortavelmente parado, por isso, estou fazendo o mesmo nesse texto.

Sem entrar em muitos detalhes sobre a história, afinal, vocês viram o episódio, uma coisa fica evidente. O jogo é a peça mais importante do quebra-cabeças. A inveja que Jacob tem de seu irmão, que tem um tabuleiro e pecinhas para mexer a seu bel prazer é, por si só, o resumo metafórico de Lost. “Um dia, criará seu próprio jogo e todos seguirão suas regras”. Diz o irmão.

Além do mais, esse episódio serviu como um grande “cala a boca” para quem ainda achava que os roteiristas não tinham tudo pensado desde o início. Os flashbacks da 1ª temporada, com Jack, Kate e Locke, encontrando os corpos de Adão e Eva com as duas pedrinhas, mostram a construção de uma trama complexa e destinada a um final sem pontas soltas.

E se você ainda está aí, batendo a cabeça na parede porque não consegue entender a magnitude desse episódio, lamento muito. Não é problema meu que você não bebeu a poção mágica dos ursinhos Gummy, assim como Jacob, não consegue ver a LUZ e enxergar além.

PS1 - Sim, eu estou brincando.

PS2 - Sim, a ironia está no Mode On.

PS3 - Sim, eu imaginei Claudia fazendo força e parindo fumaça em vez de um bebê.

PS4 – Sim, eu notei que não havia sangue ou cordão umbilical no parto e que a barriga de Claudia não diminuiu depois da saída dos bacuris.


PS5 - Não. Os PS’s acima não são menções ao videogame.


Comentários
19 Comentários

19 comentários:

Profa. Cintia disse...

Como sempre Camis, vc expressa o q muitos pensam e não tem coragem de falar. E o pior é q somos taxados de burros por não entender isso.
Me poupe, essa enrolação não vai chegar a lugar nenhum e as respostas as perguntas ou não vão aparecer ou não vão me convencer de jeito nenhum.
Anyway, amei sua review como sempre, ri na parte do ..."criar seu próprio jogo.." e mais ainda seus PS e a explicação pros desavisados q não se trata de videogames.
E que veha o final logo, por mais q seja decepcionante, ou não, esperamos q chegue logo pra acabar com essa tortura sem fim. E tenho dito.

Andrew Maxwel disse...

Pode falar mal desse que eu deixo. E ajudo. Que episódio mais enfadonho! Não sei como ainda tô aqui acordado às 3:30 h, depois de ver um episódio tão, tão ,tão... sei lá. Vai ver eu não sou inteligente o suficiente pra admirar todo o contexto do episódio. A saga dos irmãos gêmeos em sua pré-adolescência parecia um filme do Disney Channel, simplesmente irrelevante e irritante. Mas pelo menos algo de bom dá pra tirar disso: Allison Jenney tirou leite de pedra e entregou uma interpretação comovente como a mãe que não é mãe. O resto é resto. E o resto é bem chato. Mas eu continuo acreditando em Lost. Call me crazy.

Letícia disse...

O Episodio não foi tão ruim, olhando toda essa porcaria de 6ª temporada que está sendo até agora.Mas a esta altura do campeonato...luz? que luz?...a sensação que eu tenho desse episódio é que tipo, devo apagar todas as lembranças boas que tenho de lost até agora ou seja até a 3ª temporada.Triste isso rs.

@te_ne disse...

Sério, Camis.
Obrigado por escrever tudo que eu queria e poupar meu trabalho. Genio vc!

O que mais gostei no episódio foram os dois bebes que nasceram sem sangue no corpitcho, só uma geleia branca na cabecinha (deve ser algum simbolismo ou reflexão filosófica que minha pobre mente de telespectador alienado não consegue alcançar.)
E além disso não parei de me perguntar como o exúfumaçapreta teenager conseguiu ficar com aquele corte de cabelo todo bem feitinho. Tento algo parecido há meses e não consigo.

Mas você esqueceu do vinho que, depois de pronunciadas algumas palavras mágicas (Hana Macantaraya Suya), é capaz de dar fogo e poder para Jacobzito.

E o Adão e Eva? Legal vc perder seu tempo questionando sobre quem eram as caveiras mais queridas do entretenimento mundial sendo que um deles foi apresentado no último capítulo da quinta temporada e o outro nesse capítulo...

Ai,sem mais.
Muita LUZ pra vc e seu blog.

Leo Oliveira disse...

Poxa, eu já ia te elogiar por FINALMENTE enxergar a trama completa, sem margem para erros que Lost é, até ver os seus Playstations revelarem que tudo se tratava de uma farsa, ou seja, você MENTIU!


A frase que resume esse episódio é "aham, Claudia, senta lá" e justamente por isso eu gostei muito. Como não vibrar com a história dos irmãos gêmeos que desde cedo são obrigados a encarar uma rivalidade intensa, corroborada por motivos óbvios como o fato de um não ter nome e o outro ter seu próprio Jogo da Vida de Vampire Diaries? Como não se emocionar com o fato de que até hoje Jacob aparece para Lockezilla com a mesma idade dos flashbacks mostrados, simplesmente pelo fato de que eles queriam colocar uma criança misteriosa no lugar do ator crescido e não trocar de ator? Como não aceitar a explicação da roda como mecanismo de teletransporte, afinal "a canalização da água e da luz" é a explicação da física que mais faz sentido no mundo inteiro?


É uma pena que você seja burra e não enxergue a genialidade de todos esses fatos, Camis. Não precisamos saber de onde veio a protetora da luz, pois tudo o que importa nessa série é JACOB e BOCAJ, dois personagens presentes desde o início da série, um em forma de luz, outro em forma de fumaça e barulho de caixa registradora. Desde o começo sabíamos que a série era sobre eles, portanto é a origem deles que deve ser explicada, e essa foi revelada com maestria: eles vieram do ventre da garotinha espezinhada por Xuxa na infância, o que já explica sua natureza especial e sua função nesse micro-mundo repleto de poções mágicas que é a ilha.


Sinto pena de você por não apreciar como realmente deve a história de Jacob e Bocaj, com seus detalhes tão peculiares como o fato de que Bocaj, ao nascer, não conseguia abrir os olhos simplesmente porque a luz era muito forte. Mãe Misteriosa queria que Bocaj fosse o protetor da luz, mas nunca percebeu que desde o começo ele foi agredido por ela, simplesmente pelo fato de não ter nome. Perceba que todos os personagens com nome são perfeitamente imunes ao poder da luz, e não seriam transformados em fumaça ao chegar até ela, como a física sempre nos ensinou.


Por seus comentários ácidos e agressivos aos verdadeiros fãs da saga de Jacob e Bocaj, essa é a última vez que entro nesse blog, e espero que todos os que conseguirem ler essa pequena e singela mensagem façam o mesmo. Não temos tempo a perder com fãs decápitos que nunca entenderam a série e agora querem aparecer criticando-a!

Diogo disse...

hahhaha, ai Camis!! Já disse, mas vou dizer de novo, vc e suas reviews são a melhor coisa de Lost! Muito bom, muito bom.

Achei essa review a melhor que já li, ri de mais desde a primeira linha. Demorei pra entender o negócio do videogame mais rachei de rir depois... É tão bom saber que o mundo não é povoado apenas por fans xiitas de Lost.

Os dois bebes sendo cuspidos pelo mundo mais limpos que bebes recem nacidos de novela da Globo foi ótimo também. Fiquei também preocupado fo com o cordão umbilical que não existia... será que o MiB na verdade se chama Kyle XY??!!!!! o_O

E que a LUZ estaja com vcs!!!

Harry disse...

Resenha genial. Simplesmente botou tudo pra fora com elegância. Praticamente tudo que eu penso do episódio.

Camis Barbieri disse...

Gente..eu tava meio doida enquanto escrevia, mas lógico que reparei na falta de sangue, nas crianças parrudas para serem apenas recém-nascidos e tão independentes que já vieram sem cordão umbilical.
Outra coisa ótima é a poção mágica, que torna Jacob igual a sua mãe. Achei que aquilo fosse vinho, mas dae entrei numas de que não poderia ser vinho, porque a Ilha é praticamente inabitada e não há vinícolas na área, ou parreiras, ao menos.
Aí é isso, Jacob, Bocaj e a Luz.

Leonardo disse...

O vinho foi diretamente importado da Ojai Foods, com direito a gotinhas de petróleo pra deixar a poção ainda mais rykah.

erick.cartman disse...

Estou puto....porque ao mesmo tempo que me pergunto: mas que diabos estão fazendo... eu tenho vontade de parar de ver..mas já estamos no fim mesmo, vamos ver no que vai dar.

Como muitos, reparei nos bebezins que nasceram de um utero extra limpo...acho que de tanto a claudia ter ficado no mar e ter água entrando por todos os orificios..meio que...enfim..

foi uma explicação tosca a do buraquim iluminado, mas mesmo de forma tosca respoderam as perguntas...parabens pra eles..mesmo sendo de uma forma tão tosca...

e o buraquim é deles então eles iluminam da forma que quiserem..até pq já entupiram o buraquim de ganhar dinheiro...

agora qto a poção magica que transforma o Jacob no Jacob...vcs lembram que teve um episodio que Jacob oferece um gole ao Lockezilla e ele quebra a garrafa? sera que se ele tivesse tomado a poçãozinha o que teria acontecido?

enfim...lame lame lame...prefiro ficar revendo o Brotha atropelando o Locke por 1 hora em looping...mais divertido. bleh

Alexandre Scapini disse...

Só tenho 1 coisa a dizer: Camis, eu te amo!
Quem mais pra me fazer ver a LUZ dessa maneira? Quem mais pra me fazer entender que LOST é bem e mal, LUZ e trevas, good and evil? Teus reviews destrincharam a trama e até os tapetes feitos por Jacob...

PS1:A barriga tosca de falsa da mãe continuou enorme mesmo depois de Jacob e Black smoke terem saído

PS2: Já vi partos mais bem feitos até em novelas da Record.

PS3: Sim, é o videogame que eu quero comprar.

BJ

Edson Oliveira disse...

A resposta estava na luz e no Santo Daime. Como eu não soube isso antes? Porque a mãe não me disse, oras. Mas graças a esse episódio revelador eu poderei encarar a Series Finale de peito aberto, sabendo que os produtores tem tudo sob controle. Gente, estou organizando um linchamento de Carlton Cuse e Damon Lindelof. Acho que é a atitude mais correta a tomar, a essa altura do campeonato.

Alexandre Scapini disse...

E ainda me perguntam se eu vou investir meu tempo em Flash Forward.
Aff!

LOST chegou num ponto em que se aparecer a Sandra Bullock montada num unicórnio e levar a Kate embora o povo vai achar lindo, metafísico, metafórico, metaanfetamínico!

Antes os produtores tivessem feito um concurso pelo Twitter: "Qual o melhor final para LOST? Quais as melhores respostas?" Com certeza teríamos idéias muito mais interessantes que essas bostas que estão sendo mostradas.

Camis Barbieri disse...

Gente, estou chocada com vcs. Nunca vi pessoas tão putas comentando os posts de Lost antes.

Anônimo disse...

Olá Camis, eu também não curti as revelações míticas, acho que depois daquele episódio The Constant que foi um dos melhores da série para mim, não consigo de jeito algum jogar a ciência de lado e ficar satisfeita com explicações diria "bíblicas", não dá pra aceitar que a Luz, é luz e pronto, a não ser que alguém explique isso melhor, do contrário já tenho certeza que não assistirei mais nada produzido por Carlton Cuse e Damon Lindelof!!!
Que a Ilha é especial todos sabem mas sabemos que existe realidades paralelas, ou é tudo sacanagem deles? Estão fazendo de conta que é mais não é? Bom, ainda tenho esperança de ver melhores explicações!!
É isso!
Abraços
Alessandra

Adriana disse...

Camis vc se esqueceu de comentar o fundo psicológico de tudo isso: Lost é uma tragédia grega!
Jacob tinha complexo de Édipo. Ele queria comer a mãe que gostava do outro filho Bocaj e não queria que ele saísse da ilha por nada. Bocaj entendendo isto vê como única saída matar a mãe. Jacob com a morte da mãe não pode dar vasão aos seus desejos e vê como saída a morte do irmão (a quem secretamente queria comer como substituto natural à mãe).
O MIB encarnado em Locke é o símbolo fálico(vejam que a careca tem uma funçao narrativa aqui) que não deixa Jacob esquecer o que fez.

Ivan disse...

Precisa dizer mais? (aliás, ironia é coisa fina)
Tá tão feia a situação que eu to pensando em ler spoiler do próximo episódio, coisa que eu devo ter feito uma vez no máximo por curiosidade, agora é por 'broxismo' mesmo, quem sabe eu fico animado pra assistir o próximo.

Mari Silva disse...

E aí? Muito boa a sua crítica. Aliás, te admiro, pois há muito que Lost deixou de me motivar a comentar qualquer coisa, tamanho o desapontamento com essa temporada final. Mas ainda faltam três horas... Em três horas, já realizaram filmes geniais. Vai que, né? Vai que os caras tão só zoando com a gente e vão realmente tirar da cartola um final memorável, com tudo fazendo sentido, sem essas explicações de Luz, e beba aqui, yadda, yadda... No mais, o que fia desse ep é que Jacob é virgem. Tipo... O cara é um fazedor de tapetes virgem. Grande sábio, tão seguindo um virgem de 40 anos, enfim...

Mari Silva disse...

E aí? Muito boa a sua crítica. Aliás, te admiro, pois há muito que Lost deixou de me motivar a comentar qualquer coisa, tamanho o desapontamento com essa temporada final. Mas ainda faltam três horas... Em três horas, já realizaram filmes geniais. Vai que, né? Vai que os caras tão só zoando com a gente e vão realmente tirar da cartola um final memorável, com tudo fazendo sentido, sem essas explicações de Luz, e beba aqui, yadda, yadda... No mais, o que fia desse ep é que Jacob é virgem. Tipo... O cara é um fazedor de tapetes virgem. Grande sábio, tão seguindo um virgem de 40 anos, enfim...